Pular para o conteúdo principal

Destaques

The Good Detective: Série coreana policial sobre antigo caso e a busca pela verdade

The Good Detective é uma série coreana policial que aborda um caso antigo, cujo julgamento levou à sentença de condenação de morte do acusado. Um detetive novato no departamento e um veterano se juntam para descobrir se aconteceram falhas nas investigações policiais. A série está disponível na Netflix . Com 16 episódios em sua primeira temporada, três personagens se destacam: o detetive que participou da investigação do caso, Kang Do Chang (Son Hyeon-ju) , o jovem detetive Oh Ji Hyuk (Seung-jo Jang) e a jornalista investigativa Jin Seo Kyung (Elliya Le) . Quando um novo caso de um suposto assassino confesso da filha do homem condenado ganha a atenção da mídia, muitas dúvidas pairam no ar sobre as motivações e os possíveis envolvidos, fazendo com que os detetives discretamente se aprofundassem nas investigações, mesmo sabendo que poderiam prejudicar as próprias carreiras. Kang é movido pela consciência pesada de ter sido parte do caso do condenado possivelmente inocente sofrer pena de

Mesa Redonda: Espaço de pesquisa/arte

No dia 15 de abril, após o espetáculo “Intenso” aconteceu uma mesa redonda com o tema: “Espaço de pesquisa – Espaço de arte: um fluxo de idéias”, com a presença de Patrícia Leal, Yan Chaparro, Marcelo Victor da Rosa e Fernandes Ferreira de Souza, mediado por Denise Parra.

Patrícia Leal, Yan Chaparro, Denise Parra, Fernandes Ferreira, Marcelo Rosa

Patrícia Leal

Denise (coordenadora de pós-graduação em dança da UCDB )convidou a artista Patrícia Leal (docente da UFBA) para começar a mesa redonda. Patrícia explicou sobre os outros dois espetáculos de sua autoria que foram desenvolvidos no seu doutorado no Instituto de Artes da Unicamp, baseados na mesma linha de pesquisa do espetáculo “Intenso”. Cada espetáculo utiliza um tipo de bebida diferente, sendo um relacionado ao café e o outro relacionado ao chocolate.

Perguntada se "Intenso" tinha alguma ligação com a escritora Clarice Lispector, pois em suas obras os personagens tem epifanias. Patrícia respondeu que não, mas que é uma grande fã da escritora e que acha incrível como as pessoas criam teorias a respeito dos seus espetáculos, sentindo-se lisonjeada com o comentário.

Fernandes Ferreira

Fernandes Ferreira de Souza é coordenador do curso de artes cênicas e dança da UEMS. Formado em letras, especializado em teatro shakesperiano na Inglaterra e mestrado em literatura dramática na UEL.

O curso de artes cênicas e dança da UEMS é recente em Campo Grande, sendo esta a primeira turma, com 50 alunos matriculados. Ele conta que destes alunos, mais da metade são envolvidos com a dança.

O mestre explicou a relação da dança com o sacro e profano, o dualismo entre espírito e sensação (corpo), o que fez com que a dança fosse banida, “diabolizada”. A condenação da dança na idade média, por exemplo, as mulheres que dançavam eram consideradas feiticeiras. Fernandes comentou que nos dias de hoje, a dança está sendo reincorporada nas igrejas/templos, talvez um dos motivos seja atrair um público jovem e questiona o baixo número de pesquisas para explicar este fenômeno.

Marcelo Rosa

Representando o curso de educação física da UFMS estava Marcelo Victor da Rosa, trabalha com dança de salão. O professor de dança começou explicando a relação da educação física entre fazer pesquisa (ciência) e fazer arte (dança).

“A educação física faz pesquisa através do olhar do movimento humano”, após analisar o número de pesquisas realizadas pelos acadêmicos da universidade, constatou que quando algum professor está relacionado à dança, os alunos começam a realizar mais pesquisas nesta área.

A dança vista cientificamente trabalharia com pesquisas, tentando descobrir a ação e reação, já como arte, ela é trabalhada através das sensações e percepções (consciente/inconsciente).

Yan Chaparro

Psicólogo e mestre em desenvolvimento local pela UCDB, intérprete e criador de dança contemporânea, também aventura-se na literatura e artes visuais. Yan falou de sua dissertação que foi sobre estudos culturais e trabalhado através de micronarrativas.

Comentários

  1. Mais uma vez parabéns!
    Certamente a cultura e a arte de MS agradecem sua iniciativa...
    Ben Oliveira - TUDO QUE VOCÊ PRECISA -

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana