Pular para o conteúdo principal

Destaques

The Good Detective: Série coreana policial sobre antigo caso e a busca pela verdade

The Good Detective é uma série coreana policial que aborda um caso antigo, cujo julgamento levou à sentença de condenação de morte do acusado. Um detetive novato no departamento e um veterano se juntam para descobrir se aconteceram falhas nas investigações policiais. A série está disponível na Netflix . Com 16 episódios em sua primeira temporada, três personagens se destacam: o detetive que participou da investigação do caso, Kang Do Chang (Son Hyeon-ju) , o jovem detetive Oh Ji Hyuk (Seung-jo Jang) e a jornalista investigativa Jin Seo Kyung (Elliya Le) . Quando um novo caso de um suposto assassino confesso da filha do homem condenado ganha a atenção da mídia, muitas dúvidas pairam no ar sobre as motivações e os possíveis envolvidos, fazendo com que os detetives discretamente se aprofundassem nas investigações, mesmo sabendo que poderiam prejudicar as próprias carreiras. Kang é movido pela consciência pesada de ter sido parte do caso do condenado possivelmente inocente sofrer pena de

Fotojornalista Juca Varella fez palestra em Campo Grande (MS)

Hoje (9) aconteceu a palestra do jornalista Juca Varella com o tema "Jornalismo Fotográfico" . O evento apoiado pela New Holland e promovido pela Fundação Municipal de Cultura aconteceu às 19h no Armazém Cultural, em Campo Grande (MS).

O fotojornalista e editor de fotografia do Jornal O Estado de São Paulo, contou em sua palestra sobre vários acontecimentos históricos que cobriu, como a Guerra do Iraque.

Segundo Varella, a foto segue um caminho no processo jornalístico: a pauta, a captação, a edição/transmissão e a publicação.

O jornalista explica que na pauta são definidos previamente os assuntos que serão abordados. Já na captação, envolve como o jornalista vai retratar o fato.

Varella acredita que no jornal deve-se publicar o máximo de informações em uma foto, dando prioridade à composição. Ou seja, ao invés de fotografar várias imagens separadas, o fotojornalista deve informar o leitor com uma fotografia que englobe os elementos que estariam em cada uma dessas fotos.

Juca cita como exemplo a cobertura fotográfica que fez de uma rebelião no presídio. O fotojornalista conseguiu em uma fotografia mostrar vários fatos que estavam acontecendo: um helicóptero da polícia sobrevoando o lugar, os policiais controlando os detentos e a mensagem escrita pelos presidiários.

Em relação à edição e transmissão, o jornalista conta que a tecnologia facilitou bastante o trabalho do fotojornalista. Através de um notebook, Varella conseguiu editar e transmitir as fotos da cobertura da Guerra do Iraque para o Jornal Folha de São Paulo.

FOTO: JUCA VARELLA
Cobertura da Guerra do Iraque

A publicação envolve  o processo de escolha do melhor registro fotojornalístico a ser publicado na imprensa. O jornalista Juca Varella diz que mesmo se houver cobertura dos reportéres de um jornal e a  melhor foto é de alguma agência, dá-se prioridade a esta imagem.

Comentários

Mais lidas da semana