Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

Cibercultura: Alguns pontos...

Você sabe o que é cibercultura? O Doutor em Sociologia, professor, blogueiro e autor de vários livros sobre cibercultura, André Lemos, em seu ensaio Cibercultura: Alguns pontos para compreender a nossa época, define a cibercultura como: "a forma sociocultural que emerge da relação simbiótica entre a sociedade, a cultura e as novas tecnologias de base micro-eletrônica que surgiram com a convergência das telecomunicações com a informática na década de 70".

Ainda de acordo com o pesquisador, a cibercultura não é o futuro que vai chegar mas o nosso presente, sendo esta cultura contemporânea marcada pelas tecnologias digitais.

Lemos ressalta que não se deve tratar do assunto com utopia, pessimismo ou otimismo. Deve-se concentrar nas diversas potencialidades e negatividades das tecnologias contemporâneas.

O autor explica que a sociedade em que vivemos - da informação - é marcada pela instantaneidade e ubiquidade (¹ Ubiquidade: característica do que está em toda a parte ao mesmo tempo; ² Ubiquidade tecnológica: característica que a tecnologia tem de estar em toda a parte ao mesmo tempo e acessível ao utilizador). Para Lemos, essa alteração da percepção do espaço e do tempo acontece a cada transformação midiática, desde a invenção da escrita até a invenção da Internet, nos dias de hoje.

Uma das grandes vantagens desta nova estrutura midiática representante da cibercultura é a possibilidade de uma comunicação imediata, "pela primeira vez, qualquer indivíduo pode, a priori, emitir e receber informação em tempo real, sob diversos formatos e modulações (escrita, imagética e sonora) para qualquer lugar do planeta", explica Lemos.

A cibercultura também levanta outras questões como as práticas comunicacionais (inúmeras e inéditas), as novas relações sociais ("a cibercultura é recheada de novas maneiras de se relacionar com o outro e com o mundo") e a arte eletrônica ("arte aberta, rizomática e interativa").

Acesse o texto na íntegra

Confira abaixo a apresentação sobre Cibercultura do jornalista e professor André Pase.

Comentários