Pular para o conteúdo principal

Destaques

Quem Matou Sara?: Série mexicana da Netflix prende a atenção do início ao fim

Para quem está procurando uma série de vingança, segredos e muitas reviravoltas, Quem Matou Sara? (Who Killed Sara?/¿Quién mató a Sara? ) é uma ótima indicação. A série mexicana foi produzida pela Perro Azul para a Netflix , criada por José Ignacio Valenzuela e com episódios dirigidos por David Ruiz e Bernardo de la Rosa . Se você gosta de séries com personagens complexos e situações dramáticas, sem abrir mão da ação, como Revenge, How To Get Away With Murder e The Sinner, Quem Matou Sara? Vai te conquistar do primeiro até o último episódio da primeira temporada e te deixar com gostinho de quero mais ao conferir uma prévia do que vem na próxima temporada. Depois de 18 anos na prisão por um crime que não cometeu, Alejandro Guzmán (Manolo Cardona) passou anos se planejando para o dia em que saísse e começasse sua jornada à procura da verdade e da justiça: se vingar do real culpado pela morte de sua irmã e daqueles que traíram sua confiança. Entre sua luta no presente para encontrar in

Resenha: Pensamento ético contemporâneo – Jacqueline Russ

Em seu livro: "Pensamento ético contemporâneo", a autora e doutora em filosofia e ciências humanas Jacqueline Russ  introduz as diferenças entre os termos ética e moral, ética e modernidade, a morte das ideologias, o individualismo, as novas tecnologias e a nova ética.

O que é ética

Russ acredita que para entender os princípios da ética contemporânea é necessário antes entender as concepções globais de alguns filósofos, portanto, a autora dedica a primeira parte do livro para as influências dos filósofos: Spinoza, Kant, Nietzsche, Wittgenstein e Heidegger.

A segunda parte do livro fala sobre os princípios e trata desde a definição da palavra, os princípios clássicos até o novo princípio, o de comunicação. A doutora em filosofia traz uma série de reflexões durante o livro, uma destas reflexões é a de como é possível organizar os diferentes princípios para fundar a ética.

"As éticas de nosso tempo", terceira parte do livro, aborda vários valores éticos e pensadores da área. Algumas visões filosóficas, muitas vezes, se contrapõem, porém existem aquelas que se complementam. Para falar da ética na contemporaneidade, Russ passa pela religião, ciência, moral e ética, civilização tecnológica, retorna às éticas iluminadas das civilizações greco-romana, as bases naturais, relaciona a ética e a política e fala sobre o ensaio de Gilles Lipovetsky, "O crepúsculo do dever".


Jacqueline Russ conclui que a ética do pensamento do nosso tempo está voltado para a razão universal, ou seja, na possibilidade de se discursar argumentos racionais e achar um consenso. Sendo esta característica, de acordo com a autora, um dos núcleos mais ricos e fecundos da ética contemporânea.

A última parte do livro está direcionada às éticas aplicadas, estas que são responsáveis por polêmicas e contradições. A bioética, a ética do meio ambiente, a ética do business, a ética das mídias e a ética da política, são algumas das éticas práticas de nosso tempo retratadas no livro.

Confira também o vídeo sobre Ética e responsabilidade social no jornalismo produzido pelas alunas de Jornalismo da FEF: Elissandra Monfardine, Camila Ribeiro, Gleice Castrequini e Maria Silva dos Santos.

Comentários

Mais lidas da semana