Pular para o conteúdo principal

Destaques

Antraz: Documentário da Netflix revela investigações feitas pelo FBI durante anos

Um pouco após os atentados terroristas contra as torres gêmeas, em Nova Iorque, Estados Unidos, no 11 de setembro de 2001, uma ameaça de antraz colocou as autoridades, como o FBI em alerta, e espalhou pânico nos norte-americanos devido à facilidade de se espalhar sem as pessoas saberem.  Dirigido e roteirizado por Dan Krauss e produzido pela Netflix e pela BBC, 21 anos após o ataque e o primeiro caso de circulação do antraz, o documentário Antraz: EUA Sob Ataque (The Anthrax Attacks) leva o telespectador para as investigações do FBI que duraram anos. O que a princípio foi alvo de muita pressão para a solução do caso, principalmente pelo medo dos norte-americanos do esporo da bactéria continuar se espalhando pelas cartas e fazendo mais pessoas adoecerem e/ou morrerem, logo foi caindo no esquecimento conforme as investigações desenrolavam fora dos holofotes.  Com a proximidade do caso do ataque às torres gêmeas, à primeira vista, o pânico generalizado fez com quem os norte-americanos

Designer fala sobre Visual Merchandising

Uma vitrine pode atrair ou afastar os clientes de uma loja e influenciar na compra ou não dos produtos. Para explicar como conquistar um visual merchandising e conquistar o público, a designer Raquel Caram ministrou a oficina: "Visual Merchandising (Vitrine)" no PropUp, evento realizado pelo Curso de Publicidade e Propaganda da UCDB. A oficina aconteceu na Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) de Campo Grande (MS) no dia 17 de novembro de 2010.

Raquel Caram diz que para entender como organizar a vitrine é necessário que se entenda sobre a semiótica, que é o estudo dos signos. "Por exemplo, no Brasil a cor preta simboliza o luto e no Japão a cor branca simboliza o luto".

"A idéia de uma vitrine é que todos interpretem da mesma forma, todos os consumidores sejam atraídos por essa linguagem. Temos que maximizar para o público consumidor", ensina. Caram argumenta que o vitrinismo é a área mais sedutora do visual merchandising e esta tem como objetivo chamar a atenção do consumidor para os produtos vendidos pela loja, convidando-o para entrar.


A designer conta que o merchandising, "ferramenta de marketing , formada pelo conjunto de técnicas responsáveis pela informação e apresentação do produto no ponto-de-venda, de maneira tal que acelere sua rotatividade", deve estar relacionado a todos os 5 sentidos e não somente ao visual.

Ao se confeccionar uma vitrine deve-se planejar, ter conhecimento da imagem e percepção visual. Alguns elementos devem ser considerados: Simetria/Assimetria; Cores; Iluminação; Personalidade da marca; Formas gráficas; Regularidade.

O ambiente e a exposição podem favorecer a compra. "Todos os produtos são iguais, mas se eu coloco um diferencial ele pode seduzir", justifica.

Raquel Caram sugere dois livros aos que tem interesse em aprender mais sobre o assunto: Vitrinas em Diálogos Urbanos e Vitrina: Construção de Encenações, ambos da autora Sylvia Demetresco.

Comentários

Mais lidas da semana