Pular para o conteúdo principal

Destaques

Nobody Speak: Documentário questiona frágil liberdade de imprensa contra interesses de bilionários

Nobody Speak: Trials of the Free Press é um documentário um tanto polêmico e controverso sobre a liberdade de imprensa, liberdade de expressão e como pessoas poderosas e ricas podem silenciar veículos de comunicação . O filme documental foi lançado em 2017, com direção do cinegrafista norte-americano Brian Knappenberger , com produção da First Look Media e distribuição pela Netflix . Dois casos bem diferentes são discutidos no documentário Nobody Speak . Enquanto no caso da Gawker, os profissionais envolvidos tentam vender a ideia de que publicar um vídeo íntimo de uma personalidade norte-americana se tratava de um tema de interesse público, eu acredito que o vazamento dos vídeos sexuais do famoso só reforçam a importância de traçar melhor a questão ética no jornalismo online, tão focado nos cliques instantâneos que se esquecem que por trás de cada notícia existem seres humanos, independente do nível de fama. Para não estragar a surpresa e os detalhes, não vou comentar muito sobre os

Palestrante da Campus Party fala sobre o funcionamento da internet

Aconteceu nesta quinta-fera (20) na Campus Party Brasil a palestra de Ricardo Patara com o tema: "Como funciona a internet brasileira?". O responsável pelo serviço de alocação de Recursos Internet (registro.br) explicou alguns conceitos sobre a rede mundial de computadores.

Patara diz que resumidamente a internet é uma rede formada por redes e conta a história desta: "O projeto inicial desta rede, que a gente conhece como internet, surgiu dentro de universidades e instituições de pesquisa dos Estados Unidos, com o apoio do Departamento de Defesa para criar mecanismos de comunicação que fossem resistentes às catástrofes".

De acordo com o palestrante, a internet surgiu através de projetos universitários de redes independentes que permitiam a comunicação entre eles. Pataro argumenta que dentro dos ambientes universitários viu-se que era interessante interconectar as redes, pois os pesquisadores observaram a existência de pesquisas, muitas vezes semelhantes, porém de universidades diferentes. "Daí surgiu este projeto que hoje é a internet, interconectando diferentes redes, tanto dentro dos Estados Unidos, mas também em outros países, como Inglaterra e França".

Para exemplificar esta "rede de redes" em nosso dia-a-dia, Ricardo Patara ensina: "Nós temos o provedor de internet onde estamos conectados, que é uma rede. Este provedor de internet está conectado a outros provedores de internet, sejam provedores de acesso ou provedores de conteúdo e que por ventura se conectam a outros".

A descentralização da internet é uma das características mais importantes ressaltada pelo palestrante. Ele justifica que cada rede é independente e tem o controle de suas informações.

Conceitos

Modem: equipamento que permite a conexão do seu computador com a rede de provedor de internet.

Provedor de internet: organização ou entidade contrada para fornecer a conexão.

A conexão é formada por uma parte física e uma parte lógica.

A parte física está voltada aos detalhes eletrônicos da organização dos sinais elétricos, ondas, pulsos etc.

A parte lógica organiza os bits e informações e conecta o computador com a internet.

Sobre a separação entre parte lógica e física, Patara fala que esta independencia é um fator muito importante, porque facilitou a implamentação e o sucesso da internet, além de facilitar a identificação de um problema.
 
Confira o vídeo da palestra

Comentários

Mais lidas da semana