Pular para o conteúdo principal

Destaques

Dias de Isolamento, Estímulos e Tédio: Vidas Importam (Coronavírus) | Ben Oliveira

Mesmo para alguém no espectro autista (lembrando que não existem dois autistas iguais e há uma ampla variedade neurológica e de personalidade), os dias de isolamento não são necessariamente confortáveis.


Gostar de ficar em casa e precisar de tempo sozinho para recarregar as energias, não significa que autistas também não gostem de ver pessoas – muitos adoram andar ao ar livre. As pessoas confundem autismo, introversão, timidez e misantropia (aversão às pessoas).

O que eu queria falar é sobre a importância de se ocupar com o que te estimula. Na correria do dia a dia, todos abrimos mão daquilo que gostamos de fazer e do que nem sabíamos que gostamos. Além de ler e jogar, nesses dias aproveitei para organizar as coisas e brincar com as tintas e colas.

Deveria estar escrevendo mais, mas confesso que estou gostando de estimular outras áreas que estavam adormecidas. Sim, tenho muitos momentos de tédio, mas não acho que colocar a vida de outras pessoas em risco possa compensá-los.

Por outro …

Surplus: Aterrorizados para serem consumidores

Surplus: Terrorized into being consumers' é um documentário com duração de 54 minutos, lançado em 2003, dirigido e escrito por Erik Gandini. O documentário utiliza-se da edição e remixagem de imagens e áudios, de forma satírica e em um ritmo frenético, para mostrar diferentes pontos de vista sobre o consumismo.

Capa do documentário SurplusO documentário começa com um discurso do ex-presidente cubano Fidel Castro que aborda o consumismo e suas consequências para o meio ambiente e para a sociedade, o desenvolvimento sustentável e a necessidade de compartilhamento de bens entre todas as nações, acompanhado de imagens de destruição e violência sobre movimentos sociais e repreensão.

Filósofo e escritor norte-americano, John Zerzan fala sobre a dependência do consumo. "Trabalhar constantemente e consumir constantemente. É loucura. Está destruindo tudo, vai tudo desaparecer", argumenta. Zerzan critica o consumismo, e conta que quando a tecnologia surgiu esta tinha o propósito de facilitar o trabalho das pessoas e fazer com que estas trabalhassem menos, mas para o filósofo, as pessoas não conseguem viver longe delas e acabam trabalhando cada vez mais.

O estímulo ao consumo por meio da publicidade e propaganda também é abordado. O pensamento de que é preciso comprar para ser feliz frustra as pessoas que não têm condições financeiras e sustenta o círculo vicioso dos consumistas. Em um mundo onde as pessoas estão cada vez mais plásticas e vazias, é mostrada uma empresa que produz bonecos eróticos feitos com materiais especiais, com o valor chocante de 6 a 7 mil dólares.

Refletir sobre como estamos vivendo em sociedade e entender o contexto por meio de diferentes pontos de vista é fundamental para a garantia de que o planeta continue existindo. O excesso de consumo de recursos naturais e a destruição do meio ambiente devem ser debatidos, pois se a sociedade atual chegou a este ponto, imagine como estarão as futuras gerações, que estarão ainda mais integradas com a tecnologia e fazem parte deste modelo de consumo que tornou-se globalizado.

Comentários