Pular para o conteúdo principal

Destaques

Espectro Autista: Reflexão sobre conscientização do autismo

Vez ou outra eu recebo mensagens de pessoas pedindo ajuda sobre como trazer mais conscientização em lugares nos quais pouco se sabe sobre autismo. Nem toda cidade tem especialista em autismo, isso é um fato que todo mundo que já precisou de um, sabe como é. Minha dica é: compre/arrecade livros ATUALIZADOS sobre o assunto e/ou livros de ficção (com personagens autistas) e/ou livros escritos por autistas. Recomendo firmemente a literatura, já que a leitura trabalha a empatia e fica mais fácil dos neurotípicos entenderem como é estar 'na nossa pele', mesmo que por alguns minutos.


Não vai dar livro desatualizado, que é um desserviço. Já tem muita desinformação no Brasil. Eu poderia fazer uma lista sobre todos absurdos que leio, mas não vou.

Enfim, não dá para fugir da leitura. Infelizmente, muitos conteúdos brasileiros estão defasados, outros logo vão estar por causa das alterações do CID11 do Espectro Autista [só entra em vigor em 2022]. Tem muita coisa boa produzida pela comunid…

Twitter & Marketing Político

"O Twitter serve para fazer marketing político?", artigo escrito pelo jornalista, mestre em Comunicação, professor e pesquisador em Marketing Político, Mauricio Guindani Romanini, que procura responder esta indagação. Publicado na revista Politicom - Revista Brasileira de Marketing Político, ano 3, nº 4, edição de Agosto/Dezembro de 2010.

Segundo o jornalista, é importante entender a influência dos eleitores e do protagonismo das eleições. Com a internet, os internautas podem trocar informações, opiniões e ideias sobre políticos e partidos em mídias sociais, como o Twitter, e colaborarem por meio da disseminação de conteúdos dos próprios internautas e dos candidatos. "Os cidadãos tornaram-se fonte e mídia", acredita.

As estratégias de marketing político online devem se diferenciar das estratégias feitas para mídias tradicionais. Para o autor, muitos profissionais ainda se confundem. "E-mails e mensagens padrão não valem mais, textos preparados por especialistas não valem e mantenha um diálogo aberto com os eleitores", ensina.

Proatividade, agilidade e horizontalidade são fundamentais para a campanha. O diálogo entre eleitores deve ser incentivado, bem como o monitoramento de estratégias. "Ao menor sinal de problema é necessário solucionar e mudar", explica. O autor lembra que a prioridade dos usuários no Twitter é pela busca de informações, principalmente de assuntos relacionados à comunidade em que o usuário está inserido.

"O Twitter pode e deve ser utilizado no marketing político online", finaliza Romanini.

Além do artigo citado acima, vale a pena ler a entrevista com o consultor em comunicação e marketing político, Chico Santa Rita. O jornalista e publicitário é um dos nomes mais respeitados do país quando o assunto é campanha eleitoral.

Confira abaixo

Comentários

Mais lidas da semana