Pular para o conteúdo principal

Destaques

My Shy Boss: Série de drama sul-coreano tem protagonista com fobia social e segredos

My Shy Boss (Introverted Boss/Naesungjukin Boseu/내성적인 보스) é uma série de drama romântico sul-coreano sobre a relação entre um chefe de uma empresa de Relações Públicas e uma jovem atriz extrovertida tentando descobrir a verdade sobre um acontecimento do passado que envolveu sua irmã. Lançada em 2017, a série da tvN (canal de televisão da Coreia do Sul) está disponível na Netflix Brasil por tempo indeterminado. Para quem sente falta de ver personagens com dificuldades de comunicação e interação em seriados, My Shy Boss tem Eun Hwan-ki (Yeon Woo-Jin) , um protagonista que evita o máximo possível falar com os funcionários de sua empresa, de forma que gera estranhamento nos outros. Sempre com seu casaco preto de capuz, sua timidez chama a atenção de forma negativa por onde passa. Até se acostumar com o personagem principal, fica difícil compreender alguns dos seus comportamentos. Se é contraditório para os próprios funcionários, para a família dele e até mesmo para alguns clientes insat

Ciberjornalismo & Qualidade

Abertura do 3º Seminário de Ciberjornalismo
Aconteceu nesta terça-feira, 16 de agosto, às 19h, no auditório do CCHS da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), de Campo Grande (MS), a abertura do 3º Seminário de Ciberjornalismo. O evento organizado pelo Grupo de Pesquisa em Ciberjornalismo da UFMS, com o tema: "O jornalismo em tempos de redes sociais", teve como palestrante o professor e Doutor Angel Rodriguez Bravo, da Universitat Autònoma de Barcelona (UAB), que falou sobre Ciberjornalismo e Qualidade.

Bravo explicou que o ciberjornalismo é um fenômeno comunicativo bem recente e para entender melhor do assunto propôs algumas reflexões, por exemplo, "como é ou como deve ser um jornalismo de qualidade?". O palestra contou que existem diversos termos ambíguos relacionados ao ciberjornalismo e que todos estão vinculados à idéia de transmissão de informação em rede.

A hipertextualidade, multimídia, interatividade e frequência de atualização são alguns fatores citados pelo palestrante, de acordo com Xosé Lopez, para definir o grau de dinamismo das mídias digitais. Bravo ainda ressaltou que com os celulares existe mais uma ferramenta para receber e produzir informações a qualquer momento.

O palestrante lembrou que o ciberjornalismo trouxe novas situações, como a mistura de conteúdos produzidos profissionalmente com os produzidos de forma amadora; A falta de segurança em relação aos conteúdos serem de qualidade ou não; A enorme redução da divisão de trabalho e consequente desaparecimento das funções profissionais convencionais (o jornalista é polivalente, se antigamente existia um profissional para cada função, como filmar, fotografar etc., atualmente o jornalista tem que saber fazer tudo).

Sobre a qualidade do jornalismo digital, Bravo argumentou que existem diversas formas de avaliá-la, seja por meio das características da organização e do produto, pelo serviço público oferecido, interesses estratégicos, quanto pelos elementos de um bom jornalismo: precisão, equilíbrio, juízo crítico, demonstrabilidade ou objetividade, ética e equidade.

Comentários

Mais lidas da semana