Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Entre fofocas e intrigas

Aviso aos bonitos e bonitas que sempre jogam meu nome e dos colegas nos grupos de Facebook e WhatsApp: alguém de vocês sempre solta algo e de um jeito ou de outro, chega até mim.


Minha dica é: quer falar mal? Fala à vontade. Se quiser, eu falo junto. Não tenho vergonha de fazer autocrítica, aliás, recomendo a todos.

Agora, se me difamar e/ou queimar minha reputação, o bicho pega.

Nesta página, não trabalho com indiretas. Só com diretas mesmo.

Já disse que nem todo autista é bonzinho, né? 😈

Dica para os anjinhos e neurotípicos: Arranjem hobbies e outros hiperfocos, ocupem a cabeça com outras coisas que não sejam só esse mundinho de intrigas do autismo.

Um grande filósofo pós-moderno, Benstein Oliveira disse que a fofoca viaja à velocidade da luz e que ela vem de todos cantos e cores do autismo. Nem WhatsApp eu uso, mas as conversas de lá sempre chegam aqui. Por que será, gente?

Formado em Harvard na arte das fofocas chegarem até mim. Parece que sou ímã para embuste.


Para os trolls que…

Ciberjornalismo & Qualidade

Abertura do 3º Seminário de Ciberjornalismo
Aconteceu nesta terça-feira, 16 de agosto, às 19h, no auditório do CCHS da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), de Campo Grande (MS), a abertura do 3º Seminário de Ciberjornalismo. O evento organizado pelo Grupo de Pesquisa em Ciberjornalismo da UFMS, com o tema: "O jornalismo em tempos de redes sociais", teve como palestrante o professor e Doutor Angel Rodriguez Bravo, da Universitat Autònoma de Barcelona (UAB), que falou sobre Ciberjornalismo e Qualidade.

Bravo explicou que o ciberjornalismo é um fenômeno comunicativo bem recente e para entender melhor do assunto propôs algumas reflexões, por exemplo, "como é ou como deve ser um jornalismo de qualidade?". O palestra contou que existem diversos termos ambíguos relacionados ao ciberjornalismo e que todos estão vinculados à idéia de transmissão de informação em rede.

A hipertextualidade, multimídia, interatividade e frequência de atualização são alguns fatores citados pelo palestrante, de acordo com Xosé Lopez, para definir o grau de dinamismo das mídias digitais. Bravo ainda ressaltou que com os celulares existe mais uma ferramenta para receber e produzir informações a qualquer momento.

O palestrante lembrou que o ciberjornalismo trouxe novas situações, como a mistura de conteúdos produzidos profissionalmente com os produzidos de forma amadora; A falta de segurança em relação aos conteúdos serem de qualidade ou não; A enorme redução da divisão de trabalho e consequente desaparecimento das funções profissionais convencionais (o jornalista é polivalente, se antigamente existia um profissional para cada função, como filmar, fotografar etc., atualmente o jornalista tem que saber fazer tudo).

Sobre a qualidade do jornalismo digital, Bravo argumentou que existem diversas formas de avaliá-la, seja por meio das características da organização e do produto, pelo serviço público oferecido, interesses estratégicos, quanto pelos elementos de um bom jornalismo: precisão, equilíbrio, juízo crítico, demonstrabilidade ou objetividade, ética e equidade.

Comentários

Mais lidas da semana