Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Ciberjornalismo & Qualidade

Abertura do 3º Seminário de Ciberjornalismo
Aconteceu nesta terça-feira, 16 de agosto, às 19h, no auditório do CCHS da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), de Campo Grande (MS), a abertura do 3º Seminário de Ciberjornalismo. O evento organizado pelo Grupo de Pesquisa em Ciberjornalismo da UFMS, com o tema: "O jornalismo em tempos de redes sociais", teve como palestrante o professor e Doutor Angel Rodriguez Bravo, da Universitat Autònoma de Barcelona (UAB), que falou sobre Ciberjornalismo e Qualidade.

Bravo explicou que o ciberjornalismo é um fenômeno comunicativo bem recente e para entender melhor do assunto propôs algumas reflexões, por exemplo, "como é ou como deve ser um jornalismo de qualidade?". O palestra contou que existem diversos termos ambíguos relacionados ao ciberjornalismo e que todos estão vinculados à idéia de transmissão de informação em rede.

A hipertextualidade, multimídia, interatividade e frequência de atualização são alguns fatores citados pelo palestrante, de acordo com Xosé Lopez, para definir o grau de dinamismo das mídias digitais. Bravo ainda ressaltou que com os celulares existe mais uma ferramenta para receber e produzir informações a qualquer momento.

O palestrante lembrou que o ciberjornalismo trouxe novas situações, como a mistura de conteúdos produzidos profissionalmente com os produzidos de forma amadora; A falta de segurança em relação aos conteúdos serem de qualidade ou não; A enorme redução da divisão de trabalho e consequente desaparecimento das funções profissionais convencionais (o jornalista é polivalente, se antigamente existia um profissional para cada função, como filmar, fotografar etc., atualmente o jornalista tem que saber fazer tudo).

Sobre a qualidade do jornalismo digital, Bravo argumentou que existem diversas formas de avaliá-la, seja por meio das características da organização e do produto, pelo serviço público oferecido, interesses estratégicos, quanto pelos elementos de um bom jornalismo: precisão, equilíbrio, juízo crítico, demonstrabilidade ou objetividade, ética e equidade.

Comentários

Mais lidas da semana