Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

Kate & Leopold - Amor temporal


Kate & Leopold é uma comédia romântica de fantasia norte-americana de 2001, dirigida por James Mangold e protagonizada por Meg Ryan e Hugh Jackman.  O filme conta a história de um duque de 1870 chamado Leopold, que foi parar em Nova York no século XXI, após entrar em uma fenda do tempo na Ponte do Brooklyn.

É interessante observar no filme as diferenças de costumes e comportamentos de cada época. Quando Leopold aparece nos dias atuais, o rapaz é confundido com um ator que está encenando um personagem, por conta da impossibilidade de alguém viajar no tempo. Aos poucos as atitudes do homem impressionam aqueles que o conhecem.

Trabalhadora da área de pesquisa de comportamento de uma empresa, Kate é cética e moderna, quase um estereótipo da mulher do século XXI. Com um histórico de relacionamentos mal-sucedidos, quando a jovem começa a se envolver com Leopold ela experimenta diferentes sensações, desde a descrença até a felicidade de estar com um tipo de príncipe romântico.

Enquanto Leopold é um romântico nato, cujas atitudes e educação pertencem a uma época polida e de ritmo mais lento, Kate vive na correria dos tempos modernos e sem vida amorosa. Em alguns trechos do filme é possível observar a diferença de valores dos personagens. Confira abaixo:

"Talvez paixão seja uma versão adulta de Papai Noel" - Kate

"O casamento é uma promessa de amor eterno. Como um homem de honra eu não posso prometer eternamente o que nunca senti momentaneamente" - Leopold

Algumas histórias de amor, tanto da ficção, quanto da vida real, chegam a um momento em que um dos envolvidos percebe o quanto o outro lhe faz bem. A parte em que Kate finalmente cai na real é adorável. Segue um trecho: "É uma ótima coisa conseguir o que você quer. É uma boa coisa, ao menos que o que você pensou que queria, não era aquilo que queria... porque o que você realmente queria, você não conseguia imaginar ou pensar que era possível... mas e se aparecesse alguém que soubesse exatamente o que você queria sem pedir, como se pudesse ouvir seu coração batendo ou ouvir seus pensamentos...".

A divertida história de amor abordando diferentes gerações pode ser observada nos dias de hoje. Não é preciso estar em um século diferente para encontrar pessoas com diferentes posições sobre o amor, e é isto que tornou o roteiro leve do filme tão agradável, esta relação com a vida real, independente do ano em que se viva.

Comentários