Pular para o conteúdo principal

Destaques

Resenha: Os Criadores de Coincidências – Yoav Blum

E se nada fosse mero acaso e operários invisíveis atuassem para gerar mudanças nas vidas das pessoas? Assim é a premissa do livro Os Criadores de Coincidências, do autor Yoav Blum, publicado no Brasil, em 2017, pela Editora Planeta, com tradução de Fal Azevedo.


Compre o livro Os Criadores de Coincidências (Yoav Blum): https://amzn.to/2KNfxBT

O romance narra o trabalho de três criadores de coincidências: Emily, Eric e Guy. Intercalando um pouco das vivências profissionais de cada um deles e das missões que tiveram que cumprir, relacionando com alguns dos seus dilemas pessoais.

“É estranho, pensou ela, como somos capazes de transformar uma coisa específica em algo que passa a guiar toda a nossa vida, e como nos convencemos de que, se não tivermos essa coisa, nada mais vai fazer sentido. E é ainda mais estranho como nos acostumamos rápido ao exato oposto” – Yoav Blum, Os Criadores de Coincidências
Longe de ser uma narrativa linear, o leitor é jogado para várias histórias que se amarram pel…

Reflexões de um solteiro no Dia dos Namorados


Mais um Dia dos Namorados chegou e você novamente solteiro. Não sabe dizer quantas vezes passou esta data com alguém e também já não se importa mais, pois acredita ser um dia como qualquer outro.

Se em alguma época da minha vida pensei que tinha cometido algum erro por estar solteiro, este tempo passou. Cometer erros faz parte da nossa jornada e cabe a cada um evitar repetí-los ou não, e eu preferi optar pelo aprendizado.

Em alguns momentos lembro-me de não ter deixado algumas pessoas entrarem na minha vida e outras irem embora, às vezes por medos infantis, outras por idealizações. Chega uma hora em que é preciso acordar e perceber que pessoas idealizadas não existem. É interessante observar que assim que você consegue se livrar das suas limitações e deixar as sabotagens de lado, pessoas com estes bloqueios e alguns piores ainda aparecem na sua vida, e não importa o quanto você tente ajudá-las ou espera que elas possam mudar, suas expectativas são criadas em vão.

Estar sozinho te dá tempo para pensar e aos poucos memórias de pessoas que passaram na sua vida começam a aparecer.  Manter um relacionamento nos dias de hoje não é nada fácil, aliás, a própria palavra já é assustadora, provocando o medo em alguns e nos outros um desejo irracional e irrefreável de consumir. O equilíbro já não existe mais e os relacionamentos se comportam como prisões, nas quais o outro sente uma necessidade de estar conectado 24 horas do dia e tem ciúmes até da própria sombra ou como máquinas frias, na qual a indiferença e egoísmo são exaltadas e os sentimentos são vistos como fraquezas. Sem mencionar as pessoas que trazem bagagens tão pesadas do passado, que mais se parecem com âncoras e não conseguem enxergar como isso as impedem de viver o presente.

Então, eu fecho os olhos e imagens de cada um dos caras que eu me envolvi passam na minha cabeça. Foram nestes momentos de erros em que também achei minha fortaleza e percebi que aguento muito mais do que imaginava e diferente de muitas pessoas que passam por experiências ruins e ficam com medo de se envolverem novamente, utilizo minhas experiências como uma forma de lidar melhor com as pessoas e seus diferentes costumes e manias.

É bom estar solteiro e também estar feliz, pois saber que não faço parte das pessoas que estão com alguém, mas muitas vezes por diferentes razões, menos por amor. Relacionamentos frívolos não me interessam, tampouco amores de plástico. Namoros de aparência baseados em mentiras e traições conseguem enganar muito bem os outros, mas são vazios em sua essência.

Comentários

  1. Muito Bom!!!
    Engraçado... Vc me faz lembrar do (Aguinaldo Silva).Crítico, realista, provocativo,temperamental e acima disso talentoso.
    Pois é Professor tantos relacionamentos de fachada, tanta omissão no relacionar-se.
    Entretanto as atitudes, o tempo e a realidade os levará a deriva.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana