Pular para o conteúdo principal

Destaques

Coronavírus e Saúde Pública: O momento não pede negação nem omissão | Ben Oliveira

Me tirar do sério não é fácil. Tenho mais de 8 anos de prática de yoga e uma paciência quase infinita. Mas quando se trata do que tem acontecido nos últimos tempos, impossível seria me silenciar.


Para começar: muitas pessoas religiosas e espiritualizadas acham erradamente que cultivar a não-violência é se silenciar diante do caos que esse DesPresidente tem causado. Não poderiam estar mais errados, afinal, ser omisso à violência é uma forma de aumentá-la.

O momento não pede negação nem omissão. Os brasileiros elegeram um homem sem empatia, que sempre se demonstrou ser frio, manipulador e ignorante.

Sim, ele é um reflexo de muitos que não tiveram acesso à educação ou desprezam a intelectualidade, mas é também alguém que não está colocando só a própria vida em perigo, mas de milhares de brasileiros ao ignorar as recomendações de saúde, protocolos de pesquisas com medicamentos e conhecimentos BÁSICOS de saúde: qualquer pessoa que tenha um conhecimento raso de biologia, química e estatísti…

Imprensa Gay no Brasil


No artigo "Voz da diversidade: Os discursos da imprensa gay masculina no Brasil", escrito por Gean Oliveira Gonçalves, participante do projeto de pesquisa sobre os discursos da mídia brasileira especializada na temática gay, o autor apresenta um pouco sobre a história da homossexualidade no Brasil e o nascimento da imprensa gay brasileira.

De forme sucinta, o autor explica como a temática homossexual era tratada antes de tornar-se específica no jornalismo. A temática era trabalhada em diferentes áreas e o discurso estava relacionado à construção da identidade gay no Brasil, época marcada por conceitos e pré-conceitos.

Segundo o autor, um dos papeís da mídia gay era o de desconstruir e transformar os discursos da identidade gay, que era vista como sexualidade desviante e impulsiona uma mobilização pelos direitos e pela liberação sexual. De acordo com Gean Oliveira Gonçalves, uma das propostas da mídia gay, desde o seu nascimento, era o de lutar pelo fim da discriminação e visibilidade social dos homossexuais.

No trabalho o autor cita três publicações e suas diferentes fases da mídia gay brasileira no Brasil: O Lampião da Esquina, jornal alternativo, militante e vanguardista para homossexuais surgido em 1978 e extinto em 1981; Sui Generis, nascida em 1994, a revista durou até o ano 2000 e tem como destaque o mercado GLS, um mercado segmentado para este público; e a DOM - De Outro MOdo, revista sobre comportamento e cultura gay pós-moderna.

Confira o artigo na íntegra: http://www.usp.br/alterjor/Gean_voz.pdf.

Comentários