Pular para o conteúdo principal

Destaques

Jessica Jones: Dos Defensores aos Vingadores

SPOILER: JESSICA JONES AMA LUTAR SOZINHA, mas todos heróis trombam com ela. Começaremos em Manhattan, terminaremos na América Latina, Estados Unidos e Rússia; — Jessica Jones, você é uma trapaceira. Você sempre teve muitas vantagens. Permitiram que você cometesse erro atrás de erro. Você não consegue se controlar. Você não tem disciplina. Apenas força bruta! — O que você quer? — Matar você.  — Sei quem você é. Não é um segredo. — Então, você sabe que posso quebrar sua cara? [...] Não preciso da sua ajuda, nem você da minha [...] — Quando você se junta com maníacos, pessoas ao seu redor se machucam. Todo mundo tem sua história: um começo, um meio e um fim. —Jessica Jones, você pensou que poderia salvar o mundo, mas você tem medo de ter falhado. E falhou, porque você não é e nunca será. uma heroína.  — Você ainda é uma heroína se ninguém acredita nisso? — Como se eu desse a mínima para o que os outros pensam de mim...  Leia também: Livro sobre assassinos, serial killers e psicopatas que

Sarau dos Amigos reúne cultura regional em Campo Grande


Texto: Ben Oliveira (escrito para o blog I Love MS)

Na última quinta-feira, 30 de agosto de 2012, aconteceu em Campo Grande (MS) a 56ª edição do Sarau dos Amigos, evento que reúne música, dança, arte, teatro, literatura e cultura regional. Realizado na região sul da cidade, próximo à nova rodoviária, o evento acontece toda última quinta-feira do mês e a entrada é 1 kg de alimento.

Eduardo Romero, um dos idealizadores do Sarau
dos Amigos. Foto: Hygor Benevides.
"O Sarau dos Amigos é um encontro mensal, que acontecem em toda última quinta-feira do mês, que reune pessoas da área do teatro, música, poesia, não só aqueles que fazem a arte, mas os que gostam de apreciar a arte", explica um dos organizadores, o jornalista Eduardo Romero, de 32 anos. Ainda de acordo com o jornalista, o sarau é democrático, pois permite os artistas expor suas obras, interagir com o público e conhecer o que está sendo produzido na cidade, acomapnhar ao vivo um artista pintando, teatro e outras manifestações de música e dança.

Para os artistas interessados em participar, Eduardo Romero explica que não há restrições e é de acordo com o interesse do profissional. "Qualquer artista que quiser participar do Sarau se inscreve antes para uma programação oficial, para se ter um controle do número de apresentações e também tem o espaço de palhinha, gente que chega na hora e a gente encaixa na programação", argumenta.

"O Sarau está indo para quase cinco anos de existência. É um evento feito por amigos, um ajuda emprestando o som, outro cede a casa, o outro empresta as cadeiras, outro faz os contatos que vem expor. O que a gente sonha é que cada bairro de Campo Grande possa ter um evento como esse, acontecendo, mobilizando, mostrando que Campo Grande tem identidade, manifestações e produção. Enquanto nós tivermos amigos se mobilizando, a ideia é que o Sarau continue", declara Eduardo Romero.

Terapeuta naturalista, 47 anos, Vilma Pereira Romero sediou o evento em sua casa. A mulher já participou de todas as edições do Sarau dos Amigos e acredita que já faz parte da vida dela. "Eu gosto do que acontece neste encontro de amigos, cada um faz aquilo que gosta e apresenta aquilo que gosta. Hoje mesmo convidei pessoas que estão aqui para ver o que é o Sarau. Isto deixa a gente muito feliz", comenta Vilma.
Vilma cedeu a casa para que o sarau pudesse ser realizado.
Foto: Hygor Benevides.

Para Vilma Romero, a importância do sarau está na troca de conhecimentos e cultura, um evento onde é possível conhecer pessoas e artistas, além de englobar outras questões como o meio ambiente. Em relação às pessoas que reclamam da falta de eventos culturais na cidade e não aproveitam os que tem, a terapeuta acredita que não é por falta de divulgação.  "Hoje a mídia está aí e se as pessoas procurarem vão ver que tem eventos. São pessoas acomodadas que ficam esperando. Está faltando as pessoas saírem do comodismo", acredita.
Ana Paula Romualdo participa sempre do Sarau
e acredita ser importante por conta da cultura.
Foto: Hygor Benevides.

Presente em quase todas as edições, para Ana Paula Romualdo, de 26 anos, no sarau é possível conhecer cultura e um universo diferente daquele presente no cotidiano. "Você conhece uma cultura, que muitas vezes, nós desconhecemos no dia-a-dia. Uma coisa é você ver e ouvir na televisão, outra é você estar participando como um todo e interagir com os artistas e outras pessoas", justifica Ana Paula.

Ainda de acordo com Ana Paula, o sarau melhora a cada edição e sempre traz diferentes atrações. Através do sarau, ela acredita que conseguiu interpretar melhor obras de arte e teve a possibilidade de interagir com artistas que despertam sua curiosidade. "Eu acho muito boa a iniciativa do sarau como um todo", conclui.

Comentários

Mais lidas da semana