Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Pedagoga e Neurologista dão orientações no livro Mentes Únicas

Mentes Únicas, como o próprio título do livro aponta se trata da diversidade humana existente dentro do espectro autista. A pedagoga Luciana Brites e o neurologista Clay Brites escreveram uma obra para ajudar a levar conscientização sobre o autismo. Para quem gosta de livros recentes, a obra foi publicada pela Editora Gente, em 2019.


Encontre o livro Mentes Únicas (Luciana Brites e Clay Brites): https://amzn.to/2MTHZ8a

Sempre que falamos de autismo, para quem não está por dentro da realidade, muita gente pode ter a impressão de que os pais/familiares/pessoas não vão atrás de diagnósticos porque não querem. O que muita gente não sabe e deveria saber: temos um despreparo crônico e múltiplo no Brasil... Profissionais da área de saúde e educação que sabem o básico do básico sobre o autismo, têm dificuldade de fechar o diagnóstico e/ou de identificar os traços autísticos, bem como não sabem dar as orientações por falta de conhecimento.

Essa falta de preparo da área de saúde e o desencontro …

Reportagem e Cotidiano


No artigo "A relação entre o jornalismo e o cotidiano", escrito por Leandro Junges na época em que estudava o curso de Comunicação Social da Universidade Federal de Santa Maria e publicado pelo Capes no livro "Sociedade, Mídia e Cultura" em 1996, o autor aborda a perda de espaço e identidade da reportagem no jornalismo impresso.

Segundo o artigo, um dos motivos do meio impresso ter perdido a sua identidade se deve ao meio eletrônico e o consequente reducionismo e aspecto mecanicista, faltando um contexto para explicar a complexa realidade.

Algumas características apontadas pelo autor Leandro Junges como marcas de boa parte da imprensa ajudam a entender o que acontece atualmente no cotidiano do jornalismo impresso, como a atualidade, seu caráter efêmero e falta de contextualização da história; a periodicidade, rotina e falta de tempo para a criatividade; a variedade e fragmentação; a interpretação.

Leandro Junges afirma no artigo a importância do relato do cotidiano para o entendimento das transformações sociais. Ainda de acordo com o autor, uma das formas se se relatar por meio do jornalismo se dá através da reportagem interpretativa. Mesmo com a perda de identidade, o gênero contribui com uma leitura complexa da realidade social. "A reportagem é o gênero capaz de observar os pequenos movimentos sociais e, através da contextualização, revelar, apresentar aquela realidade humana que representa o anômimo, o silencioso, o oculto, e ao mesmo tempo, o criador", descreve Leandro Junges no artigo.

Comentários

Mais lidas da semana