Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Neurociências, ajustes e discussões que vão além do social

O céu de um autista pode ser o inferno do outro. Somos diferentes em todos critérios. Cada caso é um caso.



Comparar um autista como eu, que sou camaleão e tenho autonomia com um que precise de mais apoio e tenha mais limitações sensoriais não seria justo.

Eu ressalto que todo autista deve lembrar disso quando produzir conteúdo. Não adianta achar que existe um modelo único de inclusão, se ao priorizar algumas coisas, você deixa de lado outras. Por isso, abordar a questão do autismo é algo muito complexo. Da mesma forma, que não existe um personagem da ficção ou uma pessoa autista que vai representar o espectro autista inteiro.

Os ajustes que são feitos para alguns, podem ser desajustes para outros. Por isso dizemos que existem vários autismos, independente do grau.
Do mesmo modo que não existem dois autistas iguais, não existem dois aspies iguais (pessoas com Síndrome de Asperger); não existem dois aspies com superdotação iguais (pessoas com Dupla Excepcionalidade). Somos todos diferent…

Dançurbana apresenta Singulares neste sábado

Neste sábado, 06 de outubro de 2012, às 16h30, a Cia. Dançurbana fará a última apresentação aberta de "Singulares" na Arena de Shows, próximo ao lago, do Parque das Nações Indígenas, em Campo Grande (MS). Para quem ainda não assistiu a apresentação, fica a recomendação.

O grupo de dança fez uma prévia do espetáculo "Singulares" na Orla Morena, no dia 23 de setembro, e a apresentação atraiu interessados em Dança de Rua, participantes da academia Cia. Dançurbana, além de curiosos que passavam pelo local.


No dia da prévia de Singulares aproveitei a oportunidade para fotografar. Toda a concentração e tentativas de obter boas imagens impossibilitaram que eu pudesse acompanhar o espetáculo com total atenção, mas foi o suficiente para que eu sentisse vontade de assistir novamente a apresentação, mas desta vez na íntegra.

Foi no dia 29 de setembro de 2012 que pude assistir com mais atenção Singulares e conferir todo o resultado final dos ensaios, dedicação, paixão e esforços de cada um dos intérpretes. Talvez mais do que a questão particular de cada um dos intérpretes, ou seja, suas singularides, uma das palavras que me vieram à cabeça na hora em que assistia a apresentação foi "companheirismo". Penso eu que nada daquilo seria possível sem o trabalho em grupo realizado. Todas as horas de ensaio teriam sido jogadas fora se todas as características individuais não conseguissem formar algo maior, melhor e mais belo como foi possível observar no espetáculo.

Comemorando os dez anos da Cia. Dançurbana, através do espetáculo foi possível perceber o por quê do nome escolhido ser "Singulares" e do reforço da adaptação da frase do poeta Tom Jobim: "é impossível ser (feliz) sozinho", já que mesmo diferentes e únicos, quando eles estão juntos e dançando se tornam um só.

Confira abaixo o teaser de Singulares:



Para mais fotos da prévia de singulares, acesse: http://www.flickr.com/photos/benoliveira/sets/72157631609181519/

Comentários

  1. Cara, eu queria tanto ter ido assistir :( Fiquei sabendo que foi o máximo, e tenho certeza que foi.
    http://simplismentemenina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana