Pular para o conteúdo principal

Destaques

Diversidade Invisível: Assista a palestra com autista diagnosticada aos 35 anos

Nos últimos anos, houve um aumento da disseminação de informações sobre autismo na internet. Embora a visão de profissionais da saúde seja importante, muitos autistas têm contado o seu lado da história. Na palestra Invisible Diversity, a redatora freelancer e vlogger Carrie Beckwith-Fellows compartilha sua história de como foi diagnosticada aos 35 anos e de como isso a possibilitou enxergar a vida através de uma nova perspectiva.


Carrie conta sobre os inúmeros diagnósticos errados que recebeu ao longo da vida. Para quem não sabe. além de ser difícil encontrar profissionais que entendam de autismo em muitos países, como alguns autistas aprendem a mascarar seus traços autísticos ao longo da vida, ainda é complicado para algumas pessoas reconheceram que estão no espectro autista e/ou encontrar quem possa fechar o diagnóstico formal.

“Existe um grupo de pessoas de voz única, cuja grande diversidade está tão bem escondida que é invisível, mesmo para elas mesmas [...] As pessoas autistas vee…

Palestra de Jornalismo Rural com Edevaldo Nascimento


Texto: Ben Oliveira

O jornalista Edevaldo Nascimento da TV Morena ministrou uma palestra sobre Jornalismo Rural na manhã desta sexta-feira, 9 de novembro de 2012, durante o último dia do evento PropUP - Eleve suas ideias, no auditório da biblioteca da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), em Campo Grande (MS).

Desafios do Jornalismo Rural foram abordados por Edevaldo
Nascimento durante palestra na UCDB. Foto: Hygor Benevides.
Edevaldo Nascimento compartilhou algumas informações sobre o meio rural de Mato Grosso do Sul, como por exemplo, nos anos de 1980 e 1990, o estado chegou a ter 25 milhões de cabeças de bois e atualmente possui 20 milhões e 500 mil animais.

O jornalista também falou sobre as culturas de milho de MS, o milho verão que foi a principal safra do estado e perdeu espaço para a soja, por conta da produtividade, e o milho safrinha. "O estado teve uma queda de produção de soja por conta da estiagem no sul do Mato Grosso do Sul e este ano, a produção do milho ultrapassou a de soja", acrescenta.

Segundo Edevaldo Nascimento, o jornalismo rural é vasto e possui divisões internas e especializadas. O palestrante explicou que esta especialização do jornalista é necessária, pois o produtor de hoje está cada vez mais antenado e querendo mostrar os seus produtos para obterem algum retorno.

Mais do que contar histórias, função do jornalista, para Edevaldo Nascimento, o profissional precisa saber ouvir, entender, estudar e conhecer o público-alvo, pesquisando, por exemplo, o que o produtor quer, o que é importante para ele e entender a sazonalidade do mercado. Segundo o palestrante, no jornalismo rural o produtor é visto como o herói da história. "É ele quem acorda cedo para plantar, colher, comercializar e renovar o clico da vida no campo", justifica.

Ainda de acordo com Edevaldo Nascimento, o jornalista precisa estar preparado para fazer qualquer tipo de reportagem.  "Se você não ler, você não vai saber escrever. E não é só escrever para o seu público, mas saber escrever para um todo", alerta. Se o jornalista não entende o que o entrevistado está dizendo, não tem como ele transmitir as informações. Apesar de cada jornalista ter o seu estilo próprio, o profissional deve saber adequar de acordo com o produto em que está escrevendo e entender a linguagem do campo, no caso do jornalismo rural.

"O agronegócio é importante para a economia mundial, para a nossa economia... O mundo precisa de alimento, energia, combustível, vestiário, habitação... o Agronegócio está diretamente ligado as nossas necessidades diárias", o jornalista explicou.

Engana-se quem acha que produção e produtividade significam a mesma coisa. Edevaldo Nascimento argumentou que o conceito de produção está relacionado ao que rendeu no total de uma propriedade, município, estado ou país, e o de produtividade voltado ao rendimento por hectare.

Organizado pelo curso de Publicidade e Propaganda da UCDB e pela Agência Experimental Mais Comunicação, durante os três dias de eventos fizeram parte da programação palestras e oficinas sobre diferentes temas relacionados à comunicação, jornalismo, publicidade e marketing.

Comentários

Mais lidas da semana