Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Resenha Lola e o garoto da casa ao lado – Stephanie Perkins


Texto: Ben Oliveira

Lola e o garoto da casa ao lado é o nome do livro escrito pela mesma autora de Anna e o Beijo Francês, Stephanie Perkins, publicado no Brasil pela editora Nova Conceito, em 2012. O livro conta a história de uma menina apaixonada pelo seu namorado roqueiro, Max, um bad boy, cujos pais não aprovam o relacionamento da garota, porém a vida dela vira de pernas pro ar quando os gêmeos Bell, seus antigos vizinhos retornam para a casa em que moravam.

Narrado em primeira pessoa do singular, Lola e o garoto da casa ao lado traz alguns ingredientes em seu enredo que deixam a história mais interessante, como a protagonista ser filha adotiva de um casal de pais gays e filha biológica da irmã de um dos seus pais.

Para quem gostou do primeiro livro lançado por Stephanie Perkins, em Lola e o garoto da casa ao lado, os personagens Anna e St. Clair estão de volta. Lola sente inveja do relacionamento entre os dois, mesmo quando estava namorando com Max, até descobrir que pode ter algo tão bom quanto o namoro dos amigos.

Quem nunca teve uma paixão – platônica ou não – pelo vizinho? A vida de Lola estava boa e o relacionamento com Max também, até a garota dar de cara com Cricket Bell, seu vizinho e antiga paixão.

Lola sempre foi apaixonada por Cricket e teve o seu coração quebrado, além de nutrir um sentimento de inveja e admiração por Calliope, irmã dele e patinadora profissional.

Não são só os pais de Lola que não gostam de seu namorado Max. Lindsey, Anna e St. Clair também sentem que algo está errado no relacionamento entre os dois. O leitor fica entretido com o livro e torcendo para que a protagonista fique ao lado de sua antiga paixão, o vizinho que nunca a esqueceu.

Embarque nessa leitura, onde você é atraído para uma viagem de autodescoberta, crises e paixões da adolescente Lola, e só conseguirá deixar o livro de lado quando chegar na última página. Stephanie Perkins prova com seus livros que uma boa história não precisa de um enredo complexo e que com uma linguagem simples, é possível cativar quem está lendo do começo ao fim.

Comentários

Mais lidas da semana