Pular para o conteúdo principal

Destaques

Fake News de Saúde e Autismo: 10 Desafios de Combater o Charlatanismo

Estou só fazendo meu papel como jornalista de levar informações confiáveis. Para quem simpatiza com terapias sem comprovação científica que alegam curar o autismo, não leve para o lado pessoal. Se quiser levar, também já é uma questão sua para resolver internamente ou em terapia.


Repito: Até o momento, QUALQUER tratamento que alegue curar o autismo está sendo fraudulento. O autismo é condição neurobiológica para a vida. O que existem são pesquisas inconclusivas, gente que mente na cara de pau e/ou não tem conhecimento sobre neurociências.

Todo profissional de saúde tem dever ético de alertar sobre tratamentos falsos. Se a pessoa não alerta e ainda promete curas, abra os olhos.

Recomendo mais leitura sobre o assunto para ser menos enganado: mais livros sérios sobre autismo (nem todo livro é bom), mais pesquisas e estudos, mais conteúdos produzidos por organizações INTERNACIONAIS de autismo.

Desde que o autismo foi descoberto, teorias infundadas foram levantadas, especialmente por profiss…

Ilha das Flores – Curta-metragem brasileiro sobre os contrastes sociais

Ilha das Flores é um documentário sobre os contrastes das classes sociais por causa da economia e como a comida descartada por uns pode ser o alimento de outros. Apesar do nome sugerir um lugar lindo, exótico e ecológico, o espectador vê imagens de um depósito de frutas e verduras inutilizadas que algumas mulheres e crianças carentes coletam para se alimentarem.

Curta-Metragem Ilha das FloresTudo começa com a história de um plantador de tomates e como esse fruto vai parar no supermercado, gerando lucro para o homem. Depois disso o tomate é comercializado para uma revendedora de perfumes que o leva para sua casa e prepara uma refeição com eles. No entanto, um dos produtos está estragado, sendo levado para o lixão e reaproveitado por um fazendeiro na nutrição de seus porcos. Os mesmos tomates (alimentos) rejeitados pela mulher e pelos porcos é fonte de sobrevivência de famílias pobres.

O documentário é uma crítica ao consumo e ao desperdício, mostrando que muitas das coisas desperdiçadas por nós podem ser usadas para quem precisa e não tem condições de compra-las. As imagens e a narrativa do curta-metragem Ilha das Flores revelam o que muitos fazem questão de não enxergar ou se importar, como sobrevive em condições deploráveis a população que mora em lugares isolados (próximos aos lixões) e não possuem emprego ou condições financeiras para ter qualidade de vida.

O documentarista dialogo com o espectador através da repetição constante do que já foi contado, de maneira ácida. Além de trazer informações científicas que podem contribuir para a construção do conhecimento, o documentário leva a reflexão sobre um assunto tão importante e indiferente à sociedade capitalista. O dinheiro utilizado para o consumo desenfreado de tecnologias e outros produtos com um um curto prazo de valida é o mesmo que faz falta para quem não tem um real no bolso para sobreviver.

Mais do que explorar a realidade de mulheres que catam alimentos estragados para suas famílias, a pobreza sem maquiagem e o contraste com o mundo globalizado abordados no filme Ilha das Flores chama a atenção para a necessidade de assistência para essas pessoas.

Sobre o documentário Ilha das Flores – escrito e dirigido por Jorge Furtado, em 1989, o curta-metragem brasileiro ganhou diversos prêmios de cinema. O elenco conta com a participação de Júlia Barth, Paulo José e Ciça Reckziegel.

Assista ao documentário completo Ilha das Flores, de Jorge Furtado

Comentários

Mais lidas da semana