Pular para o conteúdo principal

Destaques

Para Toda a Eternidade: Livro explora rituais funerários diversos

Entre a naturalidade e o espanto, o tradicional e o moderno, o ocidental e o oriental, Caitlin Doughty transmite ao leitor histórias de suas visitas a espaços e profissionais envolvidos com o universo mortuário. Uma das obras pedidas por quem já tinha lido Confissões do Crematório, o novo livro foi publicado no Brasil pela editora DarkSide Books, em junho de 2019, com tradução de Regiane Winarski e ilustrações de Landis Blair.


Compre o livro Para Toda a Eternidade (Caitlin Doughty): https://amzn.to/2R2FwqN

“Eu passei a acreditar que os méritos de um costume relacionados à morte não são baseados em matemática [...] mas em emoções, numa crença na nobreza única da própria cultura da pessoa. Isso quer dizer que consideramos os rituais de morte selvagens apenas quando eles não são como os nossos” – Caitlin Doughty, Para Toda a Eternidade
Dá para ler tranquilamente Para Toda a Eternidade sem ter lido Confissões do Crematório, mas acredito que as duas leituras são complementares. Enquanto na p…

Eu Vi o Sol Brilhar em Toda Sua Glória será apresentado em Campo Grande (MS)

O espetáculo Eu Vi o Sol Brilhar em Toda Sua Glória, de São Paulo, irá ser apresentado nesta quarta-feira, 11 de setembro, às 20h30, em Campo Grande (MS), no Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo. A peça faz parte da I Mostra de Teatro Ofit Cena Contemporânea.

Espetáculo Eu Vi o Sol Brilhar em Toda Sua Glória. Foto: Divulgação

Com duração de 50 minutos e classificação a partir de 14 anos, o espetáculo foi criado por João Paulo Lorenzon e inspirado no universo do escritor e poeta argentino Jorge Luis Borges. A equipe conta com co-direção de Karin da Hora e desenho de luz de Lúcia Chedieck.

Sinopse: Apoiado em imagens de contos e fragmentos da vida do escritor, o espetáculo foi construido em dois anos de pesquisa, desejando estabelecer um diálogo com o autor. Um diálogo reflexivo sobre a fronteira do real e do imaginário, da memória e do esquecimento, da eternidade e da finitude, para nos perguntar sobre as perdas que nos constituem. Memória: esta é a viagem a que se propõe o espetaculo. Memória: o ponto de partida ou de chegada ou os dois. E nela as transformações da imaginação e da realidade. Um homem vê o infinito atraves de um ponto de luz e nao consegue mais regressar em si. nao pode voltar à sua antiga vida porque nao consegue mais parar de ver e lembrar. Como é nao poder mais esquecer?

O espetáculo foi indicado a dois prêmios Shell – Melhor ator João Paulo Lorenzon e Melhor iluminação Lúcia Chedieck e convidado pelo Centro de Artes Cênicas da Funarte para participar do Ano do Brasil em Portugal, em Lisboa.

A Mostra de Teatro Ofit Cena Contemporânea está sendo promovida pela Associação Cultural Oficina de Interpretação Teatral (OFIT), com patrocínio do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Serviço – Ingressos serão vendidos a R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). O Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo fica na Rua 26 de Agosto, 453, entre a 14 de Julho e a Calógeras. Recomenda-se chegar com meia hora de antecedência. Não será permitida a entrada após o início do espetáculo.

Confira a programação da I Mostra de Teatro Ofit Cena Contemporânea 

*Com informações da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul

Comentários

Mais lidas da semana