Pular para o conteúdo principal

Destaques

Murder By The Coast: Documentário espanhol da Netflix sobre casos de jovens assassinadas traz dilemas éticos

Murder By The Coast (Homicídio na Costa do Sol/El caso Wanninkhof - Carabantes) é um ótimo documentário de crimes para quem deseja entender os impactos do julgamento antecipado pela imprensa sobre casos mal investigados, influenciando a opinião pública, quando só existem indícios, mas nenhuma prova. Lançado pela Netflix em 2021, o filme espanhol foi dirigido por Tània Balló e roteirizado por Gonzalo Berger . Em mais de 20 anos, muita coisa mudou no mundo. Mas há outras que ainda servem como ótimo exemplo de erros e acertos, especialmente no que diz respeito aos casos criminais, opiniões públicas, preconceitos e faltas de evidências. O documentário traz o caso da adolescente Rocío Wanninkhof que foi assassinada em 1999 e na ansiedade para encontrar um culpado, diante da falta de informações concretas, tudo toma um rumo que se fossem contar, poderiam jurar que se trata de um enredo de ficção. Os depoimentos de profissionais envolvidos ou que estudaram o caso só enriquecem o documentári

Eu Vi o Sol Brilhar em Toda Sua Glória será apresentado em Campo Grande (MS)

O espetáculo Eu Vi o Sol Brilhar em Toda Sua Glória, de São Paulo, irá ser apresentado nesta quarta-feira, 11 de setembro, às 20h30, em Campo Grande (MS), no Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo. A peça faz parte da I Mostra de Teatro Ofit Cena Contemporânea.

Espetáculo Eu Vi o Sol Brilhar em Toda Sua Glória. Foto: Divulgação

Com duração de 50 minutos e classificação a partir de 14 anos, o espetáculo foi criado por João Paulo Lorenzon e inspirado no universo do escritor e poeta argentino Jorge Luis Borges. A equipe conta com co-direção de Karin da Hora e desenho de luz de Lúcia Chedieck.

Sinopse: Apoiado em imagens de contos e fragmentos da vida do escritor, o espetáculo foi construido em dois anos de pesquisa, desejando estabelecer um diálogo com o autor. Um diálogo reflexivo sobre a fronteira do real e do imaginário, da memória e do esquecimento, da eternidade e da finitude, para nos perguntar sobre as perdas que nos constituem. Memória: esta é a viagem a que se propõe o espetaculo. Memória: o ponto de partida ou de chegada ou os dois. E nela as transformações da imaginação e da realidade. Um homem vê o infinito atraves de um ponto de luz e nao consegue mais regressar em si. nao pode voltar à sua antiga vida porque nao consegue mais parar de ver e lembrar. Como é nao poder mais esquecer?

O espetáculo foi indicado a dois prêmios Shell – Melhor ator João Paulo Lorenzon e Melhor iluminação Lúcia Chedieck e convidado pelo Centro de Artes Cênicas da Funarte para participar do Ano do Brasil em Portugal, em Lisboa.

A Mostra de Teatro Ofit Cena Contemporânea está sendo promovida pela Associação Cultural Oficina de Interpretação Teatral (OFIT), com patrocínio do Fundo de Investimentos Culturais da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul.

Serviço – Ingressos serão vendidos a R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). O Teatro Aracy Balabanian do Centro Cultural José Octávio Guizzo fica na Rua 26 de Agosto, 453, entre a 14 de Julho e a Calógeras. Recomenda-se chegar com meia hora de antecedência. Não será permitida a entrada após o início do espetáculo.

Confira a programação da I Mostra de Teatro Ofit Cena Contemporânea 

*Com informações da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul

Comentários

Mais lidas da semana