Pular para o conteúdo principal

Destaques

Neurodiversidade: Autismo não só biológico ou só identidade social

A Neurodiversidade dá um tiro no pé ao tratar o autismo como algo meramente social (identidade social), ignorando as particularidades neurobiológicas de CADA autista. Mas o extremismo científico também erra ao ver como algo meramente biológico, ou até mesmo patológico.


O ideal seria ver o melhor dos dois mundos, algo impossível diante da polarização. Todo mundo sai perdendo.

É utopia esperar que a sociedade vá se adequar completamente aos autistas, especialmente porque cada autista pode ser completamente diferente do outro. O ambiente adaptado para um autista, é o ambiente desadaptado para o outro – isso entre os próprios autistas.

Enquanto as pessoas continuarem tratando o autismo como algo 'universal', ignorando as especificidades, esse debate não vai para frente.

O Asperger que não precisa interagir com os outros, não precisa trabalhar, não precisa fazer nada que o tire da zona de conforto, talvez não sinta muita dificuldade em viver em um mundo não adaptado. Mas não é a re…

Sociologia e Escrita: Dicas para Estudantes de Pós-Graduação

Um bom sociólogo é um bom escritor: Dicas, princípios, observações e conselhos não convencionais para os estudantes de pós-graduação, trabalho desenvolvido por Harry G. Levine, do Departamento de Sociologia, da Queens College e Centro de Pós-Graduação da Universidade de Nova York, traduzido para o português por Pedro Jorge Chaves Mourão.

O texto fala sobre a experiência de Harry Levine com a sociologia e a relação da área de estudo e pesquisa com a escrita. Durante um seminário para estudantes de doutorado no centro de pós-graduação da University of New York, Harry deixou algumas dicas para os estudantes.

No artigo, Harry Levine explica que para se tornar um bom escritor para um sociólogo é algo inteligente, já que a profissão utiliza a escrita como ferramenta. Segundo o autor, o sociólogo que escreve bem consegue se diferenciar dos outros profissionais da área e publicar o seus pensamentos em forma de livro.

Entre as dicas deixadas estão: escreva com clareza, escreva na voz ativa, organize bem o seu texto, dê o seu trabalho para várias pessoas lerem, a boa escrita vem da reescrita, edite o trabalho de outras pessoas, pesquise dados, encontre um modelo de formato de pesquisa e leia periodicamente.

Apesar do texto ser voltado para estudantes e profissionais de sociologia, o conhecimento compartilhado por Harry pode ser aproveitado para escritores de ficção e não ficção, jornalistas e estudantes e profissionais de outras áreas, como Filosofia, Jornalismo e Letras.

O trabalho na íntegra está disponível na página Ciência Social Ceará e foi traduzido pelo Professor de Ciências Sociais, Pedro Mourão.

Confira: Um bom sociólogo é um bom escritor

Comentários

Mais lidas da semana