Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Neurociências, ajustes e discussões que vão além do social

O céu de um autista pode ser o inferno do outro. Somos diferentes em todos critérios. Cada caso é um caso.



Comparar um autista como eu, que sou camaleão e tenho autonomia com um que precise de mais apoio e tenha mais limitações sensoriais não seria justo.

Eu ressalto que todo autista deve lembrar disso quando produzir conteúdo. Não adianta achar que existe um modelo único de inclusão, se ao priorizar algumas coisas, você deixa de lado outras. Por isso, abordar a questão do autismo é algo muito complexo. Da mesma forma, que não existe um personagem da ficção ou uma pessoa autista que vai representar o espectro autista inteiro.

Os ajustes que são feitos para alguns, podem ser desajustes para outros. Por isso dizemos que existem vários autismos, independente do grau.
Do mesmo modo que não existem dois autistas iguais, não existem dois aspies iguais (pessoas com Síndrome de Asperger); não existem dois aspies com superdotação iguais (pessoas com Dupla Excepcionalidade). Somos todos diferent…

Filme Questão de Tempo

O filme Questão de Tempo (About Time), lançado em dezembro de 2013 no Brasil, escrito e dirigido por Richard Curtis e estrelado por Domhnall Gleeson, Rachel McAdams e Bill Nighy, conta a história do pai de um jovem que conta para ele que os homens de sua família têm a habilidade de viajarem no tempo. Tudo o que ele precisa fazer para voltar para outros anos é ficar em um quarto escuro, fechar os olhos e imaginar para qual momento da vida gostaria de ter voltado.

A princípio, o protagonista Tim (Domhnall Gleeson) usa sua habilidade de viajar no tempo para mudar momentos de sua vida que gostaria de melhorar, numa tentativa de descobrir o que poderia ter feito para ficar mais satisfeito. Tim se apaixona por uma amiga e tenta várias vezes ficar com ela, mas independente da época em que eles se conhecem, é como se eles não estivessem destinados a ficarem juntos.

Tim viaja para Londres, faz novas amizades e se apaixona novamente, desta vez por Mary (Rachel McAdams). Porém, para ajudar o dramaturgo com quem ele morava junto, Tim volta no tempo para ajuda-lo e acaba não tendo conhecido Mary. Para encontra-la, ele vai ao lugar em que a viu pela primeira vez, mas já não está lá e, então, Tim tenta se lembrar de tudo o que conheceu da mulher para reencontra-la.

O protagonista se torna obsessivo em consertar e melhorar os seus momentos, viajando constantemente pelo tempo para repetir as mesmas cenas, quando aprende o que poderia fazer para se sair por cima. Chega a ser irritante como Tim nunca está 100% satisfeito e sente necessidade de fazer tudo de novo. Seu perfeccionismo o ajuda a reconquistar a mulher dos seus sonhos, a casar com ela e ter filhos, porém como é possível perceber em uma cena do filme em que Mary está irritada e não quer que ele saia de lá, Tim transforma sua habilidade em uma fuga para evitar tudo o que não o agradou.

Ao mesmo tempo em que Tim realiza suas viagens pelo tempo, o espectador acompanha seus dramas e o seu desenvolvimento e descobre junto com ele que, às vezes, não importa idealizar como você gostaria que fosse alguma coisa, mesmo se tentar muda-la, ela vai permanecer a mesma ou diferente, mas quase nunca como você imaginava – mesmo que você tente controlar os fatores.
Questão de Tempo é um filme de drama e romance que no meio de sua trama envolvente acaba transmitindo algumas lições para o espectador sobre como aproveitar melhor cada minuto de sua vida, como se fosse o último, pois mesmo se fosse possível viajar no tempo, há coisas que não podem ser mudadas e basta uma intervenção para todo o resto ficar diferente. Portanto, o filme aborda a imprevisibilidade da vida e a necessidade de desfrutar cada acontecimento como se você já tivesse retornado ao tempo e agido exatamente como gostaria que fosse.

Nas últimas cenas de Questão de Tempo, o espectador é brindado com algumas reflexões feitas pelo protagonista e pelo seu pai, conselhos de como Tim poderia viver mais feliz, sem precisar usar sua habilidade sempre e aceitar que não importa quantas vezes você viva alguma coisa ou quanta experiência você tenha adquirido ao longo da vida, você nunca vai estar totalmente preparado para algumas mudanças. Portanto, faça sempre o que gostaria de ter feito e tente sempre encontrar o lado bom da vida, mesmo nos momentos de dificuldade, afinal, o tempo não volta.

Confira o trailer do filme Questão de Tempo:

Comentários

  1. Olá Ben, passei para dar um alô no fim da noite. Boa resenha, bem dimensionada, clara e coerente. Parabéns.
    Robert Thomaz

    ResponderExcluir
  2. Olá, Robert! Muito obrigado por sua visita e comentário.
    Vale a pena assistir ao filme Questão de Tempo.
    Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana