Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Responsabilidade e experiência como moderador de grupo

Quando eu fui moderador de um grupo de autismo com milhares de pessoas (mais de 18 mil, se não estou enganado, sem falar as centenas de solicitações em espera), eu removia comentários e posts sobre tratamentos falsos e pessoas tentando promover eventos DUVIDOSOS de autismo (existem muitos).


Não importava se estava escrito nas regras, um post ou outro sempre passava, porque nem todo mundo tinha a mesma compreensão sobre pseudotratamentos e autismo e um dos moderadores sempre liberava.

Todo moderador/administrador tem responsabilidade sobre o que acontece dentro de um grupo, página, blog, que seja.

Eu e a Rivotrip​ chegamos a bater boca com anti-vacinas na madrugada. Fomos os últimos moderadores autistas do grupo. O resto era familiar.

Se no seu grupo passam vários podres e você não está moderando, você pode se sujar junto. É algo que vai além da imagem e credibilidade, especialmente quando se tratam de tratamentos proibidos e perigosos.

Mais consciência e responsabilidade.

Para as pess…

Lançamento: Romance lésbico As Rosas e a Revolução

A escritora Karina Dias realiza o lançamento do seu novo livro As Rosas e a Revolução, no dia 24 de abril, às 18h30, na Livraria Blooks, do Shopping Frei Caneca, em São Paulo e no dia 02 de maio, às 18h, na Livraria Cultura, Cine Vitória, do Rio de Janeiro. O romance aborda um relacionamento entre duas mulheres durante a ditadura militar.

Depois do sucesso dos livros “Aquele dia junto ao mar” e “Diário de uma garota atrevida”, Karina Dias, autora de literatura homoafetiva, traz para o público uma nova trama cheia de suspense e emoção, desta vez, ambientada no período da ditadura militar brasileira. De forma instigante, capaz de seduzir o mais exigente leitor, “As Rosas e a Revolução” faz um traçado entre passado e presente e nos conduz a uma viagem incrível pelos meandros da história da filha de um coronel linha-dura do Exército brasileiro.

Sinopse do livro: O ano é 1968. Aos 17 anos, Vilma, a filha perfeita e despolitizada do coronel Solano aceita um convite que mudará a sua vida para sempre. Decide acompanhar a amiga Maristella em um passeio no restaurante estudantil Calabouço, no Rio de Janeiro. Queria ver de perto como eram os cabeludos comunistas que o pai tantas vezes praguejava. Viu muito mais. Testemunhou a invasão policial do Calabouço. Assistiu à morte do estudante Edson Luís de Lima Souto e foi resgatada do terror por uma militante da UNE, por quem se apaixonou perdidamente. E a saga começa...

Ao retratar o cotidiano atual, assim como um passeio pelo cenário da história brasileira desde a década de sessenta, a narrativa nos afeta a ponto de não conseguirmos deixar de virar a próxima página. Ficção e realidade se complementam. Com os olhos de Vilma deslumbramos o amor sem a venda do preconceito, assim como mergulhamos, de forma lúdica, num período em que “Edsons” morriam, desapareciam, ou tinham os sonhos aprisionados dentro das grades do Dops ou nos braços das guerrilhas. Episódios como a Batalha da Maria Antônia, o Congresso Clandestino da UNE, em Ibiúna; a Anistia de 1979, a luta das Diretas Já!; o respirar lento e gradual da democracia brasileira, não fogem ao encantamento proporcionado pela estilo de escrita da autora que consegue transformar o leitor em um confidente de seus protagonistas.

Quando você abrir este livro, perceberá que as linhas tênues de um diário unirão para sempre a vida de Miguel, Vilma, Hanna, Anita e a sua.

Sobre a autora – Karina Dias é o pseudônimo de Eliana Natividade. É escritora, jornalista e pesquisadora. Nasceu na cidade do Rio de Janeiro, mas reside em São Paulo. Autora dos livros Aquele dia junto ao mar e Diário de uma garota atrevida, publicados pela Editora Brejeira Malagueta. Em 2011, participou da primeira antologia de literatura lésbica da América Latina, Voces para Lilith, com a publicação em espanhol do conto Al encuentro del amor. Em 2014, integra o grupo de autores selecionados para a coletânea Orgias Literárias da Tribo. Na Internet, publicou doze histórias, entre elas, De repente é amor, Encontros e Desencontros e Simplesmente irresistível. Atualmente faz Mestrado em Jornalismo Contemporâneo, na Faculdade Cásper Líbero, e é membro do Grupo de Pesquisa do CNPQ Comunicação e Sociedade do Espetáculo.

As Rosas e a Revolução já está disponível para pré-venda no site da escritora Karina Dias, onde também é possível ler o primeiro capítulo do livro e encontrar o link para compra dos outros livros da autora: Diário de uma garota atrevida e Aquele dia junto ao mar.

Confira: entrevista realizada pelo blog Meu Prazer Literário com a escritora Karina Dias sobre a literatura para lésbicas.

Karina Dias também concedeu uma entrevista para a Rádio CBN sobre o seu novo romance.

*Informações Assessoria de Imprensa

Comentários

Mais lidas da semana