Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Cremilda Medina ministra conferência sobre narrativas na Universidade de Sorocaba

No dia 26 de maio, segunda-feira, a partir das 14h, o Grupo de Narrativas Midiáticas (NAMI) do Programa de Mestrado em Comunicação e Cultura da Uniso (Universidade de Sorocaba) recebe a Profa. Dra Cremilda Medina, que ministrará a conferência "Narrativas da Contemporaneidade".

Capa do livro Atravessagem, da jornalista e
pesquisadora Cremilda Medina. Foto: Divulgação.
Na oportunidade, ela lançará o livro Atravessagem: Reflexos e Reflexões na Memória de Repórter (Summus Editorial). Atravessagem mescla reflexões sobre a profissão de repórter e grandes reportagens realizadas por ela durante a carreira da jornalista, pesquisadora, professora e jornalista.

Sobre Cremilda Medina – Nascida em Portugal, Medina deixou o Porto ainda pequena com a família, que se estabeleceu em Porto Alegre (RS). Formada em jornalismo e em letras pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, atuou como jornalista, profissão que seguiu praticando ao chegar em São Paulo em 1971 -- onde foi editora de artes e cultura do jornal O Estado de S. Paulo (1975-1985).  Autora de 15 livros sobre comunicação e literaturas de língua portuguesa, organizou 52 coletâneas sobre diferentes temáticas.

Atualmente é professora titular da Universidade de São Paulo, onde realizou o mestrado (1975), o doutorado (1986), a livre-docência (1989) e a titularidade (1993). Na USP, é orientadora de dois cursos de pós-graduação – Ciências da Comunicação, na Escola de Comunicação e Artes, e Prolam (Programa Latino-Americano de Pós-Graduação).

Onde: Auditório do Bloco D – Universidade de Sorocaba (UNISO)
Cidade Universitária – Rodovia Raposo Tavares, km, 92,5
Sorocaba - SP

Informações: Tel.: (15) 2101-7104 (de segunda à sexta-feira, das 9h às 17h).

*Informações das Profas. Dras. Miriam Cristina Carlos Silva, Monica Martinez e Tarcyanie Cajueiro (NAMI) / Programa de Mestrado em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba – UNISO

Comentários

Mais lidas da semana