sexta-feira, 11 de julho de 2014

Resenha: Técnicas de Comunicação Escrita – Izidoro Blikstein

Qualquer pessoa que estude, se interesse ou trabalhe com Comunicação precisa estar sempre se atualizando e procurando aprender mais. Esta semana li o livro Técnicas de Comunicação Escrita, do autor Izidoro Blikstein, de 104 páginas, publicado em 2002, pela Editora Ática. A obra integra a série Princípios, que, aliás, tem uns títulos bem bacanas para quem deseja aprender alguns conteúdos discutidos em cursos de graduação, de forma simples e objetiva.

No início do livro, o leitor acompanha um mal entendido, em forma de narrativa. Um chefe deixa um bilhete para sua funcionária comprar uma passagem para ele, à noite, para o Rio de Janeiro, mas ela entende tudo errado, não por sua incompetência, e sim pelas possibilidades múltiplas de interpretar a mensagem.

Então, se apropriando da fala da secretária, o autor explica quais foram os erros cometidos pelo chefe e orientando que alterações poderiam ser feitas para que a mensagem ficasse clara, como a ordem das palavras e a posição das vírgulas que deixaram o bilhete com duplo sentido.

Izidoro Blikstein questiona: “O que é escrever bem?”. Ao longo do livro, ele usa o exemplo do bilhete e outras situações práticas para abordar como a boa comunicação escrita pode fazer toda a diferença e a importância de aprender a dominá-la. Segundo o autor, um bom texto evita os erros gramaticais, a falta de clareza e deselegância.

O autor ensina três segredos da comunicação escrita: Provocar uma reação ou resposta através de uma mensagem correta; tonar comum para que o receptor entenda a mensagem; estimular ou persuadir para produzir a resposta.

“Ninguém é obrigado a adivinhar quais são os nossos pensamentos, desejos, projetos, problemas, necessidades etc. Nós é que devemos transmitir aos outros as ideias e necessidades que há em nossa mente” – trecho do livro Técnica de Comunicação Escrita (Izidoro Blikstein)

Segundo Blikstein, como a mensagem precisa de um veículo para ser transmitida, ela corre o risco de sofrer interferências, como a física, cultural (relacionadas ao contexto cultural do receptor) e psicológicas (antipatia, aspereza, entre outras).

O livro apresenta a estrutura e funcionamento da comunicação (remente, mensagem, destinatário, resposta) abordando cada uma das partes do processo, de forma bem simples, além de acrescentar a codificação e descodificação. Blikstein comenta que a maneira que o destinatário vai descodificar a mensagem escrita depende da experiência e grau de conhecimento dele. A obra também comenta a importância de saber analisar a bagagem cultural do outro antes de produzir a mensagem e de evitar o estereótipo, pois o mesmo pode conduzir a um “conhecimento deformado dos indivíduos”.

Na última parte da obra, Izidoro dá algumas dicas de ganchos para quem deseja agarrar o leitor, como: produzir, inicialmente, mensagens que não exijam grande esforço (frias), para depois complementar com mais aprofundadas (quentes); utilizar imagens e gráficos quando necessário para facilitar o entendimento do receptor, além de usar ruídos quando necessário para impactar o leitor, como frases em títulos de notícias e propagandas que despertam o interesse de quem está lendo.


Técnicas de Comunicação Escrita é um livro didático e introdutório para quem deseja aperfeiçoar sua produção textual e diminuir as interferências e possíveis problemas relacionados ao correto entendimento da mensagem. Ideal para acadêmicos de Comunicação Social e pessoas de qualquer área de atuação e estudo que se interessam pelo aprendizado, afinal, comunicar-se bem é algo fundamental independente da profissão ou graduação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram