Pular para o conteúdo principal

Destaques

Diversidade Invisível: Assista a palestra com autista diagnosticada aos 35 anos

Nos últimos anos, houve um aumento da disseminação de informações sobre autismo na internet. Embora a visão de profissionais da saúde seja importante, muitos autistas têm contado o seu lado da história. Na palestra Invisible Diversity, a redatora freelancer e vlogger Carrie Beckwith-Fellows compartilha sua história de como foi diagnosticada aos 35 anos e de como isso a possibilitou enxergar a vida através de uma nova perspectiva.


Carrie conta sobre os inúmeros diagnósticos errados que recebeu ao longo da vida. Para quem não sabe. além de ser difícil encontrar profissionais que entendam de autismo em muitos países, como alguns autistas aprendem a mascarar seus traços autísticos ao longo da vida, ainda é complicado para algumas pessoas reconheceram que estão no espectro autista e/ou encontrar quem possa fechar o diagnóstico formal.

“Existe um grupo de pessoas de voz única, cuja grande diversidade está tão bem escondida que é invisível, mesmo para elas mesmas [...] As pessoas autistas vee…

Resenha: Técnicas de Comunicação Escrita – Izidoro Blikstein

Qualquer pessoa que estude, se interesse ou trabalhe com Comunicação precisa estar sempre se atualizando e procurando aprender mais. Esta semana li o livro Técnicas de Comunicação Escrita, do autor Izidoro Blikstein, de 104 páginas, publicado em 2002, pela Editora Ática. A obra integra a série Princípios, que, aliás, tem uns títulos bem bacanas para quem deseja aprender alguns conteúdos discutidos em cursos de graduação, de forma simples e objetiva.

No início do livro, o leitor acompanha um mal entendido, em forma de narrativa. Um chefe deixa um bilhete para sua funcionária comprar uma passagem para ele, à noite, para o Rio de Janeiro, mas ela entende tudo errado, não por sua incompetência, e sim pelas possibilidades múltiplas de interpretar a mensagem.

Então, se apropriando da fala da secretária, o autor explica quais foram os erros cometidos pelo chefe e orientando que alterações poderiam ser feitas para que a mensagem ficasse clara, como a ordem das palavras e a posição das vírgulas que deixaram o bilhete com duplo sentido.

Izidoro Blikstein questiona: “O que é escrever bem?”. Ao longo do livro, ele usa o exemplo do bilhete e outras situações práticas para abordar como a boa comunicação escrita pode fazer toda a diferença e a importância de aprender a dominá-la. Segundo o autor, um bom texto evita os erros gramaticais, a falta de clareza e deselegância.

O autor ensina três segredos da comunicação escrita: Provocar uma reação ou resposta através de uma mensagem correta; tonar comum para que o receptor entenda a mensagem; estimular ou persuadir para produzir a resposta.

“Ninguém é obrigado a adivinhar quais são os nossos pensamentos, desejos, projetos, problemas, necessidades etc. Nós é que devemos transmitir aos outros as ideias e necessidades que há em nossa mente” – trecho do livro Técnica de Comunicação Escrita (Izidoro Blikstein)

Segundo Blikstein, como a mensagem precisa de um veículo para ser transmitida, ela corre o risco de sofrer interferências, como a física, cultural (relacionadas ao contexto cultural do receptor) e psicológicas (antipatia, aspereza, entre outras).

O livro apresenta a estrutura e funcionamento da comunicação (remente, mensagem, destinatário, resposta) abordando cada uma das partes do processo, de forma bem simples, além de acrescentar a codificação e descodificação. Blikstein comenta que a maneira que o destinatário vai descodificar a mensagem escrita depende da experiência e grau de conhecimento dele. A obra também comenta a importância de saber analisar a bagagem cultural do outro antes de produzir a mensagem e de evitar o estereótipo, pois o mesmo pode conduzir a um “conhecimento deformado dos indivíduos”.

Na última parte da obra, Izidoro dá algumas dicas de ganchos para quem deseja agarrar o leitor, como: produzir, inicialmente, mensagens que não exijam grande esforço (frias), para depois complementar com mais aprofundadas (quentes); utilizar imagens e gráficos quando necessário para facilitar o entendimento do receptor, além de usar ruídos quando necessário para impactar o leitor, como frases em títulos de notícias e propagandas que despertam o interesse de quem está lendo.


Técnicas de Comunicação Escrita é um livro didático e introdutório para quem deseja aperfeiçoar sua produção textual e diminuir as interferências e possíveis problemas relacionados ao correto entendimento da mensagem. Ideal para acadêmicos de Comunicação Social e pessoas de qualquer área de atuação e estudo que se interessam pelo aprendizado, afinal, comunicar-se bem é algo fundamental independente da profissão ou graduação.

Comentários

  1. Tive a mesma opinião sobre o livro após a leitura, introdutório, porém muito didático! Super recomendo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Nayara! Obrigado por compartilhar seu comentário aqui. Espero que mais leitores se interessem pelo livro.
      Abraços

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana