Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: O dever de combater o charlatanismo como autista, escritor e jornalista

Admiro artistas que se posicionam. Admiro pessoas que não ficam em silêncio quando vêem coisas erradas acontecendo. Neste mês, aproveitando o embalo da conscientização, estou fazendo campanha contra o charlatanismo e tratamentos falsos de autismo (Mais de 8).


Mesmo sem muito apoio, sigo em frente. E ao mesmo tempo, colegas estão fazendo campanha para acabar com o MMS no Brasil – um produto corrosivo e proibido que muitos pais de autistas usam neles achando que vão curá-los e pode matar.

Eu poderia ficar omisso, afinal, sou Asperger com Altas Habilidades, tive diagnóstico só aos 29 anos e sei como me camuflar – do espectro autista inteiro, faço parte daqueles que estão mais próximos do que é ser um neurotípico (não-autista) aos olhos de quem não entende do assunto e dizem frases como 'não parece autista', mas me nego a ficar calado vendo tanta coisa errada acontecendo.

É o mínimo que posso fazer como escritor, jornalista e pessoa no espectro autista; usar minha voz para ajudar …

Resenha: Variáveis Vias do Desejo – Thiago Thomazini

O livro de contos Variáveis Vias do Desejo, do escritor Thiago Thomazini, foi publicado em 2012, pela Editora Escândalo. A coletânea traz histórias curtas e rápidas, com personagens gays cheios de vícios, desejos e paixões, flertando com o proibido, o perigoso e o imoral.

Capa do livro Variáveis Vias do Desejo
Dos 17 contos, o meu favorito foi o que traz o mesmo título do livro “Variáveis Vias do Desejo”, talvez por ter sido o mais extenso, possibilitando maior contato entre leitor e personagens, despertando a curiosidade para saber como o conto termina, ou melhor, como seria o seu início, já que a história é conta de trás para frente! Fiquei surpreso com a trama, que faz sentido em sua última linha.

“A não existência, sem a existência do outro, deixava-o perturbado. Essa dependência inexplicável do amor, de amar, de alguém. Até quando essa busca do inacessível, complexo e inexplicável, objeto e abjeto amor?”. – trecho do conto "A Dor".

A maioria dos contos se passa no Rio de Janeiro, embora tenha um no qual o personagem vive em São Paulo. Antes de iniciar a leitura é preciso se despir dos preconceitos, pois como bem lembra o escritor Roberto Muniz Dias, no texto de apresentação: “... Thomazini deixa bem claro nesse livro de contos que não há regra para o desejo. Tampouco para o sexo e para o amor. Mas o amor permeia tudo quanto o autor quer esconder ou revelar.”.

O que une as narrativas é esse contraste entre prazeres (beijos, abraços, sexo, amor, idealizações, fantasias!) e dores (despedidas, mortes, corações quebrados, sonhos que não se realizaram e a dura realidade).

“Sentado no pico de uma das dunas, eu o vi. Saindo do mar. O corpo emergindo feito nova divindade cuja beleza ofuscava a luz do sol que, naquele dia, demoraria a se pôr. Como se demoraria ali, ele. Ele.” – trecho do conto "Píer (Um Fragmento)".

Não vou abordar a trama de cada conto, pois quanto mais curtas são as histórias, maiores são as chances de alguém estragar o prazer de sua leitura, antecipando o que vai acontecer. Gostoso mesmo é se surpreender diante das reviravoltas, se envolver na leitura e imaginar as situações dos personagens: Thiago Thomazini não julga os conflitos e situações dos personagens, cabendo ao leitor mergulhar nessas águas, ora sombrias, ora cristalinas, e tirar suas próprias conclusões.

Há quem possa se incomodar com a ousadia dos contos, como há quem possa se identificar com os personagens das narrativas. Como recomenda a editora e escritora Giselle Jacques no texto da contracapa: “Ler Thiago Thomazini é tarefa para quem tem estômago e não se apavora com pouca coisa! Thiago não tem nuances ousadas. Ele é a própria ousadia. Seu texto é forte, sangrento, polêmico”.

“Enrico ainda relia a carta: uma, duas, três, quatro, cinco vezes antes de decidir assiná-la. Sabia que a assinatura seria a autenticação do seu desejo, sua sentença de morte. Auto imposta, sabia-a”. – trecho do conto "Variáveis Vias do Desejo".

Sobre o autor – Thiago Tomazini é um paulista quase carioca que escreve desde a mais tenra infância. E o amor pela literatura andou sempre de mãos dadas com a paixão pelo cinema. Ator e produtor de curtas-metragens, Thiago se especializou como roteirista. A influência fílmica em sua narrativa literária é intensa. “Quando escrevo, faço mais filme que literatura”, ele diz.

Contista por natureza, Thiago se identifica com a velocidade estrutural do conto curto que, segundo ele, flui como água, quase um transe.

Para quem ficou interessado pelos contos com temática gay, Variáveis Vias do Desejo está disponível no site da Editora Escândalo! Para quem tem Skoob e já leu o livro ou tem interesse em lê-lo, agora ele está presente na rede social para leitores: http://www.skoob.com.br/livro/412409.

Comentários

Mais lidas da semana