Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Resenha: The 100 – Kass Morgan

The 100 é o primeiro livro da série da escritora Kass Morgan, publicado em 2013, nos Estados Unidos, pela Little, Brown and Company. O romance de ficção científica, de 330 páginas, conta a história de um grupo de 100 jovens delinquentes que são mandados para a Terra com a missão de recolonizar o planeta.

Capa do livro The 100, da autora Kass Morgan
O livro é dividido em 36 capítulos, sendo que cada um deles é narrado em terceira pessoa através do ponto de vista dos 4 personagens principais: Clarke, Wells, Bellamy e Glass. A linguagem é bem fácil de entender, voltada para o público de jovens leitores que possam se identificar com as dramas e aventuras dos rapazes e garotas que encontram uma segunda chance de viverem longes da Colônia.

A narrativa de ficção foi adaptada para uma série televisiva homônima, exibida pelo canal The CW. A cada capítulo, o leitor conhece gradualmente as personagens e suas histórias. Fiquei um pouco aflito durante a leitura, pois a medida que ia lendo, mais pontas soltas iam aparecendo e não tinha ideia de que o livro teria uma sequência, já que ganhei de presente e nunca tinha ouvido falar. The 100 traz um daqueles enredos que quando chegam ao final, você fica mais ansioso para saber o que vem em seguida, como acontece com os finais de episódios e finais de temporadas de seriados.

Imagine um cenário onde as pessoas vivem conforme as leis de um Conselho. Com o fim de uma guerra nuclear na Terra, os humanos que sobreviveram passaram a morar em naves espaciais, acima do Planeta, onde não pudessem ser afetados pelos efeitos da radiação. Com os baixos recursos disponíveis para a população, 100 jovens são enviados para a Terra, com a oportunidade de recomeçarem e desvendarem se o local está seguro para ser reabitado, embora ninguém saiba quais são os riscos e desafios que eles encontrarão lá.

Cada um dos 4 personagens tem uma personalidade forte e conflitos marcantes. Clarke que foi presa e é atormentada pelas memórias. Wells que vai para a Terra à procura da garota que ele ama, mesmo sem saber se ela vai perdoá-la. Bellamy que foi para proteger sua irmã. Glass que consegue escapar, mas descobre que as coisas na nave podem ser tão perigosas quanto ela pensou que seriam na missão.

The 100 é um daqueles livros que a graça é acompanhar o desenvolvimento e qualquer informação a mais ou spoiler, pode tirar toda a graça, portanto não vou me aprofundar na análise. Além da narração no presente, o leitor também viaja pelas lembranças dos personagens através dos flashbacks, o que possibilita entender um pouco de como foi que eles chegaram até aquele ponto, mas não completamente. O ritmo da leitura é ágil e característico da literatura de entretenimento. Tudo acontece tão rápido e o texto é tão direto, sem rodeios, que o leitor se vê mais envolvido com as emoções dos personagens a refletir o contexto

Com sua dose de ficção científica, The 100 nos faz imaginar o cenário caótico, onde a comida e a água são limitadas; As pessoas são divididas em espécies de castas e para garantir a ordem e sobrevivência dos humanos, os limites éticos são ultrapassados.

Depois de ler o livro, fiquei curioso para assistir a série The 100. Mesmo tendo lido no seu idioma original, em inglês, as palavras não são difíceis de entender. O livro me fez viajar pela história, mas acontece com muitas obras contemporâneas, não me envolveu completamente, talvez pela superficialidade da linguagem ou a necessidade de ler a continuação não só para compreender melhor os personagens e suas motivações, mas para preencher os buracos que foram abertos no decorrer da narrativa e outros que surgem no final.

Kass Morgan Autora Livro The 100

Sobre a autora – Kass Morgan estudou Literatura em Brown e Oxford, e agora reside no Brooklyn (Nova Iorque).

No Brasil, o livro The 100 foi publicado pela Galera Record, em 2014.

Comentários

Mais lidas da semana