Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Lançamento: Livro de contos 11 de Março – João Paulo Hergesel

O escritor João Paulo Hergesel lança em Alumínio (SP), no 11 de março, o seu livro de contos “11 de Março”, publicado pela Editora Penalux. O evento está marcado para acontecer a partir das 19h, na Câmara Municipal de Alumínio.
11 de Março é o sexto livro do escritor João Paulo Hergesel. Foto: Divulgação / Editora Penalux.

Sobre o livro 11 de Março: 

O mundo é cruel. Se determinado ser ou situação não se enquadra nos padrões éticos e estéticos impostos pela sociedade, surge a rejeição. Com a Literatura, também é assim: torna-se preciso amordaçar a criatividade para que os críticos aceitem engolir a logorreia vomitada pelo autor. Sim, até para vomitar, a beleza é necessária.

Mas nem tudo que é belo é confortável. Este é justamente o propósito da arte: provocar desconforto. 11 de março, portanto, reúne contos assim: perturbadores. Contos negligenciados. Contos que, por não respeitarem o aroma primaveril do jardim de borboletas, não puderam sequer concorrer a alguns prêmios literários.

A única instrução válida para apreciar a obra é que o leitor se prepare para sofrer: chorar, orar, sentir dó, dor, dormir e ter pesadelos com casos de terrorismo, maus tratos, abuso sexual, canibalismo e outros temas que não se preocupam com a política do bom cidadão. Mas o sofrimento temporário até vale a pena, já que a vida também é temporária – e, quando menos se espera, todos estão descansando em paz.

Sobre o autor – João Paulo Hergesel é um escritor sorocabano – radicado em Alumínio, SP – nascido em 25 de julho de 1992. Mestre em Comunicação e Cultura e licenciado em Letras pela Universidade de Sorocaba, dedica-se à produção literária e à pesquisa na área de Narrativas Midiáticas, com enfoque no estudo do estilo. Autor de livros infantojuvenis e com participações em diversas antologias, coleciona dezenas de prêmios literários, nacionais e internacionais. Mais informações em http://www.jogodepalavras.com.

Convite: 

LANÇAMENTO – 11 de março de 2015, às 19 horas, na Câmara Municipal de Alumínio.
(Rua Hamilton Moratti, 10 – Vila Santa Luzia – Alumínio, SP)

AUTÓGRAFOS – 13 de março de 2015, às 20 horas, na Uniso – câmpus Trujillo.
(Avenida General Osório, 35 – Vila Trujillo – Sorocaba, SP)

Outras obras do autor:
Um perfume chamado Dri (Editora Dubolsinho, 2014) — lançamento previsto para maio/2015;
Um gato caolho do rabo comprido (Jogo de Palavras, 2013);
Estilística cibernética (Editora Penalux, 2013);
Anilina, Ziguezague e Désirée (Editora Patuá, 2011);
20 Contar (e-book, Editora Virtual Libri, 2008).

João Paulo Hergesel está sorteando um exemplar do livro 11 de Março na página do Facebook do livro: https://www.facebook.com/pages/11-de-março/

Em breve, o livro estará disponível no site da Editora Penalux

Comentários

Mais lidas da semana