Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Entre fofocas e intrigas

Aviso aos bonitos e bonitas que sempre jogam meu nome e dos colegas nos grupos de Facebook e WhatsApp: alguém de vocês sempre solta algo e de um jeito ou de outro, chega até mim.


Minha dica é: quer falar mal? Fala à vontade. Se quiser, eu falo junto. Não tenho vergonha de fazer autocrítica, aliás, recomendo a todos.

Agora, se me difamar e/ou queimar minha reputação, o bicho pega.

Nesta página, não trabalho com indiretas. Só com diretas mesmo.

Já disse que nem todo autista é bonzinho, né? 😈

Dica para os anjinhos e neurotípicos: Arranjem hobbies e outros hiperfocos, ocupem a cabeça com outras coisas que não sejam só esse mundinho de intrigas do autismo.

Um grande filósofo pós-moderno, Benstein Oliveira disse que a fofoca viaja à velocidade da luz e que ela vem de todos cantos e cores do autismo. Nem WhatsApp eu uso, mas as conversas de lá sempre chegam aqui. Por que será, gente?

Formado em Harvard na arte das fofocas chegarem até mim. Parece que sou ímã para embuste.

Leia também:
Autism…

Lançamento: Para Que os Vivos e os Mortos Descansem em Paz

O livro Para Que os Vivos e os Mortos Descansem em Paz, do autor Danilo Otoch, publicado pela Cultura em Letras Edições, será lançado no Rio de Janeiro. O evento acontece no dia 28 de março, a partir das 19h, no Castelinho do Flamengo, localizado na Praia do Flamengo.

Para Que os Vivos e os Mortos Descansem em Paz se foca na ditadura do Brasil e traz a história de três personagens centrais, que, anos após o fim do regime militar, revivem os tensos momentos da repressão política brasileira.

Os três personagens são submetidos a um encontro vingativo, em que um deles, sedento por justiça, refaz todo o trajeto político da “era de chumbo”. Junto com seu parceiro, reencontram, sequestram e mantêm em cativeiro o homem que os torturou e matou diversos companheiros políticos que lutavam por uma democracia.

Preso em um aparelho, nome dados aos cativeiros mantidos pelos terroristas, o torturador é submetido a interrogatórios e revela os bastidores de um período negro e sangrento entre civis manifestantes, políticos e forças militares.

Cada capítulo do livro traz uma revelação e as dores intensas de seus personagens. O livro de 250 páginas leva o leitor para uma viagem histórica de volta aos anos rebeldes de um país inocente, injusto e amedrontado.

Os exemplares do livro estarão sendo vendidos a partir de R$ 35 durante o lançamento de Para Que os Vivos e os Mortos Descansem em Paz.

Confirme sua presença no lançamento do livro: https://www.facebook.com/events/587724448031259/

*Com informações de Occello Oliver – Editor e Assessor de Imprensa da Cultura em Letras Edições

Para mais informações sobre a editora, acesse: www.culturaemletrasedicoes.com.br

Comentários

  1. Acho importante que esse assunto continue vindo à baila, pra que a gente dê valor à democracia em que vivemos. E a maneira como a história é conduzida, parece ser bem instigante. Vítimas em busca de justiça, um cativeiro e um torturador provando do próprio veneno cuspindo episódios que devem ser de arrepiar. Grande lançamento, espero que faça sucesso..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ronaldo! Também espero que seja um sucesso o lançamento. Ainda não li, mas já estou curioso. Devo receber, já que o meu blog é um dos parceiros da Cultura em Letras. O assunto é bastante delicado, polêmico e nesses tempos de crise no Brasil, vale a pena ver alguns desses efeitos e brincar com a imaginação. "E se..." é um ótimo exercício para a vida.

      Abraços! Grato pela visita. Desde já, peço desculpas por não estar visitando com tanta frequência o seu blog ~ naquela correria.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana