Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Lançamento: Para Que os Vivos e os Mortos Descansem em Paz

O livro Para Que os Vivos e os Mortos Descansem em Paz, do autor Danilo Otoch, publicado pela Cultura em Letras Edições, será lançado no Rio de Janeiro. O evento acontece no dia 28 de março, a partir das 19h, no Castelinho do Flamengo, localizado na Praia do Flamengo.

Para Que os Vivos e os Mortos Descansem em Paz se foca na ditadura do Brasil e traz a história de três personagens centrais, que, anos após o fim do regime militar, revivem os tensos momentos da repressão política brasileira.

Os três personagens são submetidos a um encontro vingativo, em que um deles, sedento por justiça, refaz todo o trajeto político da “era de chumbo”. Junto com seu parceiro, reencontram, sequestram e mantêm em cativeiro o homem que os torturou e matou diversos companheiros políticos que lutavam por uma democracia.

Preso em um aparelho, nome dados aos cativeiros mantidos pelos terroristas, o torturador é submetido a interrogatórios e revela os bastidores de um período negro e sangrento entre civis manifestantes, políticos e forças militares.

Cada capítulo do livro traz uma revelação e as dores intensas de seus personagens. O livro de 250 páginas leva o leitor para uma viagem histórica de volta aos anos rebeldes de um país inocente, injusto e amedrontado.

Os exemplares do livro estarão sendo vendidos a partir de R$ 35 durante o lançamento de Para Que os Vivos e os Mortos Descansem em Paz.

Confirme sua presença no lançamento do livro: https://www.facebook.com/events/587724448031259/

*Com informações de Occello Oliver – Editor e Assessor de Imprensa da Cultura em Letras Edições

Para mais informações sobre a editora, acesse: www.culturaemletrasedicoes.com.br

Comentários

  1. Acho importante que esse assunto continue vindo à baila, pra que a gente dê valor à democracia em que vivemos. E a maneira como a história é conduzida, parece ser bem instigante. Vítimas em busca de justiça, um cativeiro e um torturador provando do próprio veneno cuspindo episódios que devem ser de arrepiar. Grande lançamento, espero que faça sucesso..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ronaldo! Também espero que seja um sucesso o lançamento. Ainda não li, mas já estou curioso. Devo receber, já que o meu blog é um dos parceiros da Cultura em Letras. O assunto é bastante delicado, polêmico e nesses tempos de crise no Brasil, vale a pena ver alguns desses efeitos e brincar com a imaginação. "E se..." é um ótimo exercício para a vida.

      Abraços! Grato pela visita. Desde já, peço desculpas por não estar visitando com tanta frequência o seu blog ~ naquela correria.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana