Pular para o conteúdo principal

Destaques

Para Toda a Eternidade: Livro explora rituais funerários diversos

Entre a naturalidade e o espanto, o tradicional e o moderno, o ocidental e o oriental, Caitlin Doughty transmite ao leitor histórias de suas visitas a espaços e profissionais envolvidos com o universo mortuário. Uma das obras pedidas por quem já tinha lido Confissões do Crematório, o novo livro foi publicado no Brasil pela editora DarkSide Books, em junho de 2019, com tradução de Regiane Winarski e ilustrações de Landis Blair.


Compre o livro Para Toda a Eternidade (Caitlin Doughty): https://amzn.to/2R2FwqN

“Eu passei a acreditar que os méritos de um costume relacionados à morte não são baseados em matemática [...] mas em emoções, numa crença na nobreza única da própria cultura da pessoa. Isso quer dizer que consideramos os rituais de morte selvagens apenas quando eles não são como os nossos” – Caitlin Doughty, Para Toda a Eternidade
Dá para ler tranquilamente Para Toda a Eternidade sem ter lido Confissões do Crematório, mas acredito que as duas leituras são complementares. Enquanto na p…

Assista ao curta Borges, O Homem dos Olhos Mortos

O cineasta, poeta e escritor Nivaldo Lopes lançou em 2006, o curta-metragem Borges, o Homem dos Olhos Mortos, de aproximadamente 19 minutos, disponibilizado desde 2011 em seu canal do Youtube, para quem tiver interesse em conhecer mais uma das facetas do escritor argentino Jorge Luis Borges.


O filme aborda o encontro entre o jornalista e poeta Álvaro Alves de Faria, autor do livro Borges, o mesmo e o outro, publicado pela Editora Escrituras, e o escritor Jorge Luis Borges. A entrevista inédita com o único jornalista brasileiro a entrevistar e fotografar Borges foi publicada após 25 anos, pois segundo o autor, na época em que fez ele ficou tão sensibilizado pela sua tristeza e solidão, período após o argentino ter perdido a mãe.

Confira um fragmento do jornalista Álvaro Alves de Faria falando sobre sua entrevista com Jorge Luis Borges:


“Encontrei um homem destruído. Esperei na sala escura, de móveis antiguíssimos e peças de prata por um bom tempo, que me soava interminável. Até que Borges apareceu com sua bengala, impecavelmente vestido, caminhando entre os móveis, por um caminho que só ele conhecia. Fiquei assustado. Cumprimentou-me e perguntou por que um “periodista” brasileiro queria tanto falar com ele, exatamente ele que nada mais tinha a dizer para ninguém. Sua mãe tinha falecido recentemente, alguns meses antes desse encontro. Encontrei um homem absolutamente sozinho. O que seria um encontro de meia-hora, acabou sendo de seis horas seguidas, em que Borges falou sem parar e em que, ao mesmo tempo, permaneceu em longos silêncios muitas vezes. 
[...] Escrevi um texto que pode ser lido como um conto, mas com a palavra de Borges, o pensamento de Borges, a angústia de Borges, a profunda solidão de um homem que só tinha o desejo de morrer rapidamente”.
Assista ao curta-metragem Borges, O Homem dos Olhos Mortos:



Ficha técnica:

Data e local de produção
Ano: 2006
País: BR
Cidade: Curitiba
Estado: PR

Sinopse
"O filme é o encontro entre Jorge Luiz Borges e o jornalista e poeta brasileiro Alvaro Alves de Faria. É o relato do homem profundamente solitário, grande escritor latino-americano que deseja morrer." (Jornada/34)

Argumento/roteiro
Roteiro: Lopes, Nivaldo

Direção
Direção: Lopes, Nivaldo

Fotografia
Direção de fotografia: Lopes, Nivaldo

Som
Engenharia de som: Laroca, Assandro; Oliveira, Roberto Carlos

Montagem
Montagem: Lopes, Nivaldo

Música
Música: Torrone, Marcelo

Identidades/elenco: 
Orani, Anselmo
Faganelle, Anderson
Pitta, Emílio

Comentários

Mais lidas da semana