Pular para o conteúdo principal

Destaques

Espectro Autista: Reflexão sobre conscientização do autismo

Vez ou outra eu recebo mensagens de pessoas pedindo ajuda sobre como trazer mais conscientização em lugares nos quais pouco se sabe sobre autismo. Nem toda cidade tem especialista em autismo, isso é um fato que todo mundo que já precisou de um, sabe como é. Minha dica é: compre/arrecade livros ATUALIZADOS sobre o assunto e/ou livros de ficção (com personagens autistas) e/ou livros escritos por autistas. Recomendo firmemente a literatura, já que a leitura trabalha a empatia e fica mais fácil dos neurotípicos entenderem como é estar 'na nossa pele', mesmo que por alguns minutos.


Não vai dar livro desatualizado, que é um desserviço. Já tem muita desinformação no Brasil. Eu poderia fazer uma lista sobre todos absurdos que leio, mas não vou.

Enfim, não dá para fugir da leitura. Infelizmente, muitos conteúdos brasileiros estão defasados, outros logo vão estar por causa das alterações do CID11 do Espectro Autista [só entra em vigor em 2022]. Tem muita coisa boa produzida pela comunid…

Pesquisa aponta que Ler Literatura desenvolve a mente e as relações interpessoais

Os pesquisadores David Comer Kidd e Emanuele Castano, do The New School for Social Research de Nova Iorque, descobriram que a Leitura de Ficção Literária Melhora a Teoria da Mente – a habilidade de entender os estados mentais de outras pessoas, o que possibilita uma melhor compreensão dos relacionamentos sociais das sociedades humanas e a habilidade de inferir as crenças e intenções de outras pessoas. A pesquisa foi publicada em Outubro de 2013, na Science Mag.


Kidd e Castano realizaram cinco experimentos para demonstrar como a leitura de obras literárias pode levar a uma melhor performance nos testes de afetividade e de cognição comparados aos leitores de não-ficção, leitores de ficção popular e não-leitores.

De acordo com os pesquisadores, uma das maneiras de promover a sensibilidade das relações interpessoais é por meio das práticas culturais e entre elas, está a leitura de livros de ficção. Entre as vantagens da leitura de ficção apontadas por Kidd e Castano estão: Aumento da simpatia (Compreender o outro) e Aumento do conhecimento dos outros.

“A ficção também parece expandir o nosso conhecimento da vida dos outros, ajudando-nos a reconhecer nossa semelhança com eles. Embora a ficção possa explicitamente transferir valores sociais e reduzir a estranheza dos outros, a relação observada entre a familiaridade com a ficção e a Teoria da Mente pode ser devido a características mais sutis do texto. Ou seja, a ficção pode alterar a forma como, não apenas o quê, as pessoas pensam sobre os outros”.

Ao longo da pesquisa, houve a distinção entre literatura e ficção popular, sendo que de acordo com as informações, a primeira havia uma tentativa de desfamiliarizar a linguagem, exigindo mais interação intelectual e criatividade dos leitores do que as obras de entretenimento populares e livros de não-ficção. A melhora da Teoria da Mente se dá pela possibilidade do leitor mergulhar em mundos fictícios com diferentes personalidades complexas, rompendo as expectativas e fugindo dos estereótipos e previsibilidade.


Dos cinco experimentos, o que demonstrou melhores resultados foi o com participantes que leram as obras de literatura (entre as leituras estavam excertos dos finalistas e ganhadores do National Book Award e Henry Prize de contos), enquanto os livros populares foram os best-sellers selecionados da Amazon.com e antologias recentes e os textos de não-ficção foram selecionados na Smithsonian Magazine.

David Comer Kidd e Emanuele Castano concluíram que a pesquisa foi um passo para ajudar a entender o impacto das nossas interações com a leitura de ficção, contribuindo para o desenvolvimento da consciência e de nossas vidas diárias.

“É nossa esperança que pesquisas futuras se foquem em outras formas de arte, como jogos e filmes, que envolvem identificar e interpretar as experiências subjetivas de outros”, afirmam.

Embora, nos Estados Unidos, a literatura seja usada em programas de promoção do bem-estar social, para promover a empatia entre os médicos e melhoria de vida dos reclusos, além de ser uma disciplina no Ensino Médio, há quem discuta sua real relevância. Kidd e Castano finalizam o artigo dizendo que os resultados da pesquisa mostram que a leitura de literatura de ficção pode aprimorar a Teoria da Mente em adultos, uma capacidade social complexa e crítica.

O artigo na integra (em inglês) pode ser lido no link a seguir: Reading Literary Fiction Improves Theory of Mind 

Comentários

Mais lidas da semana