Pular para o conteúdo principal

Destaques

Para Toda a Eternidade: Livro explora rituais funerários diversos

Entre a naturalidade e o espanto, o tradicional e o moderno, o ocidental e o oriental, Caitlin Doughty transmite ao leitor histórias de suas visitas a espaços e profissionais envolvidos com o universo mortuário. Uma das obras pedidas por quem já tinha lido Confissões do Crematório, o novo livro foi publicado no Brasil pela editora DarkSide Books, em junho de 2019, com tradução de Regiane Winarski e ilustrações de Landis Blair.


Compre o livro Para Toda a Eternidade (Caitlin Doughty): https://amzn.to/2R2FwqN

“Eu passei a acreditar que os méritos de um costume relacionados à morte não são baseados em matemática [...] mas em emoções, numa crença na nobreza única da própria cultura da pessoa. Isso quer dizer que consideramos os rituais de morte selvagens apenas quando eles não são como os nossos” – Caitlin Doughty, Para Toda a Eternidade
Dá para ler tranquilamente Para Toda a Eternidade sem ter lido Confissões do Crematório, mas acredito que as duas leituras são complementares. Enquanto na p…

Cucumber: Nova série gay de drama do mesmo criador de Queer as Folk

Russel T. Davies é o produtor da nova série gay de drama Cucumber, termo em inglês que pode ser traduzido como pepino e conta a história de Henry (Vincent Franklin), um homem gay de mais de 40 anos, lidando com suas próprias crises existenciais, neuroses e medos do passado mal resolvidos, sua família e seus colegas. O programa é exibido pelo Channel 4.


Para quem se lembrou de Queer as Folk, Russel foi responsável pela versão original e britânica da série, desenvolvida para o Channel 4, que posteriormente foi adaptada por Ron Cowen e Daniel Lipman para o canal Showtime e Showcase, dos Estados Unidos e Canadá, respectivamente. A versão britânica de Queer as Folk foi exibida em 1999 e 2000 e teve duas temporadas, enquanto a versão norte-americana fez mais sucesso entre os telespectadores e teve 5 temporadas, exibidas entre 2000 e 2005.

O programa televisivo sobre o universo LGBT lega algumas questões, como o comodismo e desafios dos relacionamentos a longo prazo, a fuga de lidar com os conflitos internos, as obsessões, desejos e fantasias sexuais, solidão e carências, homofobia internalizada e repressões.

Cucumber vem a somar para o universo das séries voltadas para o público gay, mas por ser uma minissérie (somente com 8 episódios, de duração de 45 minutos), tudo acontece tão rápido que não dá tempo de aprofundar o drama, só dando vislumbres de possibilidades, cabendo ao telespectador, assim como Henry, encarar ou fugir dessas questões mais complexas.



Além de Henry e Lance (Cyril Nri), seu ex-parceiro, os outros personagens que se destacam em Cucumber são os jovens com quem o protagonista divide o apartamento: Freddie (Freddie Fox) e Dean (Fisayo Akinade), ambos conhecidos do trabalho. Enquanto o foco principal da série Cucumber parece ser Henry, o gay mais velho, o Channel 4 criou outra série paralela chamada Banana focada num público mais jovem e Tofu com uma série de documentários online.

Nenhuma série televisiva abordou tantas questões sobre o mundo gay como Queer as Folk. Cucumber aborda essas rupturas de uma maneira leve e refrescante. Há a busca pela verossimilhança, mas o curto período de convivência entre espectador e personagens impossibilita uma ligação mais forte. O inesperado, como na vida, é saber que eles entram num bosque que pode levá-los a diversas direções, inclusiva a correr em círculos, mas que mesmo com a idade e diversas experiências são traídos pelas suas próprias idealizações.

Assista ao trailer de Cucumber:

Comentários

  1. Oi, Ben!

    Cara, adoreeeei a novidade!
    E britânico? Com certeza irei assistir! \o/

    Afinal adorei Queer AsFolk. Irado! :)

    Abraços!
    Irmãos Livreiros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Daniel! Também gostei de Queer as Folk (mas confesso, que achei melhor a versão norte-americana do que a britânica).
      Fico feliz que tenha gostado da dica.

      Abraço. Grato pela visita. Volte sempre ;)

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana