Pular para o conteúdo principal

Destaques

Subdiagnóstico de autismo, números e incoerências

O brasileiro é muito individualista. Ao mesmo tempo que vejo pessoas reclamando que os números do Censo vão dar abaixo por causa dos subdiagnósticos de autismo, já vi muita gente acusando pessoas com laudo fingirem que eram autistas.


Como explicar a volatilidade? Nem tento entender o que se passa na mente do brasileiro.

Os discursos são sempre contraditórios. Por causa de polarização, todo mundo sai perdendo.

Já vi até gente dizendo que o laudo é só um papel. Se é só um papel, a pessoa, então, não precisa de um diagnóstico? Logo, por que ser contabilizada? Sejam mais coerentes nos discursos.

Incoerências dos brasileiros sobre subdiagnósticos:

– Já vi gente acusando autista de fingir, mesmo a pessoa tendo laudo;

– Já vi gente se posicionando contra diagnóstico precoce, achando que seria ruim, desconhecendo a questão da plasticidade cerebral;

– Já vi gente dizendo que autismo nem deveria ter CID;

– Já vi gente dizendo que o outro não é autista, só porque sabe argumentar e é diferente do …

Paralisia do Sono é explorada em documentário de terror The Nightmare

Pesadelos podem ser assustadores. A sensação de ser incapaz de se mover, gritar ou reagir, quando você quer acordar de um sonho ruim é uma das características da Paralisia do Sono. Rodney Ascher dirigiu o documentário The Nightmare, lançado nos Estados Unidos em 2015, com duração de 91 minutos, explorando personagens que passaram por essas experiências e compartilham suas próprias histórias.


The Nightmare mistura relatos reais com a produção cinematográfica para criar o efeito de um pesadelo para o telespectador, por meio das imagens, sons e efeitos especiais. Ver o próprio corpo e ser incapaz de acordar, criaturas sombrias, vozes: a linha tênue entre estar acordado e estar dormindo.

A paralisia do sono está relacionada à ansiedade e ao estresse (entre outras desordens do organismo) e muitas das visões estão relacionadas a personagens dos mitos, religiões e ficções, como demônios, extraterrestres, espíritos e demais presenças sobrenaturais.

Para quem gosta de filmes de terror, o documentário brinca com os limites ao retratar os pesadelos e desconfortos, proporcionando estranhamento no telespectador, como se ele próprio estivesse vivenciando a experiência, conforme é possível conferir no trailer de The Nightmare. Por ser baseado nestes relatos, o documentário foi considerado por alguns sites como o mais assustador do ano.


O site especializado em diferentes produtos midiáticos da temática do terror Bloody Disgusting chegou a comparar o documentário ao efeito proporcionado por A Hora do Pesadelo (A Nightmare on Elm Street), do diretor que morreu recentemente, Wes Craven, fazendo milhares de pessoas perderem o sono.

O próprio diretor do documentário Rodney Ascher teve episódios de paralisia do sono e contou ao Bloody Disgusting que o assunto sempre o fascinou.

"Quando mais recentemente eu descobri o número de pessoas que têm compartilhado suas histórias online [...] e como suas buscas por respostas eram, eu fiquei intrigado. Quando soube que a paralisia do sono pode ter inspirado folclore, superstição e até mesmo filmes de terror, eu fui fisgado”, afirma Rodney Ascher.

The Nightmare foi exibido em diversos festivais de cinema pelos Estados Unidos, além de outros países, como Japão, Rússia, República Tcheca, Austrália e Coréia do Sul. Ainda não há previsão se o filme deve ser exibido no Brasil: quem sabe futuramente nas plataformas de vídeo on-demand, como Netflix e iTunes.

Assista ao trailer do documentário The Nightmare:


Comentários

Mais lidas da semana