Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Neurociências, ajustes e discussões que vão além do social

O céu de um autista pode ser o inferno do outro. Somos diferentes em todos critérios. Cada caso é um caso.



Comparar um autista como eu, que sou camaleão e tenho autonomia com um que precise de mais apoio e tenha mais limitações sensoriais não seria justo.

Eu ressalto que todo autista deve lembrar disso quando produzir conteúdo. Não adianta achar que existe um modelo único de inclusão, se ao priorizar algumas coisas, você deixa de lado outras. Por isso, abordar a questão do autismo é algo muito complexo. Da mesma forma, que não existe um personagem da ficção ou uma pessoa autista que vai representar o espectro autista inteiro.

Os ajustes que são feitos para alguns, podem ser desajustes para outros. Por isso dizemos que existem vários autismos, independente do grau.
Do mesmo modo que não existem dois autistas iguais, não existem dois aspies iguais (pessoas com Síndrome de Asperger); não existem dois aspies com superdotação iguais (pessoas com Dupla Excepcionalidade). Somos todos diferent…

Agradecimento e trecho do meu próximo livro de terror

Passando para agradecer pelos downloads e leituras de Escrita Maldita. Hoje a obra ficou em primeiro lugar na categoria de livros de terror mais vendidos na Amazon. Para um escritor independente, isso é um sonho.


Para quem me perguntou se há uma continuação de Escrita Maldita, o meu próximo livro faz uma conexão com o evento final do livro. Não é uma sequência, mas quem leu, vai encontrar referências e entender mais – minhas histórias são circulares, elas se conectam à minha essência.

Não posso contar muito sem revelar para quem não leu, mas a protagonista e narradora do meu próximo livro é uma clarividente (será em primeira pessoa). Como em quase todos meus textos, a personagem também vai lidar com a sensação de desconexão e reencontro. Será como um lado B. Em Escrita Maldita, o foco é psicológico/paranormal. No novo livro será paranormal/psicológico. 👻


Confira o comentário da jornalista Laiane Paixão:


“Após descobrir [...] Meu coração ficou gelado. A cada palavra que lia, o quarto ficava mais escuro e a luz do tablet me cegava, me sugando para dentro da narrativa e me fazendo imaginar coisas... tenso e incrível ao mesmo tempo. Tive que vir pra sala, ligar todas as luzes da casa e a TV para terminar a leitura. Nunca tinha lido um livro de terror antes, não imagina que a leitura me prenderia tanto e causaria tantas sensações e pensamentos loucos. Fico feliz que o seu tenha sido o meu primeiro, grata pela experiência” 

Um trecho do meu livro novo de terror paranormal: 


“As coisas me atravessam.

É preciso sentir o vai e vem que acontece dentro de mim para poder me julgar. Se busquei o isolamento não foi por acaso. Mas como explicar o que, muitas vezes, nem eu consigo definir?

Existe tanto que não conhecemos. Os anos passam e a ilusão do conhecimento aumenta junto com o tempo. Depois de todos esses séculos, o que realmente aprendemos sobre os mistérios do universo? O que sabemos sobre a alma e as perguntas que a ciência ainda nem está próxima de responder?

Em um mundo de rótulos, já me deram tantos nomes. [...] 

Para entender a história que eu estou prestes a contar, é preciso que você se coloque na minha pele [...] 

Se você é como eu, será capaz de ver. Alguns véus são mais finos do que outros. Só não diga que eu não avisei... Uma vez que algumas coisas são vistas, não há como voltar atrás”

Veja também:



*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana