Pular para o conteúdo principal

Destaques

Mindhunter Profile 2: Especialista em serial killers compartilha experiências após aposentadoria do FBI

Após se aposentar do FBI , o ex-agente especialista em assassinos continuou sendo convidado para colaborar em alguns casos que exigiam entender melhor o perfil psicológico dos criminosos. No livro Mindhunter Profile 2 , dos autores Robert K. Ressler e Tom Snachtman , é possível conhecer um pouco mais da história de vida desta figura que deixou uma boa contribuição para a criminologia e compreensão sobre as mentes de serial killers. A obra foi publicada pela editora DarkSide Books , em 2021, com tradução de Alexandre Boide. Compre o livro Mindhunter Profile 2:  https://amzn.to/39qJjId Entre os casos explorados no livro há um que desperta o interesse por envolver algo não tão desconhecido, como o uso de transtornos mentais para diminuir as penas. Ressler percebeu um fenômeno de ex-soldados que usavam o Transtorno do Estresse Pós-Traumático como uma justificativa quando cometiam crimes e notou que muitas vezes, os históricos dos assassinos não eram checados e muitos inventavam histórias

Aspie: entre o silêncio e o excesso de palavras

Não há nada pior do que a sensação de ser mal-interpretado ou de incomodar quando você não tinha a intenção. Te dá vontade de entrar em um buraco e nunca mais querer sair. São duas coisas que vou ter que aprender a conviver para o resto da minha vida e que podem piorar com o passar dos anos.


A parte chata de ser aspie: as pessoas te interpretam de forma errada. Uma vez levei advertência no trabalho porque parecia mal-humorado, quando eu sempre me esforçava para sorrir e ser educado com todo mundo. Acontece que seu rosto nem sempre expressa a emoção certa.

A mesma coisa com as palavras. Às vezes, você fica ansioso por usar uma palavra fora de lugar, que pode alterar todo o sentido do que você quis dizer. Além de ser sincero demais e/ou falar demais sobre o seu assunto de preferência (no meu caso, livros), sem saber a hora de calar.

Perceba o quanto isso é irônico para um escritor.

*Para quem quiser entender um pouco sobre os comportamentos de Asperger na vida adulta, recomendo assistir ao filme: Adam (2009)

Assista ao trailer de Adam:



Veja também: Asperger (Forma leve de autismo): Graphic novel francesa ajuda na conscientização  

Assista ao vídeo com 7 curiosidades sobre Síndrome de Asperger:

Comentários

  1. Eu entendo o que você disse. Eu sou Asperger. Obrigado pela informação. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gleiber!
      Muito obrigado pelo comentário. Foi bem legal quando descobri os grupos no Facebook de aspies, perceber que existem outras pessoas como eu por aí.
      Abraço

      Excluir
  2. Comecei a buscar um diagnóstico agora pra mim, pois suspeito ser asperger. Meu antigo trabalho foi muito difícil depois que fui promovido. Eu executava funções metódicas e sequenciais, e isso era muito confortável e gratificante pra mim, e isso nunca ninguém entendeu, achavam que eu era acomodado na "zona de conforto". Então fui prom]ovido a uma chefia no antigo cargo público que eu ocupava, e não deu certo. Falhei pois era necessário que eu tratasse diretamente com pessoas, o cargo pedia que eu não fosse sincero em muitas vezes, e cada dia era uma incerteza do que aconteceria, o que me fazia ir ao banheiro várias vezes com dores abdominais. Fiquei muito mal naquela época, e deveria ter buscado ajuda psicológica.
    Depois que meu filho teve um diagnóstico de asperger e eu descobrir ser muito difícil conseguir um novo emprego, passei a perceber que possivelmente eu seja um asperger devido a vários pontos de identificação da minha pessoa com relatos de aspies e com as literaturas médicas.
    Eu sempre achei que eu era "único", mas vejo agora muita gente parecida comigo, e isso tem me trazido paz.
    Obrigado e sucesso!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Cabral. Se você for Asperger, é bem possível que o seu mal-estar no trabalho esteja relacionado, sim. Aspergers não gostam de mentiras. Não quer dizer que eles não saibam mentir (aprendemos por observação e repetição), mas podemos nos sentir bem mal quando mentimos. Geralmente, aspergers são leais e têm dificuldades de entender algumas convenções sociais, como mentiras sem necessidade. Fico feliz que esteja procurando ajuda. Sim, tem relação genética, embora o assunto seja pouco explorado no Brasil. Há muita gente sem diagnóstico. Entender como funciona, os comportamentos e diferente maneira de enxergar a vida são coisas que fazem muita diferença, pois te ajuda a explicar aos outros.
      Gratidão pelo comentário.
      Abraço

      Excluir
  3. Já faz alguns anos que enfrento a avaliação 360 na empresa. Parte social e de comunicação piora ano a ano. Pior é que sempre que recebo o feedback, quero morrer. Não tenho coragem de pedir demissão, não gosto da ideia de mudar de emprego, a melhor saída é a janela do apartamento. São crises em silêncio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não desista. Também estou no espectro e sei muito bem como se sente. Coragem. Busque um lugar melhor, ele existe. Mas temos que ir testando, até encontrá-lo. Força pra vc, e muita paz.

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana