Pular para o conteúdo principal

Destaques

Subdiagnóstico de autismo, números e incoerências

O brasileiro é muito individualista. Ao mesmo tempo que vejo pessoas reclamando que os números do Censo vão dar abaixo por causa dos subdiagnósticos de autismo, já vi muita gente acusando pessoas com laudo fingirem que eram autistas.


Como explicar a volatilidade? Nem tento entender o que se passa na mente do brasileiro.

Os discursos são sempre contraditórios. Por causa de polarização, todo mundo sai perdendo.

Já vi até gente dizendo que o laudo é só um papel. Se é só um papel, a pessoa, então, não precisa de um diagnóstico? Logo, por que ser contabilizada? Sejam mais coerentes nos discursos.

Incoerências dos brasileiros sobre subdiagnósticos:

– Já vi gente acusando autista de fingir, mesmo a pessoa tendo laudo;

– Já vi gente se posicionando contra diagnóstico precoce, achando que seria ruim, desconhecendo a questão da plasticidade cerebral;

– Já vi gente dizendo que autismo nem deveria ter CID;

– Já vi gente dizendo que o outro não é autista, só porque sabe argumentar e é diferente do …

Escrita Maldita: Resenha da escritora Lethycia Dias

“Nada de bom podia vir para aquele que convidava o mal para sua casa”

Escrita Maldita é um livro nacional independente e de terror. O protagonista é Daniel Luckman, um jovem autor de um best-seller que tem a sorte de ser convidado para escrever um novo livro junto com Laurence Loud, seu maior ídolo. Mas Daniel não imaginava que não voltaria a ter paz em casa desde o momento em que recebesse a visita do grande escritor.



Daniel teve uma família desestruturada, tem vários traumas sobre seu passado, tem pesadelos e crises depressivas, é inseguro e ciumento. Ele vive com sua esposa, Marissa, que cede às suas vontades e cuida dele, abrindo mão de muitas coisas para ajudá-lo na carreira de escritor. Assim que Laurence chega à casa dos dois, a rotina em que vivem é quebrada e há um clima de tensão.

Parte da história é sobre ser escritor. Dessa forma, temos muitos trechos que falam do processo de escrita de Daniel e de Laurence, sobre questões do mercado editorial, e até um pouco de disputas de ego. Mas logo o romance fica pronto e a narrativa continua.

Tanto Daniel quanto Laurence escrevem terror, e o libro faz várias referências a escritores clássicos desse gênero, como Edgar Allan Poe e H.P. Lovecraft, e um contemporâneo, muito bem sucedido: Stephen King. Dá pra ver que Ben Oliveira teve influência deles.

Apenas perto do fim é que entendemos o motivo de Daniel ter pesadelos e pensamentos estranhos. Isso é revelado no conflito final, em meio a muita ação e acontecimentos assustadores que fazem a gente ler sem parar. No final, fiquei impressionada com a trama que o autor criou, e que eu sequer tinha desconfiado, pois fica bem oculta sob os conflitos psicológicos dos personagens.

Recomendo muito esse terror nacional de alta qualidade! Li o e-book, mas o livro tambem está disponível em versão impressa.

Este texto e foto foram publicados no Instagram da escritora Lethycia Dias: https://www.instagram.com/lethyd/

Gratidão pela leitura e pelo comentário!

Leia Escrita Maldita:

– eBook: https://www.amazon.com.br/dp/B01M055CBO

– Paperback: https://goo.gl/xws1bC

Comentários

Mais lidas da semana