Pular para o conteúdo principal

Destaques

Sobre rabiscos e telas brancas

A tela branca pode ser um convite à explosão criativa ou uma tortura ao artista que sente seu espírito definhando diante da pesada realidade. Em tempos de crise e ódio, a arte fica esquecida e é vista como desimportante; ironicamente, é quando mais precisamos dela, de algo que nos faça sentir vivo e toque as partes atordoadas.


O som dos dedos se movendo pelo teclado era como fantasmas de uma vida distante. É incrível perceber quantas vezes nós deixamos algumas partes nossas morrerem ao longo de nossas existências; as máscaras, antes tão confortáveis, agora incomodam e não nos servem mais. Leva tempo até ficarmos satisfeitos e ajustados à nova realidade. Viver é admitir que sabemos pouco sobre nós mesmos e há sempre algo novo que pode nos transformar, seja para o bem ou para o mal.

O artista encara a tinta respingando pela tela. Para o espectador sem intimidade, nada faz sentido, a desconexão de ideias é tormentosa; para ele, o lembrete de que sua arte nunca o abandonaria. Como poderia…

Resenha: Coração Assombrado – Lisa Rogak

Em seu livro Coração Assombrado (Haunted Heart), a autora Lisa Rogak contou a  história de vida do escritor Stephen King, conhecido como Rei do Terror do Suspense. A obra foi publicada no Brasil pela editora DarkSide Books pela primeira vez em 2013 e republicada em 2017 para uma edição comemorativa de 70 anos do autor. A obra foi publicada originalmente pela Thomas Dunne Books, em 2008.


Encontre o livro Coração Assombrado (Lisa Rogak): https://amzn.to/2LUXiMc

O sucesso de Stephen King acabou servindo de inspiração para milhares de escritores do mundo todo. Diferente de tantas histórias de autores que tiveram sua entrada ao universo editorial facilitada, seja pelos contatos ou privilégios, o autor teve que lutar para conquistar seu espaço e seu talento se revelou mais bem-sucedido do que poderiam esperar. Como pode um autor de terror ter emplacado vários livros na lista de mais vendidos dos Estados Unidos e de diferentes países?

Um jogo de sorte? Marketing? Stephen King escrevia desde a infância, quando era incentivado por sua mãe. Seu sucesso não foi um choque, pois foi como se ele tivesse se preparado para seguir a jornada de escritor profissional. Começou com histórias que pareciam reescritas, até desenvolver o seu próprio estilo. Sua persistência foi o que fez diferença em sua vida. Sabemos que o sucesso do escritor não tem relação só com o talento, mas muitas vezes com o timing. Seu romance foi publicado na hora certa, período em que outros livros do gênero e adaptações também fizeram sucesso e alavancaram o impacto da história sobre a garota com poderes telecinéticos.

“Há um preconceito não declarado de que o que é popular não pode ser bom porque o gosto de leitura do público norte-americano é imbeciloide. Esse tipo de elitismo me enlouquecia quando eu era jovem. Agora estou mais tranquilo, mas ainda há muito ressentimento em relação a isso” – Stephen King (Coração Assombrado: Lisa Rogak)

Do manuscrito quase jogado no lixo para o sucesso editorial, Carrie, A Estranha deu o pontapé inicial à carreira de Stephen King. Ele que já havia publicado dezenas de contos, com um adiantamento de US$ 2.500, o livro fez tanto sucesso que a versão paperback da obra rendeu mais de 400 mil dólares. Stephen King e sua esposa mal podiam acreditar que tinham se libertado da vida que estavam vivendo antes. Se não fosse pela esposa do escritor, Tabitha King que o ajudou com as partes que ele tinha dúvida sobre o universo das adolescentes e não o deixou desistir da história, provavelmente Stephen não teria o mesmo destino, pelo menos não do mesmo jeito.

Dois anos depois, foi publicado A Hora do Vampiro (Salem's Lot). Foi o sucesso de Carrie que possibilitou ao escritor continuar apostando na escrita e abrindo mais portas. O escritor morria de medo de que Carrie fosse um sucesso único, mas o segundo romance também rendeu tanto lucro. Com as vendas dos direitos autorais dos dois primeiros livros, Stephen King recebeu quase meio milhão de dólares.

“O peso coletivo dos fãs é esmagador. Eles querem coisas suas, toneladas delas. A linha entre o amor e o ódio é muito tênue. Eles amam você, mas parte deles quer ver você cair da maior altura possível” – Stephen King (Coração Assombrado: Lisa Rogak)

Mesmo sendo uma biografia não autorizada, Lisa Rogak fez um ótimo trabalho de recontar a história de Stephen King, mesmo antes do seu sucesso. Quem poderia imaginar que o escritor que nunca tinha dinheiro para comprar livros edições de capa dura, ganharia tanto dinheiro a ponto de comprar quantos quisesse?


As ausências, os sofrimentos e as lutas que fazem parte da biografia de Stephen King, de certa forma, serviram como combustível para sua escrita e também como um meio para se conectar com os leitores. O autor soube como usar suas referências favoritas e adaptar para narrativas com elementos contemporâneos. Como muitos escritores que ele gostava e não foram reconhecidos em sua época, Stephen King quebrou esse ciclo vicioso da literatura de horror, por exemplo, Edgar Allan Poe morreu pobre e sem reconhecimento.

“Não tenho qualquer habilidade que melhore a qualidade de vida em um sentido físico... A única coisa que posso fazer é dizer ‘eis uma forma de olhar algo de uma nova maneira’. Pode ser apenas uma nuvem para você, mas, veja bem, não parece um elefante? E as pessoas me pagam para mostrar isso a elas, porque elas perderam essa capacidade. É por isso que as pessoas pagam escritores e artistas, é a única razão pela qual existimos. Somos excesso de bagagem. Sou só um passarinho nas costas da civilização” – Stephen King (Coração Assombrado: Lisa Rogak)

Desde antes da fama, passando pelos vícios, relações familiares e pelos sucessos, Lisa Rogak descreve a vida de um escritor que mesmo com tanto dinheiro, não parece ter perdido suas raízes e permanece até os dias atuais produtivo. Stephen King que já ameaçou parar de escrever várias vezes, percebeu que faz parte de sua vida e de alguns de seus familiares essa necessidade de contar histórias. Além de Stephen King, seus filhos e sua esposa também são escritores.

Coração Assombrado nos lembra de que toda carreira tem seu início e, que tão árduo quanto colocar os pés na estrada, é permanecer no caminho. O tempo passa, mas Stephen King continua nos encantando com sua habilidade de escrever e nos mostrar o lado sombrio do ser humano.

Sobre a autora – Lisa Rogak é autora de mais de 40 livros sobre os mais variados temas, entre eles, as biografias de Dan Brown, Dr. Robert Atkin e Stephen Colbert, os cães que trabalham no exército norte-americano, livros sobre culinária e turismo. Editou também diversas obras com os pensamentos e ideias de nomes como Bill Gates, Barack e Michelle Obama e o Papa Francisco. Saiba mais em lisarogak.com

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana