Pular para o conteúdo principal

Destaques

Resenha: Algum Dia — David Levithan

Pode o corpo alterar nossa percepção sobre a vida e o amor? E o que acontece quando todo dia mudamos de corpo e ainda assim tentamos manter um relacionamento? Em Algum Dia, do David Levithan, o leitor é levado a conhecer o desfecho da trilogia que encantou pessoas do mundo todo. No Brasil, a obra foi publicada pela Editora Galera Record, em 2020.

Compre o livro Algum Dia (David Levithan): https://amzn.to/3ifWxuE
Algum Dia foi um dos livros mais esperados por muitos leitores, entre eles: eu. Fui com muita expectativa na leitura. Não é que não tenha gostado do romance, mas senti falta de mais envolvimento entre os dois personagens principais. David Levithan nos deixa instigado por mais momentos entre Rhiannon e A, mas a narrativa acaba dando mais destaque para a condição do personagem sem corpo fixo.
"Agora eu sei: o amor não é tão simples. O amor nunca é sobre você dizer a si mesmo que deve fazer alguma coisa e então fazer. Nunca é sobre alguém te dizer que você deve fazer e por isso…

Crônica: Queda | Ben Oliveira

QUEDA. Dizem que o Anjo da Luz caiu. O que não contam é que sua luz ofuscava tanto os outros e provocava tanta inveja que os outros anjos tentaram destruí-lo.



Uma revolução no céu. Me pergunto se Lúcifer não tinha razão quando se rebelou. Conhecendo a hipocrisia daqueles que se dizem servos de Deus, não tenho um pingo de dúvida: Lúcifer queria sua liberdade; Queria poder usar as asas que lhe foram dadas e ficavam sem serventia.

A luz queima. Se olharmos pelo ângulo cristão, a versão de Lúcifer será a de um anjo arrogante, perverso e maquiavélico.

Se escutarmos a versão de Lúcifer, talvez você descubra que ele só queria um lugar onde pudesse ser ele mesmo. Só os loucos sabem como é ser julgado pelos ditos normais; Só os loucos podem se proteger da normalidade doentia e tóxica.

Então, como Lúcifer, não importa onde eu esteja, eu sempre estou e estarei ao lado dos oprimidos. Diziam que O Anjo da Luz não era humilde. O que nunca contaram é como tentaram aprisioná-lo em ideais fracos e falhos.

Se morder a maçã é pecaminoso. Então, eu prefiro pecar mil vezes antes de me tornar só mais um conformista; Só mais uma mente fraca para ser controlada, manipulada e dominada pelos outros.

Prefiro beber meu vinho em plena madrugada, consagrada pela lua, a ser só mais um bebendo água quente e delirando como se isso fosse ser sua salvação.

Sobre o autor – Ben Oliveira foi diagnosticado autista (Síndrome de Asperger) aos 29 anos, é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.



Para ficar por dentro das minhas novidades:







Comentários

Mais lidas da semana