Pular para o conteúdo principal

Destaques

Um Conto Taiwanês de Duas Cidades: Série de romance e drama explora raízes, sonhos e amores

Uma série de romance e drama sobre duas mulheres conectadas por suas raízes de Taiwan, mas que seguiram caminhos bem diferentes e com personalidades moldadas pelas cidades em que viveram: enquanto uma cresceu em San Francisco, nos Estados Unidos, a outra passou a vida inteira em Taipei. A série A Taiwanese Tale of Two Cities (Um Conto Taiwanês de Duas Cidades, 2018) balanceia os idiomas e experiências culturais dos dois países, criando uma experiência prazerosa para quem deseja visitar ambos destinos turísticos. Essa produção taiwanesa foi um dos achados na Netflix . A mulher que nunca saiu do país, abraça as raízes da medicina chinesa e por causa do seu histórico de saúde frágil abriu mão de muitas coisas fora de sua zona de conforto, Lee Nien-Nien (Tammy Chen) que coincidentemente sonhava em conhecer San Francisco, acaba conhecendo a taiwanesa-americana Josephine Huang (Peggy Tseng), que embora tivesse curiosidades sobre sua origem, passou praticamente a vida toda nos Estados Unidos

Crônica: Queda | Ben Oliveira

QUEDA. Dizem que o Anjo da Luz caiu. O que não contam é que sua luz ofuscava tanto os outros e provocava tanta inveja que os outros anjos tentaram destruí-lo.



Uma revolução no céu. Me pergunto se Lúcifer não tinha razão quando se rebelou. Conhecendo a hipocrisia daqueles que se dizem servos de Deus, não tenho um pingo de dúvida: Lúcifer queria sua liberdade; Queria poder usar as asas que lhe foram dadas e ficavam sem serventia.

A luz queima. Se olharmos pelo ângulo cristão, a versão de Lúcifer será a de um anjo arrogante, perverso e maquiavélico.

Se escutarmos a versão de Lúcifer, talvez você descubra que ele só queria um lugar onde pudesse ser ele mesmo. Só os loucos sabem como é ser julgado pelos ditos normais; Só os loucos podem se proteger da normalidade doentia e tóxica.

Então, como Lúcifer, não importa onde eu esteja, eu sempre estou e estarei ao lado dos oprimidos. Diziam que O Anjo da Luz não era humilde. O que nunca contaram é como tentaram aprisioná-lo em ideais fracos e falhos.

Se morder a maçã é pecaminoso. Então, eu prefiro pecar mil vezes antes de me tornar só mais um conformista; Só mais uma mente fraca para ser controlada, manipulada e dominada pelos outros.

Prefiro beber meu vinho em plena madrugada, consagrada pela lua, a ser só mais um bebendo água quente e delirando como se isso fosse ser sua salvação.

Sobre o autor – Ben Oliveira foi diagnosticado autista (Síndrome de Asperger) aos 29 anos, é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.



Para ficar por dentro das minhas novidades:







Comentários

Mais lidas da semana