Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

The One: Série da Netflix sobre biotecnologia e match de amores ideais

Já parou para imaginar como a biotecnologia pode influenciar os relacionamentos no futuro? Se você gostou de Black Mirror, é bem provável que se interesse pela série nova da Netflix,The One. Baseada no livro homônimo escrito por John Marrs, a trama se foca em uma empresa que promete encontrar o amor da vida da outra usando um banco de dados de DNA e sua compatibilidade.

Em uma época em que a tecnologia está cada vez mais presente em nossas vidas, servindo inclusive como uma ponte para construção e destruição de relacionamentos amorosos, a ideia explorada em The One pode ser um sonho para idealistas românticos e um pesadelo para outros.

Embora a promessa de uma alma gêmea seja parte do roteiro da série, que não se engane o telespectador achando que se trata de uma simples história de romances. Por trás do sucesso da empresa, existe um jogo de mentiras, segredos e ambição.

Além da trama de mistério envolvente, ao longo da série é difícil não refletir sobre o impacto que uma tecnologia assim teria no mundo, desde as implicações éticas até dilemas sobre a escolha e troca de parceiros com base nos resultados prometidos pelo teste. 

O amor pode ser medido? Será que cada pessoa só tem um amor real ao longo da vida, como promete o serviço do The One? Do ponto de vista da evolução, até onde as pessoas iriam para ficar com quem elas amam e quais as alterações de comportamentos?

Com um elenco e personagens diversos, The One é uma série ótima para maratonar na Netflix, repleta de reviravoltas do início ao fim.

A série britânica criada por Howard Overman foi lançada em março de 2021. Para quem ficou interessado no livro, a editora Globo Livros vai lançar a tradução de The One. A obra já está em pré-venda na Amazon e conta com tradução de Isadora Sinay.  

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana