Pular para o conteúdo principal

Destaques

Criminologia, Jessica Jones e Mulher-Maravilha: Ficar do lado do agressor é sinal de perigo à sociedade – Ben Oliveira

Que dia lindo para servir Karma Coletivo para Diana, Lilith e Nêmesis ao mesmo tempo:  Resistam julgar as pessoas pela aparência. Meus 2 ex-namorados manipuladores se faziam de vítimas e todo mundo ficava ao lado deles e como eu sou porra louca, como Jessica Jones e Malévola, era injustiçado entre quatro paredes e julgado por todos ao redor. Como sou uma vaca, só há duas pessoas com a qual me importo no mundo, minhas duas chamas gêmeas, o resto é indiferente. Ainda assim... Vocês criam cada distorção cognitiva que só por Deus... É muita falta de terapia, autoconsciência, reflexão e bom senso.  Foi você que tava dentro do carro capotado? Foi você que quase morreu? Foi você que teve que recomeçar várias vezes na vida? Foi você que saiu como vilão quando a pessoa era tóxica pra cacete? Não foi. Então, boca fechada, sempre. Opinião só se dá quando é pedida. Sem falar os DELUSIONAIS que ficaram comentando: Que pena, achei que vocês iam casar. Quem quiser casar com ele, passo até o perfil KK

My Only Love Song: Série sul-coreana de comédia romântica e viagem no tempo para o século VI

Para quem está procurando algo leve e gostoso de assistir na Netflix, My Only Love Song (A Minha Única Canção de Amor) é uma série sul-coreana de comédia e uma pegada de romance sobre uma atriz mimada que acaba acidentalmente viajando no tempo e é levada para o período histórico da Coreia do drama que ela atuaria.

Lançada em 2017, a série foi dirigida por Doo-sik Min e escrita por Su-jin Kim. Repleta de episódios cômicos, além de ter personagens envolventes, embora não seja a intenção da protagonista, que inicialmente leva um tempo até perceber que viajou para o passado e que as pessoas vestidas com os trajes da época não são atores também, a possibilidade de vivenciar experiências históricas de um drama que ela iria atuar, acaba sendo um interessante exercício de criação e desenvolvimento de personagem.

Ao viajar para o passado, mesmo sabendo como a história dos personagens com as quais o caminho dela se cruza, Song Soo-jung (Gong Seung-Yeon) se vê mais envolvida do que gostaria e suas ações levam a todos para uma jornada de incertezas, onde nem tudo o que aconteceria se torna real, já que o simples fato de dois personagens que não fizeram parte da história estarem ali, bagunçar toda dinâmica dos fatos e relacionamentos.

Misturando elementos de fantasia e história da Ásia, para quem gosta da cultura coreana, os personagens On Dal e a princesa Pyeong-Gang são considerados figuras históricas e várias versões de sua lenda foram registradas. Destinados a ficarem juntos, a narrativa se transforma quando Song Soo-jung e On Dal se aproximam, dois personagens que precisam lidar com as diferentes maneiras de enxergar a vida por terem nascido em períodos históricos diferentes e que, além de uma química forte, desenvolvem afeição um pelo outro conforme vão se conhecendo mais e lidando com as crises geradas pelas presenças atípicas dos viajantes do futuro.

Longe de ser um drama coreano mega elaborado, My Only Love Song conquista pela leveza capaz de arrancar sorrisos diante das situações inusitadas nas quais os personagens se colocam. Além da protagonista que por si só já é uma personagem marcante e cheia de energia, uma estrela sul-coreana e mimada tentando se ajustar à nova realidade, a atuação de Lee Jong-Hyun no papel de On Dal também torna a série mais emocionante. 

Com suas particularidades, os personagens secundários também têm traços cativantes e a combinação de suas personalidades ajudam a equilibrar as diferentes emoções proporcionadas pelo roteiro. Entre cenas de ação e algumas que revelam a brutalidade de um período em que os condenados eram mutilados e assassinados, até momentos do desabrochar das amizades e dos romances, é divertido acompanhar as ciladas que os personagens se metem e as situações nas quais eles se permitem aproveitar a vida.

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Me acompanhe nas redes sociais:

Twitter: https://twitter.com/BenOlivDreamer

Facebook: https://www.facebook.com/BenOliveiraDreamer

Instagram: https://instagram.com/benoliveiradreamer

Comentários