Pular para o conteúdo principal

Destaques

Antraz: Documentário da Netflix revela investigações feitas pelo FBI durante anos

Um pouco após os atentados terroristas contra as torres gêmeas, em Nova Iorque, Estados Unidos, no 11 de setembro de 2001, uma ameaça de antraz colocou as autoridades, como o FBI em alerta, e espalhou pânico nos norte-americanos devido à facilidade de se espalhar sem as pessoas saberem.  Dirigido e roteirizado por Dan Krauss e produzido pela Netflix e pela BBC, 21 anos após o ataque e o primeiro caso de circulação do antraz, o documentário Antraz: EUA Sob Ataque (The Anthrax Attacks) leva o telespectador para as investigações do FBI que duraram anos. O que a princípio foi alvo de muita pressão para a solução do caso, principalmente pelo medo dos norte-americanos do esporo da bactéria continuar se espalhando pelas cartas e fazendo mais pessoas adoecerem e/ou morrerem, logo foi caindo no esquecimento conforme as investigações desenrolavam fora dos holofotes.  Com a proximidade do caso do ataque às torres gêmeas, à primeira vista, o pânico generalizado fez com quem os norte-americanos

10 Trechos sobre Sobriedade

 “Uma vez ouvi um alcoólatra sóbrio dizer que beber nunca o fez feliz, mas o fez sentir que seria feliz em cerca de quinze minutos. Era exatamente isso, e eu não conseguia entender por que a felicidade nunca veio, não conseguia ver a falha em meu pensamento, não conseguia ver que o álcool me mantinha preso em um mundo de ilusão, procrastinação, paralisia. Vivi sempre no futuro, nunca no presente. Da próxima vez, da próxima vez! Da próxima vez que eu bebesse seria diferente, da próxima vez me faria sentir bem de novo. E todos os meus esforços estavam condenados, porque beber já não me fazia sentir bem há anos” ― Heather King

“Alguém que está tentando ficar sóbrio muitas vezes está tentando resolver questões emocionais mais profundas e está tentando desfazer anos de comportamento habitual. Quando você reduz a recuperação a apenas abstinência, simplifica o que é realmente uma questão muito mais complexa” ― Sasha Bronner

“Seu vício não é sua identidade, mas você não saberá disso até que esteja em recuperação; é quando os dois se separam” ― Toni Sorenson

“A minha realidade, que aprendi aos tropeços e ao custo de mil hematomas, é que, quando o abuso de substância passa a ser qualificado como dependência, não há mais como escapar. Tive problemas recorrentes do consumo em todas as áreas da minha vida. E sei que os abacaxis, no meu caso, nunca desapareceram por inércia”  Barbara Gancia

“Levei muito tempo para aceitar o fato de que eu tinha um problema com a bebida, porque eu era uma daquelas bebedoras que [era tudo ou nada]. Se eu gostasse da bebida, não conseguir ter o controle, e se controlasse o consumo, não gostava de beber. Isso foi um verdadeiro alerta para mim” ― Florence Welch

“Eu odeio ter sentimentos. Por que a sobriedade tem que vir com sentimentos? Em um minuto me sinto animado, no próximo me sinto aterrorizado. Em um minuto me sinto livre e no próximo me sinto condenado” ― Augusten Burroughs

“Para ficar limpa, tive que recuperar minha consciência, me reconectar emocionalmente com minhas ações” ― Melissa Febos

“Alcançar a verdadeira sobriedade vai além da abstinência. trata-se também de curar sua alma, pedir desculpas pelo dano que você causou aos outros e buscar perdão”  Lou Gramm

“Fiquei sóbrio. Parei de me matar com álcool. Comecei a pensar: 'Espere um minuto – se eu puder parar de fazer isso, quais são as possibilidades?' E lentamente me dei conta de que talvez valesse a pena o risco"  Craig Ferguson

“Minha recuperação do vício em drogas é a maior realização da minha vida... mas dá trabalho – difícil, doloroso trabalho – mas a ajuda está lá, em cada cidade e carreira, membros de sociedades livres de drogas/bebidas, de cada caminhada e conversa sobre a vida para ajudar e guiar” Jamie Lee Curtis

Comentários

Mais lidas da semana