Pular para o conteúdo principal

Destaques

Antraz: Documentário da Netflix revela investigações feitas pelo FBI durante anos

Um pouco após os atentados terroristas contra as torres gêmeas, em Nova Iorque, Estados Unidos, no 11 de setembro de 2001, uma ameaça de antraz colocou as autoridades, como o FBI em alerta, e espalhou pânico nos norte-americanos devido à facilidade de se espalhar sem as pessoas saberem.  Dirigido e roteirizado por Dan Krauss e produzido pela Netflix e pela BBC, 21 anos após o ataque e o primeiro caso de circulação do antraz, o documentário Antraz: EUA Sob Ataque (The Anthrax Attacks) leva o telespectador para as investigações do FBI que duraram anos. O que a princípio foi alvo de muita pressão para a solução do caso, principalmente pelo medo dos norte-americanos do esporo da bactéria continuar se espalhando pelas cartas e fazendo mais pessoas adoecerem e/ou morrerem, logo foi caindo no esquecimento conforme as investigações desenrolavam fora dos holofotes.  Com a proximidade do caso do ataque às torres gêmeas, à primeira vista, o pânico generalizado fez com quem os norte-americanos

Wicca: 10 Dicas sobre Golpes de Perfis de Bruxos Internacionais Clonados no Instagram

Contas de praticantes da bruxaria (Wicca), entre outras linhas do paganismo são uma delícia de acompanhar nas redes sociais, especialmente no Instagram. Mas há um problema constante, muitas vezes, alertados por eles mesmos em seus perfis ou postagens: há muitas contas que clonam perfis de bruxos internacionais e se passam pelo dono, tentando arrancar dinheiro dos seguidores.

Confira 10 Dicas sobre Golpes de Perfis de Bruxos Internacionais Clonados no Instagram:

1) Geralmente eles te oferecem leituras de tarot e oráculo de primeira. A maioria dos perfis não fica indo atrás de interessados, costumam receber mensagens ou alertam em qual link o serviço pode ser encontrado.

2) É possível encontrar inconsistência no feed, bem como fotos de baixa qualidade, ficando meio na cara de que eles fizeram captura de tela e recortaram a foto e não são os autores.

3) Confira o nome do usuário. Geralmente há alguma letra a mais ou pontuação e se você buscar o nome sem esses elementos, facilmente vai encontrar o perfil original. Os perfis originais também costumam ter número maior de seguidores, já que foram criados há tempo.

4) Conversas aleatórias. Alguns perfis legítimos são bem abertos à comunicação, mas aqueles que estão interessados no seu dinheiro podem até dar a entender que não te cobrar nada em um primeiro momento, mas vão usar elementos sobre sua vida para depois te oferecer algum serviço espiritual ou mágico, como limpeza de aura.

5) Eles nem vão ler informações básicas do seu perfil. No meu perfil antigo (recomecei no Instagram agora), eu tinha escrito no meu perfil que fazia leitura de tarot e oráculo, entre inúmeras fotos, e recebia as propostas logo de início. As conversas também parecem mecânicas, como bots, pois quando eu recusava, a pessoa continuava oferecendo mesmo assim.

6) Ao cair em um golpe assim, você corre o risco de pagar por uma leitura inacurada, feita por alguém sem experiência, ou pior, algo copiado e colado, e simplesmente jogar o seu dinheiro fora. Além de ser enganado sobre outros serviços, muitos à distância, que idealmente seriam preferíveis ao vivo.

7) Mas não é só no mundo da magia e paganismo que isso está acontecendo. Há uma praga de perfis falsos e bots no Instagram, contas que te seguem aleatoriamente ou soltam comentários te oferecendo para ser publicado em outras contas, como divulgação, e, claro, cobrando pelo serviço. Para quem usa serviços assim, além de ser uma prática não indicada no Instagram, você corre o risco de ser publicado por uma conta falsa e ser punido junto com a conta.

8) Além dos serviços espirituais, há contas que clonam perfis que vendem objetos místicos e mágicos. Então, mais uma vez, se você cair em uma conta clonada, você corre o risco de comprar algo que nunca vai receber ou até alguma réplica em qualidade inferior e se frustrar.

9) Não deixe seu ego se iludir pelos likes. Alguns perfis clonados vão conquistando aos poucos, deixando comentários e curtidas. É importante observar a linguagem. Facilmente você observa um padrão ou vê que o perfil comenta o mesmo nas fotos de outras pessoas.

10) Além de se passar por outras contas, o perfil pode ser criado do zero, mas parecer uma colcha de retalhos de fotos. Em um dos perfis recentes que me mandou mensagem, por exemplo, vi uma foto com capa de uma edição brasileira de um livro. Você também consegue perceber que várias fotos desconexas – roubadas de vários perfis de bruxos diferentes – foram todas postadas no mesmo dia ou intervalo de tempo. 

PS: Alguns pagãos usam o YouTube e outras redes para conteúdos mais longos, como leituras de Tarot e Oráculo. Vale a pena prestar atenção, pois os mesmos sempre alertam sobre esses perfis clonados e de que eles não enviam mensagem oferecendo serviço.

*Ben Oliveira é escritor, formado em jornalismo. Autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

Mais lidas da semana