Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Neurociências, ajustes e discussões que vão além do social

O céu de um autista pode ser o inferno do outro. Somos diferentes em todos critérios. Cada caso é um caso.



Comparar um autista como eu, que sou camaleão e tenho autonomia com um que precise de mais apoio e tenha mais limitações sensoriais não seria justo.

Eu ressalto que todo autista deve lembrar disso quando produzir conteúdo. Não adianta achar que existe um modelo único de inclusão, se ao priorizar algumas coisas, você deixa de lado outras. Por isso, abordar a questão do autismo é algo muito complexo. Da mesma forma, que não existe um personagem da ficção ou uma pessoa autista que vai representar o espectro autista inteiro.

Os ajustes que são feitos para alguns, podem ser desajustes para outros. Por isso dizemos que existem vários autismos, independente do grau.
Do mesmo modo que não existem dois autistas iguais, não existem dois aspies iguais (pessoas com Síndrome de Asperger); não existem dois aspies com superdotação iguais (pessoas com Dupla Excepcionalidade). Somos todos diferent…

Orientações sobre Jornalismo de Moda

A jornalista Sonal D'Silva do site indiano de notícias Rediff.com conversou com quatro especialistas na área de moda e descobriu algumas orientações para quem gostaria de seguir a área de jornalismo de moda (fashion journalist).

Robb Young, do Financial Times, explica que existem algumas perspectivas bastante negligenciadas na escrita de moda que vão além do elemento celebridade e entretenimento. Sem examinas essas perspectivas, sua escrita sobre moda será indiferente, sem importância.

- Por exemplo, a história e a antropologia de um espaço é muito importante para a moda. Olhe para o lado político, social, econômico e veja como isto impacta no look, estilo, cor etc.

- Uma tendência não tem que começar de um designer e coleção, pode começar pelas pessoas. Certifique-se de desenvolver um bom relacionamento com a moda de rua.

- Enquanto estiver fazendo pesquisas, pode valer a pena explorar mídia cidadã, como blogs de moda por exemplo. Leia o que eles tem a dizer e, se valer a pena, integre as opiniões em sua pesquisa. Uma coisa a se lembrar sobre mídia cidadã é que ela é muito rápida com a informação. Com ferramentas como câmeras digitais e celular à sua disposição, eles são rápidos para atualizar as notícias e tendências. Se você é um jornalista de mídia impressa, é importante que você mantenha-se atualizado.

O editor-chefe de moda da Style.com Laird Borrelli disse que é preciso ir além dos releases quando você for escrever um artigo de moda. "Aprofunde-se e consiga o máximo de informações de primeira mão que você conseguir. Qualidade e exatidão das informações é muito importante".

Borrelli fala sobre a importância da interatividade do site, pois as pessoas gostam de se envolver e da monitoração da taxa de retorno dos leitores.

Cena do filme 'O Diabo Veste Prada'

A editora da revista indiana DNA, Sathya Saran, esclarece que em qualquer sociedade, a cultura e moda estão relacionadas, portanto você deve ser capaz de ver o impacto que os dois têm entre si e desenvolver a compreensão da teoria da cultura e da moda.

- Treine para ser um pesquisador minucioso e eficiente. Um bom jornalista de moda tem que ser capaz de comentar e criticar com sabedoria o cenário da moda, tendências, designers etc. Para isso, você deve ter uma sólida formação e ser capaz de procurar informações.

- Desenvolva uma compreensão global do negócio de um design e de sua perspectiva histórica. Você tem que entender como o designer e seu trabalho se conecta ao redor do mundo.

- Tenha mente aberta. Como comentarista, você não pode ser tendecioso sobre um designer ou o seu trabalho. Entenda que design é um processo criativo. Julgue cada coleção por sua própria iniciativa e não com base no trabalho passado do designer. Um designer muito bom às vezes pode ter uma coleção ruim e você tem que ser objetivo o suficiente para reconheer isso.

Vinod Nair, editor de moda do Hindustan Times, acredita que é melhor ter medo do que ser confiante na sua abordagem, pois se você estiver com medo, vai verificar repetidamente os fatos para se certificar de que eles estão certos.

Nair ainda explica que quando você for assistir a um desfile de moda converse com o designer. "Quando você está começando pode não saber todos os termos necessários para descrever uma roupa ou coleção. Em vez de ser vago com suas descrições, é melhor obter uma citação direta do designer que irá usar os termos corretos", finaliza.
 
Acesse o artigo na íntegra

Comentários

Mais lidas da semana