Pular para o conteúdo principal

Destaques

My Shy Boss: Série de drama sul-coreano tem protagonista com fobia social e segredos

My Shy Boss (Introverted Boss/Naesungjukin Boseu/내성적인 보스) é uma série de drama romântico sul-coreano sobre a relação entre um chefe de uma empresa de Relações Públicas e uma jovem atriz extrovertida tentando descobrir a verdade sobre um acontecimento do passado que envolveu sua irmã. Lançada em 2017, a série da tvN (canal de televisão da Coreia do Sul) está disponível na Netflix Brasil por tempo indeterminado. Para quem sente falta de ver personagens com dificuldades de comunicação e interação em seriados, My Shy Boss tem Eun Hwan-ki (Yeon Woo-Jin) , um protagonista que evita o máximo possível falar com os funcionários de sua empresa, de forma que gera estranhamento nos outros. Sempre com seu casaco preto de capuz, sua timidez chama a atenção de forma negativa por onde passa. Até se acostumar com o personagem principal, fica difícil compreender alguns dos seus comportamentos. Se é contraditório para os próprios funcionários, para a família dele e até mesmo para alguns clientes insat

Livro de crônicas de Arnaldo Jabor

Texto: Ben Oliveira

"Amor é prosa, sexo é poesia"
é o título do livro que reúne as melhores crônicas escritas por Arnaldo Jabor. Publicado em 2004, pela editora Objetiva, o leitor é convidado a viajar nos textos sobre diferentes temas do cotidiano abordados pelo cronista.

Jabor discorre sobre os relacionamentos, suas experiências da infância, velhice, família, política, sociedade e nostalgia. Por meio das crônicas, o jornalista narra situações, provoca reflexões e compartilha sua opinião.

O cronista, por exemplo, mostra-se indignado com o comportamento do brasileiro, sempre relembrando fatos do passado. O excesso de exposição do corpo, os prazeres fáceis – e o sexo – e as diferenças dos relacionamentos atuais em relação às outras épocas são alguns dos principais alvos de Arnaldo Jabor.

Arnaldo Jabor consegue traduzir os sentimentos de uma época. Mesmo as crônicas sendo textos factuais, eles continuam interessantes e também servem para reviver momentos históricos e registrar impressões de acontecimentos marcantes.

Como não abrir um sorriso ao ler um texto em que Arnaldo Jabor comenta estar cansado de ver tantas bundas ou quando ele critica os relacionamentos na sociedade pós-moderna, um assunto pelo qual simpatizo e também gosto de escrever? O cronista destila seu veneno e despeja ironia em coisas que o deixam inconformado, como o Bush e a transformação das pessoas e relacionamentos em produtos, sem esquecer também de declarar sua saudade pelas coisas da vida.

Recomendo as crônicas para quem deseja aprender mais sobre o gênero, para quem gostar dos textos do Arnaldo Jabor ou quer conhecer mais sobre o autor ou simplesmente para quem quer desfrutar de uma boa leitura.

Comentários

Mais lidas da semana