Pular para o conteúdo principal

Destaques

Resenha: Flores para Algernon – Daniel Keyes

Nossas percepções do mundo são moldadas por nossas habilidades cognitivas, o que, muitas vezes, também formam a visão que os outros têm de nós, especialmente em sociedades em que as pessoas têm dificuldade de ter empatia e respeito por pessoas diferentes. No livro Flores para Algernon (Flowers for Algernon), o escritor Daniel Keyes narra a história de Charlie, um rapaz com deficiência intelectual grave (no livro descrito como retardo mental) que é convidado a participar de uma cirurgia capaz de aumentar seu quociente de inteligência. No Brasil, a obra foi publicada pela Editora Aleph, em 2018, com tradução de Luisa Geisler.


Compre o livro Flores para Algernon (Daniel Keyes): https://amzn.to/2K4J7AR

Flores para Algernon é uma leitura desconfortável, já que à medida que o personagem principal toma consciência da maneira que ele é tratado pelos outros, é difícil não sentir sua dor e refletir sobre como o preconceito e a discriminação estão enraizados na sociedade.

Quem você se torna quand…

Livro de crônicas de Arnaldo Jabor

Texto: Ben Oliveira

"Amor é prosa, sexo é poesia"
é o título do livro que reúne as melhores crônicas escritas por Arnaldo Jabor. Publicado em 2004, pela editora Objetiva, o leitor é convidado a viajar nos textos sobre diferentes temas do cotidiano abordados pelo cronista.

Jabor discorre sobre os relacionamentos, suas experiências da infância, velhice, família, política, sociedade e nostalgia. Por meio das crônicas, o jornalista narra situações, provoca reflexões e compartilha sua opinião.

O cronista, por exemplo, mostra-se indignado com o comportamento do brasileiro, sempre relembrando fatos do passado. O excesso de exposição do corpo, os prazeres fáceis – e o sexo – e as diferenças dos relacionamentos atuais em relação às outras épocas são alguns dos principais alvos de Arnaldo Jabor.

Arnaldo Jabor consegue traduzir os sentimentos de uma época. Mesmo as crônicas sendo textos factuais, eles continuam interessantes e também servem para reviver momentos históricos e registrar impressões de acontecimentos marcantes.

Como não abrir um sorriso ao ler um texto em que Arnaldo Jabor comenta estar cansado de ver tantas bundas ou quando ele critica os relacionamentos na sociedade pós-moderna, um assunto pelo qual simpatizo e também gosto de escrever? O cronista destila seu veneno e despeja ironia em coisas que o deixam inconformado, como o Bush e a transformação das pessoas e relacionamentos em produtos, sem esquecer também de declarar sua saudade pelas coisas da vida.

Recomendo as crônicas para quem deseja aprender mais sobre o gênero, para quem gostar dos textos do Arnaldo Jabor ou quer conhecer mais sobre o autor ou simplesmente para quem quer desfrutar de uma boa leitura.

Comentários

Mais lidas da semana