Pular para o conteúdo principal

Destaques

Dia do Orgulho Autista: Amor próprio e autoaceitação das diferenças

Hoje, 18 de junho, é Dia do Orgulho Autista. Muitos colegas no Brasil e em vários países estão lutando por uma sociedade menos preconceituosa.


Orgulho duplo para alguns
Existem muitas pessoas no espectro autista que são LGBTQ. Comemoramos de forma dupla em junho. O símbolo da Neurodiversidade também é colorido. 🌈

No dia 18 de Junho, é comemorado o Dia do Orgulho Autista (Autistic Pride Day). A data foi criada pelo grupo Aspies for Freedom, celebrada pela primeira vez em 2005. De lá pra cá, muitas coisas mudaram: temos muito mais informações sobre autismo do que tínhamos, porém, o preconceito ainda é um problema.

14 anos após a primeira edição do Dia do Orgulho Autista: alguns problemas permanecem e provavelmente sempre permanecerão. Muitas pessoas não entendem a importância da data para autistas, pois presumem que temos vergonha de quem somos e se esquecem de que somos todos diferentes (Neurodiversidade).

A data é importante, pois as taxas de suicídio entre autistas é altíssima, muita…

Resenha: Cai o Pano - Agatha Christie


Texto: Ben Oliveira

Cai o Pano, livro de romance policial escrito por Agatha Christie em 1975, publicado no Brasil em 2009, pela Editora Nova Fronteira e traduzido por Clarice Lispector.

A obra de ficção inglesa conta a história do capitão Arthur Hastings, um homem que retorna a um hotel onde trabalhou junto com o detetive aposentado Hercule Poirot.

Ao chegar ao hotel, Hastings descobre que foi convidado pelo amigo detetive para ajudá-lo a evitar um assassinato e descobrir quem é o responsável por cinco crimes cometidos na região.

Neste romance policial, Agatha Christie mostra com sua narrativa porque já foi uma das romancistas mais vendidas de todos os tempos. Dos personagens criados pela escritora, um dos que mais se destaca é Hercule Poirot.

O detetive genial sabe quem é o assassino, mas não revela ao Hastings, pois acredita que o capitão não conseguiria disfarçar perto dele e desta forma não teriam provas para incriminá-lo, já que os cinco crimes aparentemente não têm relação alguma.

Apesar de não saber quem é o assassino, Hastings é informado por Poirot de que a pessoa é um dos hóspedes da antiga mansão Styles, agora transformada em hotel. Entre os possíveis responsáveis por aquelas mortes estão dez pessoas e uma delas é a filha de Hastings, uma jovem chamada Judith.

À medida em que o leitor conhece mais a história e os personagens, todos começam a parecer culpados de alguma maneira. Enquanto Hastings fica curioso para desvendar quem é o criminoso, o detetive Hercule Poirot pede para que ele se foque em descobrir quem será a próxima vítima.

Cai o Pano tem uma história envolvente e intrigante. Mais do que um mero entretenimento, Agatha Christie desenvolveu um ótimo exercício para a imaginação e para a memória, onde nem sempre o que parece provável é real e por trás de uma pessoa de aparência inocente se esconde um assassino frio.

Comentários

Mais lidas da semana