Pular para o conteúdo principal

Destaques

Dias de Isolamento, Estímulos e Tédio: Vidas Importam (Coronavírus) | Ben Oliveira

Mesmo para alguém no espectro autista (lembrando que não existem dois autistas iguais e há uma ampla variedade neurológica e de personalidade), os dias de isolamento não são necessariamente confortáveis.


Gostar de ficar em casa e precisar de tempo sozinho para recarregar as energias, não significa que autistas também não gostem de ver pessoas – muitos adoram andar ao ar livre. As pessoas confundem autismo, introversão, timidez e misantropia (aversão às pessoas).

O que eu queria falar é sobre a importância de se ocupar com o que te estimula. Na correria do dia a dia, todos abrimos mão daquilo que gostamos de fazer e do que nem sabíamos que gostamos. Além de ler e jogar, nesses dias aproveitei para organizar as coisas e brincar com as tintas e colas.

Deveria estar escrevendo mais, mas confesso que estou gostando de estimular outras áreas que estavam adormecidas. Sim, tenho muitos momentos de tédio, mas não acho que colocar a vida de outras pessoas em risco possa compensá-los.

Por outro …

Resenha: Cai o Pano - Agatha Christie


Texto: Ben Oliveira

Cai o Pano, livro de romance policial escrito por Agatha Christie em 1975, publicado no Brasil em 2009, pela Editora Nova Fronteira e traduzido por Clarice Lispector.

A obra de ficção inglesa conta a história do capitão Arthur Hastings, um homem que retorna a um hotel onde trabalhou junto com o detetive aposentado Hercule Poirot.

Ao chegar ao hotel, Hastings descobre que foi convidado pelo amigo detetive para ajudá-lo a evitar um assassinato e descobrir quem é o responsável por cinco crimes cometidos na região.

Neste romance policial, Agatha Christie mostra com sua narrativa porque já foi uma das romancistas mais vendidas de todos os tempos. Dos personagens criados pela escritora, um dos que mais se destaca é Hercule Poirot.

O detetive genial sabe quem é o assassino, mas não revela ao Hastings, pois acredita que o capitão não conseguiria disfarçar perto dele e desta forma não teriam provas para incriminá-lo, já que os cinco crimes aparentemente não têm relação alguma.

Apesar de não saber quem é o assassino, Hastings é informado por Poirot de que a pessoa é um dos hóspedes da antiga mansão Styles, agora transformada em hotel. Entre os possíveis responsáveis por aquelas mortes estão dez pessoas e uma delas é a filha de Hastings, uma jovem chamada Judith.

À medida em que o leitor conhece mais a história e os personagens, todos começam a parecer culpados de alguma maneira. Enquanto Hastings fica curioso para desvendar quem é o criminoso, o detetive Hercule Poirot pede para que ele se foque em descobrir quem será a próxima vítima.

Cai o Pano tem uma história envolvente e intrigante. Mais do que um mero entretenimento, Agatha Christie desenvolveu um ótimo exercício para a imaginação e para a memória, onde nem sempre o que parece provável é real e por trás de uma pessoa de aparência inocente se esconde um assassino frio.

Comentários