quarta-feira, 27 de agosto de 2014

Blogs Literários e Parcerias com Editoras e Autores: Colocando o dedo na ferida

Escrevi este texto sobre blogs literários e parcerias com editoras e autores depois de trocar comentários com colegas escritores e blogueiros ou acompanhar alguns usuários que acabaram de criar seus blogs sobre livros e ficam desesperados para receber obras para resenhar.

O objetivo deste post não é apontar o dedo para ninguém, muito menos dizer o que você deve ou não fazer, afinal, o blog é seu e cada um sabe como administrá-lo – essa é uma das vantagens de ter o seu próprio espaço. No entanto, creio que seja necessário fazer algumas reflexões. Se você é blogueiro iniciante ou veterano, não deixe de ler este texto! Aliás, seria interessante também se as editoras e autores que procuram parcerias também refletissem sobre o assunto. Sei que nem todo mundo gosta de tocar na ferida, mas alguém precisa! Não sou o senhor da verdade, muito menos me julgo algum especialista, porém tentei compartilhar com vocês as minhas impressões, como blogueiro e autor!

PS: Se você der alguma editora ou autor e tiver interessado em parceria, este é o meu e-mail de contato: ben-oliveira@hotmail.com. Acesse a página de Resenhas de Livros e confira a lista completa de A-Z de análises de obras publicadas aqui no blog.

Sem mais enrolações, seguem algumas considerações sobre as parcerias entre blogs literários, editoras e autores:

“Não gostei do livro e da mensagem dele. E agora, como faço para escrever a resenha? O que você faz quando vai escrever sobre um livro que não gostou? Recebi o livro de um autor ou editora.”

Bom, o fato de você ter recebido o livro para resenhar não significa que você precise mentir e dizer que o adorou, quando achou uma droga! Uma das vantagens de um blog literário é ajudar a divulgar novos autores, principalmente escritores brasileiros, já que eles não ocupam tanto espaço na mídia tradicional (jornais, televisão e revistas).

Blogueiro: Nenhuma editora ou autor vai te obrigar a tecer elogios ao livro se você não gostou. Vai da sua consciência saber o que colocar ou não na resenha. Quando eu vou resenhar um livro, por exemplo, eu tento separar o meu lado escritor do meu lado leitor, me focar no que me agradou (ou não) nos personagens, na trama, na experiência da leitura. Pressupõe-se que se um autor publicou um livro, ele e a editora analisaram a estrutura, então, não cabe a mim ou a você tentar ensinar como o escritor deve fazer o trabalho dele. Às vezes, um autor escolhe um foco narrativo (1ª pessoa ou 3ª pessoa) que não combinou com a narrativa e a limitou; Os diálogos não parecem reais ou a história não consegue prender o leitor em nenhum instante. Quem me conhece, e acompanha minhas resenhas, sabe que mesmo quando não gosto da obra, faço o máximo possível para extrair elementos positivos da narrativa e incentivar que o leitor leia o livro e tire suas próprias conclusões, pois exatamente os pontos que eu não gostei, pode ser o que outra pessoa tanto gosta.

Editor e autor: Resenhas são subjetivas. Cabe ao autor e à editora saberem escolher um blog com o perfil dos livros. Lembrando que o entendimento dos livros não acontece só do que está escrito nele, mas da bagagem cultural do leitor que preencherá  os vazios. Muitos blogueiros têm boas intenções em ajudar a divulgar autores nacionais, enquanto outros só fecham parcerias para ganhar os livros, por isto é importante saber analisar o conteúdo.

Muitas editoras quando vão selecionar seus blogs parceiros fazem várias perguntas sobre os números e esquecem que a quantidade de visitantes nem sempre é proporcional à qualidade das resenhas. Se você enviou o livro para o blogueiro, e a opinião dele não for positiva, não adianta ficar bravo.

Se você inventou de enviar o seu livro de poesias para alguém que nunca leu um soneto antes, a culpa é sua... Se você enviou um romance erótico para uma pré-adolescente, mais uma vez é falha do autor e editora. Se você enviou um livro cheio de metalinguagem e intertextualidade, que exige uma boa bagagem literária e leitura dos clássicos, para um blogueiro que só lê os livros contemporâneos, mais uma vez, a culpa é sua de enviar um livro que ele corre o risco não só de não gostar, como de não ler ou criticar, porque não entendeu nada.

“Eu enviei o livro para o blogueiro, ele não respondeu, não fez a resenha e provavelmente, não leu o livro. Não sei o que fazer!”.

Editor e autor: Escolher um blogueiro para fazer parceria é como dar um tiro no escuro. Com tantos blogs literários, tantas resenhas e sorteios de livros, infelizmente, ainda existem usuários que entram nesta só para aumentar a sua estante. Lembrando novamente, ter um blog com muitos comentários, curtidas etc. não significa muito, se forem números vazios. Do que eu estou falando? Muitos blogs estão repletos de comentários sem nenhum sentido, de pessoas que nem mesmo leram a resenha e comentam “Adorei o livro”. Esses dias, recebi um comentário sobre um caso parecido de uma colega escritora falando que viu um comentário assim: “Adorei a resenha” e o post nem mesmo era uma resenha.  A ganância pelos números, às vezes, faz o autor e o editor darem um tiro no pé!

Blogueiro: Se você se comprometeu a resenhar o livro e a fechar a parceria com a autora ou editora, você precisa se pronunciar caso desista. O que aconteceu? Você leu o livro e não entendeu nada? Viu que não gostou do livro? Você não é obrigado a resenhar o livro, se achar ele tão ruim a ponto de não escrever nada que vá acrescentar. O silêncio é melhor do que uma crítica malfeita! Se você é blogueiro literário não pode ler somente os livros de parceiros, precisa ter conhecimento básico sobre os gêneros literários para não fazer feio. Não adianta soltar comentários, como “Achei a personagem chatinha”, é preciso desenvolver melhor a ideia ou “Achei o livro fofinho”, explique o que foi que te agradou fará com que outros leitores possam se interessar pela obra. Você, como blogueiro, não tem a obrigação de vender o livro, mas ajuda o leitor dizendo no texto onde o livro pode ser encontrado e citando os motivos que tanto te fizeram amar ou odiar a obra.

Não deixe de ler: Guia com 10 Dicas para Blogueiros sobre Como Aumentar o Alcance de suas Postagens

“Fiquei horas lendo o livro, marquei meus trechos favoritos e escrevi uma resenha bem elaborada. O autor e a editora não ajudaram na divulgação nem responderam o meu e-mail”.

Blogueiro: É uma droga quando nos dedicamos tanto a fazer algo e não temos o valor reconhecido. Bom, não há muito o que fazer neste caso! Você pode avisar ao autor que se ele ajudar a divulgar a resenha mais pessoas poderão ler o texto e se interessar pelo livro. Não é seu trabalho ficar se matando para divulgar o post em vários lugares, se o seu próprio parceiro não está se esforçando. Se você for parar para pensar:  Só receber o livro e resenhá-lo não é exatamente uma parceria – Na verdade, você estará fazendo um trabalho de divulgação gratuito. Você, blogueiro, também precisa ter algum benefício, e essa vantagem pode ser uma força para atrair mais visitantes para o seu blog. Não se esqueça de agradecer ao autor ou à editora pela cortesia recebida!

Editor e Autor: A parceria precisa ser uma via de mão dupla. Não adianta o blogueiro fazer um trabalho lindo, se vocês, como parceiros, acharem que fizeram a sua parte enviando o livro. Grandes editoras, dificilmente, conseguem responder todos os e-mails de blogueiros, assim como autores famosos. De qualquer forma, se você for uma editora pequena ou um autor que está começando agora, vale a pena gastar um tempo agradecendo aos blogueiros pelas resenhas, afinal, ele gastou o tempo dele não só para escrever o texto, mas para divulgá-lo nas redes sociais. Uma resenha bem elaborada pode contribuir para que o seu livro seja comprado, basta olhar os comentários em alguns posts. Mesmo que a resenha seja negativa, é ainda melhor que alguém leia o seu livro com atenção e o critique (se a crítica for bem fundamentada) a não ter ninguém lendo ou falando sobre a sua obra. Além de ser grato, não custa nada ajudar a compartilhar a resenha!

“Estou selecionando blogueiros para divulgar o meu livro. Preço especial para vocês! Vou analisar os blogs e as resenhas precisam ser postadas dentro do prazo”.

Editora ou Autor: Oi? O blogueiro vai escrever a resenha para você de GRAÇA e você quer que ele compre o livro? Levando em conta que existem blogueiros literários (e vlogueiros) que cobram para escrever a resenha (e não é um valor barato...), se você for autor iniciante, você está dando uma bola fora... Qual será a vantagem do blogueiro em fazer uma parceria na qual ele tenha que pagar e ainda te divulgar, sem nada em retorno? Além de fazer a pessoa comprar o seu material, você quer analisar o conteúdo dela? Lembre-se: Quando um blogueiro se dispõe a fazer a resenha do seu livro, ele está te fazendo um favor, e não o contrário – Não é o autor que faz um favor ao blogueiro literário enviando o livro dele (por mais que saia do bolso do escritor! É um gasto mínimo, comparado aos gastos para divulgação nas mídias tradicionais), é o blogueiro que vai ler, resenhar, divulgar...

Blogueiro: Vamos ser mais espertos e nos valorizarmos! Hoje mesmo vi uma blogueira falando sobre isso. Quando vi uma postagem no mesmo estilo num grupo de blogueiros literários, fiquei com isso na cabeça e questionei a pessoa. O ego do escritor, assim como o ego do blogueiro, precisam ser mantidos sob controle! Vamos ser razoáveis. Conheço os dois lados da moeda, então, sei o quanto dá trabalho resenhar um livro (exige tempo, energia, disciplina, dedicação), mas também sei que fazer o blogueiro COMPRAR o livro e resenhar de graça não é uma parceria. Valorize o seu espaço na internet. Muitas empresas tentam fechar parcerias com blogueiros que, na verdade, são formas de divulgação gratuitas.

Bom, é isso... Blogueiro, quando for fechar a parceria com alguma editora, veja se os livros do catálogo se encaixam no tipo de leitura que te agrada. Editora e autor, analise as resenhas do blog, veja se o blogueiro está apto a resenhar o livro que você vai enviar para ele. É preciso que as duas partes tenham bom senso, sinceridade, ética e respeito.

E você, blogueiro ou autor, já enfrentou algum problema parecido? Alguma dúvida? Não deixe de comentar e compartilhar!

17 comentários:

  1. Cara, isso é complicado.
    Para você ter ideia, eu já vou para o sexto livro que escrevo e só publiquei 01.
    Onde está a complicação?
    Meu terceiro livro tem o nome de A ÚLTIMA LÁGRIMA. Ele conta a história do Anjo da Morte. É uma visão minha e não tem absolutamente nada a ver com religião. Claro que se o Anjo da Morte existe, então tenho que na história falar sobre ESPÍRITOS. Pronto! Criei problema. Duas pessoas que confio e que sempre peço para lerem meus textos e livros, acreditando e confiando em suas opiniões me disseram praticamente o seguinte: "- Valdek, a história é legal, mas não é de um tema que eu goste!". Pronto. Começou daí um processo de enrolação. Porque? O TEMA, NÃO É DO AGRADO. Se não é do agrado, qualquer probleminha acaba se tornando um problemão. O complicado ao comentar um livro, é saber separar o gosto pessoal. Eu imagino como entrar em um cinema para ver um filme. Eu por exemplo, NÃO SUPORTO FILMES NO ESTILO MUSICAL!!! É claro que se amigos me convidarem terei o direito de dizer não, mas se disser sim, terei a obrigação de ter boa vontade. Sim, obrigação!!! Eu não posso, não tenho o direito de condenar um filme, somente porque eu não gosto daquele estilo. Acho que aí está o principal calcanhar dos que analisam e criticam livros. SABER SEPARAR O SEU GOSTO DA ANÁLISE. Outro fato interessante e que venho notando em algumas análises, é saber separar o MEGA ESCRITOR do Escritor Iniciante. Não se pode esperar desempenhos fantástico de quem está começando. Eu recebo alguns textos, poesias, de pessoas que simplesmente me pedem para ler e dar opiniões. Faço com a maior boa vontade e sempre separo as coisas. Dou minha opinião honesta mas sempre levando em consideração essas duas coisas que citei. Porque? PORQUE EU SEI O QUE É PUBLICAR UM LIVRO. Eu acho engraçado que o cara praticamente vendeu o almoço para juntar dinheiro para publicar um livro e portanto ele sabe o quanto é complicado e custoso isso no Brasil e vejo BLOGs cobrando até mesmo para a pessoa postar no BLOG ou na comunidade do FACEBOOK um texto. Só um texto. Eu não digo comprar o livro, não é isso, mas para postar uma poesia, postar uma crônica, alguma coisa, tem BLOG cobrando. ISSO NA MINHA OPINIÃO, NÃO É SE VALORIZAR. ISSO NA MINHA OPINIÃO É TIRAR PROVEITO DE UMA SITUAÇÃO QUE A PESSOA TAMBÉM JÁ PASSOU!!! Enfim... Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Valdek! Muito obrigado pela visita... Ótimo comentário! Concordo com o que foi abordado. É preciso separar a opinião pessoal da temática do livro. Esta semana resenhei um romance com doses de erotismo – não é o meu estilo preferido, e fiz questão de apoiar, pois era o romance de estreia e me foquei nos pontos positivos, sem deixar de equilibrar com algumas questões que poderiam deixar a narrativa mais envolvente. Acho um absurdo querer cobrar para publicar crônicas, poemas etc., até mesmo artigos. Sou à favor de cobrar quando é um trabalho mais desenvolvido, como uma entrevista (com um valor justo). Quanto à resenha, até agora não cobrei nenhuma, mas se o profissional é resenhista freelancer, não vejo nenhum problema em cobrar, ele também precisa ter algo para comer. O problema do ego do escritor pós-publicação é algo a se pensar. Essa mania de "Já passei por isso. Espero que você passe pelo mesmo" é decepcionante. Acaba-se criando uma competição desnecessária. Bom seria se todos lutassem do mesmo lado, se apoiassem na divulgação e incentivo à leitura (que ainda é baixo no Brasil). Abraços e volte sempre!

      Excluir
    2. Creio que um grande problema é quando a pessoa oferece um serviço pago que não é à altura. Nunca cobrei nada. Sempre ajudei a divulgar eventos literários, lançamentos e palestras (dou preferência para o que é gratuito!). Em compensação, às vezes, sinto falta de uma graninha, já que o blog também é minha fonte de renda. Agora querer cobrar por postagem no Facebook ou publicação de textos (conteúdos que podem ser interessantes para os leitores), já acho um exagero. É querer tirar água da pedra... Esquecer que o escritor, principalmente o iniciante, está no começo de uma batalha. Eu mesmo, além de blogueiro, sou escritor... E preciso abrir mão de fazer várias coisas, pois quase nunca tenho dinheiro. Não tenho vergonha em admitir isso, já que abri mão de um emprego tradicional, sacrifico muitas coisas, para poder me dedicar à leitura e à escrita. Neste caso, minha recompensa (o aprendizado) vale muito mais do que qualquer dinheiro. Quanto às cobranças de blogueiros e vlogueiros, fiquei sabendo que tinha gente que cobrava MIL REAIS para divulgar – preço exorbitante.

      Excluir
  2. Oi Ben. Muito boa essa postagem. Vc soube usar bem os dois lados. Parcerias é algo complicado. Como autora, eu tenho algumas, mas no meu blog ainda estou meio retraída. Nesse meio tem de tudo. Autor sem noção e escritor sem noção. Assim como também tem os autores e blogueiros incríveis. A primeira coisa antes de eu fechar parceria, eu falo com o autor ou blogueiro. E vejo como a pessoa é. Uma coisa muito importante é a humildade. Tem gente que acha q é dono do mundo pq é escritor, ou pq tem blog. E tem políticas q me irritam também. Criam umas regras idiotas e sem noção. Dão um prazo, pedem isso, pedem aquilo. É complicado às vezes. Ah, eu conheço a sua colega escritora, ashuashua A gente precisa estar de olho nos dois lados e não sair fechando parceria a fú. Sem nem conhecer o trabalho. Abraços
    http://profissao-escritor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gih! Adoro suas visitas e comentários. Elas sempre têm algo interessante a acrescentar! Parcerias, realmente, são complicadas. Equilibrar o ego do escritor e o ego do blogueiro. Tem autor que leva pro lado pessoal as escritas; Tem blogueiro que escreve resenha só por escrever e depois fica chateado quando o autor diz que não gostou. Felizmente, ainda não tive problemas! Ainda não lancei um livro só meu para enviar para resenhas, mas se eu fosse escolher as parcerias faria igual a você, escolheria com cuidado.
      Quanto às regras e prazos. O importante é não deixar de fazer... É preciso que o autor e a editora levem em conta que o blogueiro não se dedica somente àquilo, tem sua própria rotina e afazeres. Como eu disse no texto, é necessário respeito das duas partes!
      Abraços

      Excluir
  3. Muito boa as dicas. Pena que eu li depois de te perguntar algumas coisas pelo inbox. Se eu tivesse lido isso aqui, nem teria ter importunado. Haha. Seu lindo. <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha! Obrigado, Fabrício pela visita e comentário!
      Vou usando um pouco do feedback com os colegas para ajudar os outros blogueiros. É só entrar nas comunidades para ver que tem muita gente perdida kkkkkk

      Abraços!

      Excluir
  4. Ooooi, Ben! Como vai? Vi seu comentário no meu blog e cara, amei seu blog! Bem profissional. Adorei as dicas, faz pouco tempo que eu comecei a embarcar nessas parcerias com autores e já aconteceu de eu pegar um livro que não curti tanto, o que eu fiz foi apenas falar na resenha o que me incomodou e puxar pontos positivos do livro, por exemplo, 'A narrativa não me conquistou, mas é um ótimo livro para quem sonha em conhecer a Inglaterra" (lugar onde a história se passa), acho que é uma forma de mostrar que para EU não gostei do livro, mas isso não quer dizer que ninguém vá gostar :) Parabéns pelo post, ficou ótimo, até compartilhei <3 Beijão! > Meninas Quase Invisíveis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Alexia! Muito obrigado pelo comentário e visita!
      Fico muito feliz que tenha gostado do post e ajudado a compartilhá-lo. Realmente, isso de receber um livro e não gostar dele, acontece (e muito!). Tem muito blogueiro que fica com medo de ser sincero e perder a parceria e acaba elogiando (o que é uma pena!). É preciso ser verdadeiro e como você disse, a opinião é pessoal – não é porque você não gostou, que outra pessoa não possa amar o livro.
      Beijos!

      Excluir
  5. Muito boa sua matéria. Existem autores e autores, públicos e públicos. Longe de mim criticar um livro adolescente, para mim pode parecer piegas e simples, para algum adolescente será exatamente o que o incentivará a conitnuar a ler até chegar aos Saramagos da vida. Por outro lado, só grandes leitores toleram ler Saramago, Guimarães Rosa, grandes autores de difiícil leitura. Quanto ao quesito: o que faço? Sem problema, não gostou de minha prosa, não me encaixo em seu tipo de leitor, diga exatamente isso - seu público alvo é diferente do meu.
    Há espaço para todo mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Sonia! Concordo contigo. Há livros para todos tipos de leitores. Cabe ao autor saber escolher qual será o blogueiro parceiro na hora de fechar uma parceria, para depois não se arrepender. É complicado quando a expectativa do autor é uma e a reação do leitor é outra – não pelo escritor não aceitar crítica, mas ao perceber que a resenha é mal escrita e que o blogueiro literário não entende muito do que está dizendo.
      E como você disse... Há espaço para todo mundo!
      Abraços e volte sempre!

      Excluir
  6. Oi Ben eu tenho 15 anos , amo escrever e fazer críticas, por isso criei um blog de resenhas atmosferaresenhista.blogspot.com mas estou com muita dificuldade para divulgação e principalmente para dar conta de comprar os livros ( $), você tem alguma dica que possa me ajudar? Parabéns pelo blog !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Isabela!
      Quanto à parte de divulgação do blog, invista em divulgar nas redes sociais, mas sem buscar comentários ou curtidas vazias (nem sempre os números importam). Pratique bastante. Quanto mais você escrever, suas resenhas vão melhorar. Invista em qualidade (texto, livros resenhados). Dificilmente você vai conseguir muitas parcerias com 15 anos, mas nunca se sabe, dependendo do autor. Se o seu blog tiver um bom conteúdo, bom layout, as oportunidades vão surgir. Não se desanime!
      Quanto à falta de dinheiro, uma opção é resenhar livros que você pegar na biblioteca. Você já acaba economizando.
      Qualquer dúvida, só dizer.
      Abraços. Muito obrigado!

      Excluir
  7. Sabe, Ben...você realmente tocou na "ferida" que eu ainda estou tentando entender nesse "mundo virtual-literário". Fiz meu blog faz pouquíssimo tempo. Leio tutoriais e trocando ideias com alguns blogueiros já antigos. Muitas vezes acho vazio o que fazem(muitos)...fazem por fazer. Trabalho mal feito. Só querem a "recompensa". Eu não quero parceia com Editoras que não publiquem livros que Eu goste de ler. Dificilmente falaria bem de romances clichês e afins.
    Os blogueiros deveriam ter Foco. Escolher o que lhe agrada e não o que aparece. Dedicar a algo que lhe rende prazer e as editoras também serem mais criteriosas. Nada de "atirar no escuro", olhe como se fosse jogar numa loteria. Tudo tem que ter paixão, mas profissionalismo também.

    Pensei em fechar o blog, porque muitos querem mandar no que tenho que falar...mudar meu estilo para atrair mais "parceiros", mas só quero falar do que gosto. Amo escrever e levar para o papel meus sentimentos e pensamentos.

    Pode dar dicas à um blogueira inexperiente?


    Amei a matéria. Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Joanice! Você falou várias questões interessantes.

      1) Muitos blogueiros estão mais preocupados com as parcerias e com o que vão ganhar através delas ao invés de cuidarem do seu conteúdo. Por isso surgem tantas resenhas vazias, tantas comentários elogiosos de livros que não são tão bons assim – é claro, gosto é subjetivo e cada um tem o seu, mas daí, elogiar só por elogiar, acho totalmente desnecessário.

      2) As editoras têm pecado na seleção de blogs. Muitas têm se preocupado somente com o número de seguidores ao invés de se focar no principal, a qualidade das resenhas e interações verdadeiras de usuários. Não é um trabalho rápido, e nesta falta de tempo para pesquisar melhor seus parceiros, acabam priorizando os blogs que estão 'bombando'. Acontece que muitos blogueiros trocam comentários vazios, curtidas vazias, seguidores vazios: algo do tipo, comenta no meu que comento no seu. Muita gente nem lê as resenhas e deixa comentários. É triste!

      3) O foco é muito importante. Precisamos escrever sobre o que gostamos. E quando não gostamos, não dá para ter medo ou pelo menos deixar claro que não gostou, mas que alguém poderia gostar – ao invés de elogiar só por medo de 'machucar' o parceiro. Pega muito mal. Nem todo best-seller é bom – só porque vendeu muito não significa que o livro é necessariamente bom; Só significa que ele tem um bom marketing, uma boa distribuição, entre outros fatores que influenciam na venda.

      Se eu pudesse te dar uma dica seria: Continue fazendo aquilo que você ama. Tente, sim, equilibrar um pouco de assuntos que outras pessoas possam se interessar, não se centrando somente em seus textos ou autores iniciantes, mas sempre seja sincero. Por exemplo: Não gosto de John Green, muito menos de 50 Tons de Cinza. Não vou ficar elogiando só porque esses livros estão fazendo muito sucesso e poderiam gerar muitas visitas para o blog. Para ficar elogiando esses livros, há uma série de blogs. O que fazer? Vou me focar em ajudar autores que ainda não estão tão conhecidos como deveriam ou sobre livros que tocam a minha alma. Não se apegue à regras na blogosfera. E siga o que você acredita ser certo.

      Gratíssimo pela visita e comentário! Beijos.

      Excluir
  8. Olá, Ben! Gostei do seu artigo e das dicas. Sou resenhista e cobro pelas minhas resenhas. Concordo que o investimento do autor é mínimo. Quem publica obras sob demanda ou auto-publicação, não resta outro caminho. Resenhar não é nada fácil. Eu cobro um preço justo pelo meu trabalho de resenhista. Procuro ser o mais honesto possível. Penso que escrever um livro também não é nada fácil. Todo livro tem o seu valor. Se não gosto de um livro, eu o classifico como regular. No entanto, cito os pontos negativos da obra.

    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Olá, Elcias.
    Muito obrigado pela visita e pelo comentário. É sempre interessante ver o ponto de vista de outros resenhistas. Infelizmente, muitos autores acham que os blogueiros devem resenhar de graça e não veem como um investimento. Acham que só enviar o livro é um pagamento, sem levar em conta o tempo da leitura e o tempo para a escrita da resenha. Quanto aos pontos negativos da obra, acho complicado quando entra a questão do gosto. Agora, se for para dar uns toques para o autor, às vezes, prefiro entrar em contato direto. Tento me focar no leitor 'comum', não em escrever resenhas que críticos / só escritores vão ler.
    Abraços

    ResponderExcluir

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram