Pular para o conteúdo principal

Destaques

Subdiagnóstico de autismo, números e incoerências

O brasileiro é muito individualista. Ao mesmo tempo que vejo pessoas reclamando que os números do Censo vão dar abaixo por causa dos subdiagnósticos de autismo, já vi muita gente acusando pessoas com laudo fingirem que eram autistas.


Como explicar a volatilidade? Nem tento entender o que se passa na mente do brasileiro.

Os discursos são sempre contraditórios. Por causa de polarização, todo mundo sai perdendo.

Já vi até gente dizendo que o laudo é só um papel. Se é só um papel, a pessoa, então, não precisa de um diagnóstico? Logo, por que ser contabilizada? Sejam mais coerentes nos discursos.

Incoerências dos brasileiros sobre subdiagnósticos:

– Já vi gente acusando autista de fingir, mesmo a pessoa tendo laudo;

– Já vi gente se posicionando contra diagnóstico precoce, achando que seria ruim, desconhecendo a questão da plasticidade cerebral;

– Já vi gente dizendo que autismo nem deveria ter CID;

– Já vi gente dizendo que o outro não é autista, só porque sabe argumentar e é diferente do …

Assista a animação baseada no conto O Coração Delator, do escritor Edgar Allan Poe

No dia 19 de janeiro é comemorado o aniversário do escritor Edgar Allan Poe.  Nascido em 1809, há 206 anos, Poe morreu aos 40 anos. Para celebrar a data, compartilho com vocês o curta-metragem de animação baseado no conto O Coração Delator (The Tell-Tale Heart).


O conto O Coração Delator, como o próprio título indica, é sobre um homem vidrado com um velho. Em um momento de loucura, o protagonista decide matá-lo. Mesmo morto, o personagem continua escutando as batidas do coração do velho.

A animação é narrada por James Mason e foi produzida, em 1953, pelo extinto estúdio de animação UPA (United Productions of America). Tell-Tale Heart Animation foi o primeiro desenho animado a ser classificado para adultos, de acordo com o Conselho Britânico de Censores de Filmes na Grã-Bretanha.

Assista a animação de The Tell-Tale Heart:



A insanidade e os assassinatos são temas recorrentes nas narrativas de Edgar Allan Poe. O conto The Tell-Tale Heart foi publicado pela primeira vez em 1843 e é considerado um dos clássicos da ficção gótica. A história é narrada pelo próprio protagonista, um homem que declara não ser louco.

Veja também: Documentário sobre Edgar Allan Poe – Contos de Terror

De acordo com a Edgar Allan Poe Society of Baltimore, há comentários que sugerem que o velho do conto possa ser o pai do narrador, assim como há quem diga que ele seja o pai adotivo dele, John Allan. "Esta sugestão, no entanto, não está diretamente apoiada por uma leitura atenta do conto e uma compreensão do contexto em que foi escrito, e é, talvez, muito orientada nas leituras psico-biográficas para serem levadas a sério".

Sobre o escritor – Edgar Allan Poe foi um autor norte-americano, poeta, editor, crítico literário. Ele é reconhecido por causa de seus contos de mistérios e narrativas macabras. Por ter sido um dos pioneiros na arte de escrever contos, ele é considerado o pai do gênero literário por alguns, além do horror e suspense, Poe deixou suas contribuições para o crescimento do gênero detetivesco e ficção científica.

Poe teve dificuldades financeiras por se dedicar à escrita, principalmente como escritor solitário. A causa de sua morte é desconhecida e atribuída a vários fatores, como seus problemas com o álcool, congestão cerebral, cólera, drogas, doenças do coração, raiva, suicídio, tuberculose e outros agentes.

Não deixe de conferir: 12 Contos de Edgar Allan Poe para Ouvir Grátis

Sou suspeito, mas adoro os contos do Edgar Allan Poe. Aliás, há uma influência de suas narrativas na minha escrita. Gosto muito do lado sombrio dos seus personagens, além de ficar feliz por ele ter inspirado escritores como Stephen King, H. P. Lovecraft e milhares de outros autores de ficção.

Comentários

Mais lidas da semana