quarta-feira, 29 de abril de 2015

Lançamento: Olho de Boto – Salomão Larêdo

Uma das novidades da Editora Empíreo para este semestre é o lançamento do romance Olho de Boto, do escritor paraense Salomão Larêdo. A narrativa foi ambientada no interior da Amazônia, durante os anos 60, período em que o Brasil estava sob o poder dos militares e dois homens decidiram se casar.

O Olho de Boto é o 40º livro de Salomão Larêdo e foi inspirado em fatos reais. O autor se apropriou da ficção, fantasia e mitos regionais para construir o seu romance. A história se passa no vilarejo de Inacha, localizado na comunidade de Juaba, no município de Cametá, no nordeste do Pará. Inajá e Inajacy, o casal protagonista, pedem a um pajé que transforme um deles em mulher para que possam efetivar a união matrimonial.

“O romance é cheio de situações escabrosas, inventadas ou superestimadas. Trago as metáforas e as polifonias do ser humano que habita a floresta, a natureza, a vida num manancial de águas, de riqueza de todos os reinos: vegetal, animal e mineral. O livro tem muitos personagens que circulam em meio a uma enorme variedade de temas e situações peculiares e características na sociedade humana que deve ter o compromisso de descontruir desigualdades e injustiças”, explica Salomão Larêdo.

Segundo Salomão Larêdo, sua obra tem um posicionamento de defesa das minorias oprimidas, tema recorrente em suas outras publicações. Em Olho de Boto, o amor, a compreensão e o respeito pelos casais homoafetivos é reforçado.

“Este novo romance aborda não apenas o tema da homoafetividade, mas todas as nossas questões sócio-políticas, de tudo que precisamos saber, discutir, estudar e nos posicionar como cidadãos culturais, cidadãos sexuais, democráticos, como leitor que pensa, que tem senso crítico, consciência política, que  não é intolerante, intransigente, que sabe e procura   amar o outro, respeitar o outro, que é preocupado com o bem comum, com a igualdade como bem coletivo”, defende Salomão.

Confira a sinopse de Olho de Boto:

“Inacha é um povoado pacato e ordeiro da floresta amazônica, onde ninguém contesta o poder do regime militar recentemente implantado no Brasil. Porém, tudo muda quando um acontecimento grandioso é agendado: dois homens decidem se casar, décadas antes do mundo discutir os relacionamentos homoafetivos. Inspirado em fatos reais, Salomão Larêdoapresenta um romance contestador, que deseja disseminar o amor livre por todos os lugares e criticar a incompreensão e a violência comuns numa terra tão afastada da civilização.

O romance nos romances contém muitaspassagens, histórias, numa narrativaem que os personagens vivemsituações as mais inusitadas e difíceis para conseguir realizar o sonho decontrair núpcias em que os pajés são convocados para realizara metamorfose etransformar em mulher a noiva que, junto com o noivo passam por inúmeras dificuldades,incitamentos, provações e provocações dos curiososque enchem as ruas do lugar para prosseguir no sarro, na gozação meioescárniohomofóbico coletivo ao casal submetido aovexatório e incômodo exame médicocomprovativo do gênero”. 

No dia 6 de maio, às 17h, acontece o lançamento de Olho de Boto: Um romance homo(ama)zônico, na Livraria da Fox, em Belém (PA).

Local: Travessa Dr. Moraes, 584 – Batista Campos.  A entrada é gratuita. Informações: (91) 4008-0007 /(11) 2309-2358 / (11) 97687-9696 / filipe@editoraempireo.com.br. O livro estará sendo vendido por R$ 39,90.

Sobre o autor – Salomão Larêdo nasceu na Vila do Carmo, município de Cametá, no Pará, região Amazônica, na madrugada do dia 23 de abril de 1949. É autor de diversas obras, incluindo romances, contos e poesias. Com seu estilo, o paraense envolve o leitor no imaginário amazônico, revelando todas as suas belezas e idiossincrasias. “Olho de boto” é a quadragésima obra publicada pelo autor, que já recebeu prêmios por todo o país, incluindo o Monteiro Lobato da União Brasileira de Escritores, pelo livro “Sarrabulho”.

Editora Empíreo – Editora brasileira de literatura: romance, poesia, fantasia, não-ficção, música, quadrinhos e tudo o que for apaixonante, com sede em São Paulo. Tem a missão de publicar literatura de qualidade e rica em cultura que edifique seus leitores usando os mais variados temas e formatos. O nome faz referência à palavra latim Empyreus, uma adaptação do grego antigo, “dentro ou sobre o fogo (pyr)”, Empíreo é o mais alto dos céus, o local reservado para as divindades e para a perfeição.

Para mais informações:

Conheça o hotsite do livro: http://olhodeboto.com/

Visite o site da editora: www.editoraempireo.com.br

Compre o livro: http://loja.editoraempireo.com.br/product/1018168/olho-de-boto 

Veja o vídeo com depoimento de Salomão Larêdo: https://vimeo.com/122037504

E aí, o que acharam? Fiquei curioso para ler. Quem já conhece o blog, sabe que tento dar uma força para a divulgação de livros com temática gay e autores LGBT, além de já ter escrito e publicado alguns contos com personagens homossexuais. Das novas publicações da Editora Empíreo, esta é uma das que estou desejando receber logo para recomendar para vocês, leitores.

*Com informações do assessor de imprensa Dominik Giusti / Editora Empíreo.

4 comentários:

  1. Você tirou um tempinho para passar no meu blog, agora eu vim aqui no seu e tem bastante postagem para eu ler (agora estou bem melhor)... mesmo porque eu amo seu blog e você me inspira muito =). Olha, já sabe né, quero ler esse livro, fiquei interessada quando li "interior da Amazônia", depois que li a sinopse fiquei ainda mais curiosa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Michele!
      Fico imensamente grato com sua visita. Você é uma das pessoas que me inspira a continuar escrevendo neste blog, visto que estou sofrendo com a falta de tempo e energia para mantê-lo funcionando apropriadamente. Tenho certeza de que o autor e a editora Empíreo vão ficar muito felizes com o seu interesse por Olho de Boto. Eu acho interessante esta ficcionalização de algo real, este olhar do mito para algo que ainda é considerado um tabu no Brasil, o casamento gay, levando em conta todo o contexto histórico, social e cultural do local onde se passa a história.
      Abraços! Volte sempre!

      Excluir
  2. Não em canso de me impressionar com a riqueza da nossa literatura atual. O interessante é que o livro aborda exatamente os dois motivos que fazem a nossa arte ser tão abundante. Um povo com uma cultura regional tão rica e problemas sociais tão sérios e, em relação à ditadura, um passado tão negro. E um deles querer se transformar em mulher para poder se casar por um lado é belo, uma prova de amor, mas também é uma forma de abrir mão de sua própria identidade para se adequar às exigências da sociedade. Muito boa sacada do autor. E que seu blog continue sendo um reduto dessas preciosidades da nossa literatura. Abraço, Ben.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ronaldo, achei muito interessante a perspectiva que o autor quis passar. Ainda não li o livro, mas espero logo receber da editora (por causa da parceria com o blog!). Quero poder ler e dar minha visão, já que gosto de livros com temática gay e ainda não tinha lido nenhum com este viés 'folclórico'.
      Abraços! Grato pela sua visita, sempre!

      Excluir

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram