Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autismo: Entre fofocas e intrigas

Aviso aos bonitos e bonitas que sempre jogam meu nome e dos colegas nos grupos de Facebook e WhatsApp: alguém de vocês sempre solta algo e de um jeito ou de outro, chega até mim.


Minha dica é: quer falar mal? Fala à vontade. Se quiser, eu falo junto. Não tenho vergonha de fazer autocrítica, aliás, recomendo a todos.

Agora, se me difamar e/ou queimar minha reputação, o bicho pega.

Nesta página, não trabalho com indiretas. Só com diretas mesmo.

Já disse que nem todo autista é bonzinho, né? 😈

Dica para os anjinhos e neurotípicos: Arranjem hobbies e outros hiperfocos, ocupem a cabeça com outras coisas que não sejam só esse mundinho de intrigas do autismo.

Um grande filósofo pós-moderno, Benstein Oliveira disse que a fofoca viaja à velocidade da luz e que ela vem de todos cantos e cores do autismo. Nem WhatsApp eu uso, mas as conversas de lá sempre chegam aqui. Por que será, gente?

Formado em Harvard na arte das fofocas chegarem até mim. Parece que sou ímã para embuste.


Para os trolls que…

Leituras de Abril – 2016

Retomando as listas de leituras do ano que estavam atrasadas, seguem os livros que eu li durante o mês de abril de 2016. Foram sete livros lidos e três livros resenhados para o blog. Um mês de leituras ecléticas, explorando obras de não ficção e romances. Confira abaixo a lista:


Escrever Para Não Enlouquecer (Charles Bukowski, L&PM Editores) – Um livro emocionante que traz algumas das cartas escritas por Bukowski, por meio das quais o leitor acaba conhecendo mais sobre o escritor, suas frustrações e dificuldades do dia-a-dia, bem como sua história de vida. Editado por Abel Debritto, tradutor, editor e autor de Bukowski: King of the Underground, Escrever para não enlouquecer é uma espécie de autobiografia não autorizada.

Pensão Margaridas (João Vasconcellos, Editora Ponto Vital) – O livro autobiográfico explora a história de um homem que foi internado por causa de sua dependência de álcool e cocaína e acabou sendo diagnosticado erroneamente como esquizofrênico. João Vasconcellos narra como foram os seus dias de internação até os seus dias de liberdade, quando descobre que levou anos tomando remédios para um transtorno mental que ele não tinha.

Coraline (Neil Gaiman, Editora Rocco) A novela de Gaiman explora o universo fantástico sombrio que uma criança acaba mergulhando e descobrindo coisas horríveis sobre essas criaturas que são tão parecidas com ela e com sua própria família. Uma história infantil, mas que consegue tocar leitores adultos. O livro traz ilustrações de Dave McKean.

Half Bad (Sally Green, Editora Intrínseca) – Para quem gosta de livros de fantasia com a temática de bruxos, Half Bad conta a história de Nathan, um jovem que é filho de uma bruxa de Luz e de um bruxo das Sombras, o que acaba fazendo com que ele seja tratado de forma diferente dos outros e precise correr para se salvar.

Drácula (Luis Scafati, Editora Globo Livros) O romance gráfico do artista plástico e desenhista argentino Luis Scafati, que explora o universo sombrio do vampiro por meio de ilustrações e textos enxutos.

Memórias de uma Gueixa (Arthur Golden, Editora Imago) Um romance triste sobre a jovem

Spotlight: Segredos Revelados (The Boston Globe, Editora Vestígio) O livro traz as premiadas reportagens investigativas sobre o escândalo de abusos sexuais encobertos pela Igreja Católica, produzidas pela equipe de jornalistas do Boston Globe e que serviram como inspiração para a adaptação cinematográfica.

Já leu quais livros da lista? Comente!

Comentários

Mais lidas da semana