quarta-feira, 12 de abril de 2017

Amazon libera vendas de livros usados e novos no Brasil

Hoje, a Amazon.com.br anunciou uma novidade bacana para quem quer mais opções para comprar e/ou vender livros usados, raros ou novos, o Marketplace Para Livros. A funcionalidade que já estava disponível em outros países, agora vai permitir que pessoas físicas e jurídicas do Brasil também possam se tornar vendedores de livros em seu site. O lançamento oficial da Marketplace para Livros aconteceu neste dia 12 de abril de 2017.

Imagem ilustrativa. O preço dos livros impressos e digitais podem variar de acordo com os vendedores oficiais ou independentes. 

Mais opções para vendas de livros na Amazon


Segundo informações da Amazon, com o lançamento da Marketplace para Livros, o lançamento deve acrescentar 100 mil livros novos e usados em português, tornando o catálogo de livros da loja virtual um dos maiores entre livrarias brasileiras, levando em conta além dos títulos impressos, os milhares de livros digitais.

Além de vender na Amazon Brasil, a plataforma vai possibilitar a venda de livros no exterior, como nos sites da Amazon dos Estados Unidos, México e Canadá, ampliando o alcance de seus negócios e permitindo que clientes encontrem livros em português com mais facilidade.

A novidade é boa não só para os consumidores, como para algumas livrarias, sebos, editoras de diferentes tamanhos e escritores tradicionais e independentes. Para os leitores, fica aí mais uma opção para encontrar livros que estão esgotados e não foram republicados, como livros raros.

A Amazon disponibiliza duas opções de planos, sendo um voltado para vendas profissionais para quem deseja fazer mais de 10 vendas por mês, com uma mensalidade de R$ 19, 00 e a comissão (10%) ou a opção de vendas individuais, para quem planeja menos de 10 vendas por mês, sem mensalidade, com tarifa de R$ 2,00 por cada item e a comissão (10%).

De acordo com uma matéria publicada no Publishnews, neste dia 12 de abril, uma das livrarias que já topou participar do Marketplace de Livros da Amazon é a Livraria Martins Fontes Paulista, dirigida por Alexandre Martins Fontes que declarou que uma dos principais desafios do mercado livreiro no Brasil ainda é fazer o livro chegar até o consumidor.

Para poder usar o serviço da Amazon, é preciso ter um cartão de crédito ativo. Podem participar pessoas ou empresas que possuam CPF ou CPNJ válido. Vendedores precisam gerar e enviar Notas Fiscais Eletrônicas referentes às vendas feitas.

Atualmente, o Marketplace está disponível somente para a venda de livros, em qualquer idioma. Segundo a Amazon, eles se responsabilizam pelo estorno de fraudes nos pagamentos, como cartões de crédito roubados ou outras tentativas de fraude.

Os pagamentos feitos pelos clientes caem na conta do vendedor a cada 15 dias e a Amazon avisa quando o depósito for feito. Assim que o produto é comprado, o vendedor tem até dois dias úteis para enviar, de acordo com as configurações de envio disponibilizadas.

Para saber mais informações sobre o novo serviço da Amazon, visite: http://amzn.to/2oZ4Hz9

Publicação de livros impressos para autores independentes


Resta saber quando a Amazon brasileira finalmente disponibilizará no país a opção de impressão de livros de capa comum, como já acontece na Amazon Estados Unidos, Europa e Japão – uma das novidades mais aguardadas por escritores independentes que já utilizam o serviço do Kindle Direct Publishing (publicação de livros digitais para o Kindle), mas que sabem que alguns leitores ainda preferem ler livros impressos, especialmente em um país em que muitas pessoas, mesmo as que compram os diferentes eBook Readers (Kindle, Kobo, Lev, Nook) têm o hábito de fazer o download ilegal de ebooks piratas (PDFs de livros). Sem ideia de como a atividade atrapalha o mercado de livros como um todo e as comparações desleais com indústrias muito mais lucrativas como a do cinema e da música, livrarias, autores e editoras tentam driblar os problemas disponibilizadas livros gratuitamente de forma legal. Lembrando que existem milhares de textos literários que caíram em domínio público após centenas de anos da morte dos escritores e detentores dos direitos autorais, sendo uma opção para quem deseja ler sem gastar muito.

Com os lucros de vendas de livros, muitos autores brasileiros poderiam se dedicar à escrita, bem como investir em marketing e publicidade, como acontece fora do país, mas por aqui ainda é uma realidade para poucos. Muitos autores internacionais se destacaram em plataformas independentes de autopublicação e conseguem ganhar tão bem quanto autores tradicionais, já que a margem de lucro costuma ser maior de acordo com o sucesso das vendas e maior porcentagem de direitos autorais, além de fecharem parcerias de traduções e publicações em outros países, muitas vezes, por meio de editoras tradicionais ou pelas próprias plataformas de livros digitais. Com a disponibilidade em livrarias online e livrarias físicas, muitos escritores, como acontece também no Wattpad, maior plataforma de histórias online do mundo, conseguem vender os direitos para adaptação em diferentes formatos, como audiobooks, televisão e cinema.

No Brasil, existem escritores que fizeram tanto sucesso com seus eBooks, que conquistaram contratos híbridos, como FML Pepper, autora da trilogia Não Pare que se tornou best-seller na Amazon com mais de 12 mil ebooks vendidos e ganhou versão impressa pela Editora Valentina. Após dois anos entre os destaques na loja online de livros, a escritora de fantasia ganhou um prêmio da Amazon por ter ficado em 1º lugar na categoria de ficção. Antes de publicar pelo Kindle Direct Publishing, ela chegou a mandar o romance para editora e não teve resposta. Desde a publicação dos seus livros, a dentista Fátima Pimentel (enquanto não está escrevendo, ela continua atendendo seus pacientes em consultórios) foi entrevista por Jô Soares, Jornal Nacional, inúmeros blogs literários, além de ter participado de vários eventos de livros, como a Bienal Internacional do Livro de São Paulo.

Ainda em fase Beta no Brasil, de acordo com informações da Amazon, no futuro, estarão disponíveis mais recursos relacionados à impressão de livros, como bonecos, cópias do autor (por atacado) e opções de distribuição para livrarias e sites que não pertencem à Amazon; funções que só estão disponíveis no CreateSpace internacional, mas que farão muita diferença para a profissionalização de muitos escritores nacionais, já que existem inúmeras dificuldades, como a publicação impressa, distribuição de livros e diferentes opções de formatos de acordo com a preferência do leitor.

Alguns autores brasileiros da Amazon já estão usando a funcionalidade de impressão, mas como os livros vêm de fora do país e só podem ser compradas na Amazon internacional, os preços ficam um pouco mais altos do que se fossem impressos, publicados e distribuídos diretamente no Brasil. Outras funcionalidades da Amazon, como o seu programa de traduções (AmazonCrossing), acabam ajudando os escritores a serem lidos no mundo inteiro.

Se algum dia as principais dificuldades de ser escritor no país estavam relacionadas à publicação de livros, à dificuldade de entrar nos círculos editoriais e ao preconceito literário, outros problemas continuam recorrentes, como a distribuição, o baixo índice de leitura do brasileiro e os preços considerados altos em relação aos problemas econômicos e sociais, principalmente em tempos de crise. Para alguns as novidades podem ser assustadoras, outros veem como esperança.

*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e da série de livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), com mais de 50 mil leituras, disponível para leitura gratuita no Wattpad.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Comentários Recentes

Me acompanhe no Instagram