Pular para o conteúdo principal

Destaques

Autistas com Altas Habilidades: Mais adaptáveis ao mundo neurotípico

Por que eu não gosto de ser acompanhado no meu perfil pessoal por muitos familiares de autistas? Não gosto que queiram saber minhas vivências, como fazem com outros autistas?


Texto da imagem: Os autistas com altas habilidades (dupla excepcionalidade) podem compensar as limitações usando habilidades cognitivas, navegando em situações sociais e se adaptando aos desafios da vida cotidiana (Autism Calgary).

Todos autistas são diferentes. Eu repito isso quase que diariamente. Muita gente fica comparando experiências e vivências, achando que por estarem no mesmo grau, vão encontrar as respostas que precisam. Spoiler: Nem sempre.

Dois autistas podem ser completamente diferentes. Dois aspies podem ser completamente diferentes.

Existem muitas dificuldades que alguns aspies têm na vida adulta, que eu tinha na infância ou adolescência. Isso significa que eu preciso esconder que me adaptei? Não. Significa que somos todos diferentes e sou mais adaptável em alguns aspectos. 
Isso me torna um fake auti…

No mundo de papel

O mundo dos livros pode ser uma válvula de escape para os dias de tédio e cansaço existencial, bem como pode ser uma ótima oportunidade de deixar a criatividade explodir no papel para aqueles que se dedicam ao ofício de contar histórias. Seja durante a leitura ou no processo de criação literária, muitas vezes, ficamos tão conectados com o universo ficcional que nossos corpos físicos estão presentes, mas nossa mente, atenção e energia estão em sintonia com as narrativas.


*Imagem publicada nas redes sociais do blog Virando Amor 

Leia Escrita Maldita: https://amzn.to/2OlIdVc

Dizem que são as coisas que mais amamos que nos destroem. Com Daniel Luckman, o escritor protagonista do meu livro de terror, Escrita Maldita, não poderia ser diferente. Seu sonho e obsessão de se tornar um autor best-seller é o que o motiva a acordar todos dias, mas também é o que tira o seu sono.

Para ele, a escrita não é só um passatempo, mas é a forma que encontrou para lidar com suas emoções tumultuosas e ressignificar a própria história de vida. Assim como Daniel, carrego dentro de mim a paixão pelos livros, companheiros nesta jornada de existência, testemunhas dos meus silêncios e também dos dias de furacão.

Muitos escritores se refugiam não só dentro dos seus próprios mundos imaginários, como navegam e naufragam no lago de outros sonhadores. A leitura e a escrita são como ópio. Aqueles que fogem do universo das palavras não sabem como é o prazer de se perder e se encontrar, de encontrar um espaço para deixar a mente livre da realidade pesada e sufocante.

É no mundo de papel que nos permitimos entrar em outras peles, conhecer outras realidades e abandonar nossas certezas. Tudo pode acontecer.

Mesmo mergulhados no imprevisível caos e terror, ao final da viagem, como os heróis, retornamos transformados por nossas experiências, preparados para mais um dia em nossa jornada, após uma merecida pausa mental; o espírito volta mais forte, até que precisamos de mais uma dose e resistimos à tentação de nos perdermos nas histórias, sem desejar o caminho de volta.



*Ben Oliveira é escritor, blogueiro e jornalista por formação. É autor do livro de terror Escrita Maldita, publicado na Amazon e dos livros de fantasia jovem Os Bruxos de São Cipriano: O Círculo (Vol.1) e O Livro (Vol. 2), disponíveis no Wattpad e na loja Kindle.

Comentários

  1. Conheci o blog agora e já estou amando, já adicionei mais minha lista de blogs favoritos.

    Blog S.O.S Pedro

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Pedro Henrique. Seja bem-vindo! Espero que retorne mais vezes.
      Abraço

      Excluir

Postar um comentário

Obrigado pelo comentário. Volte sempre!

Mais lidas da semana